Publicidade
Sexta-Feira, 16 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 26º C
  • 19º C

Técnico aposta que Cristiano Ronaldo segue na seleção: 'Ele sempre diz sim'

Apesar de o craque dizer que não é hora de falar do seu futuro após sair da Copa, Fernando Santos destaca que o capitão será importante para os jogadores mais jovens de Portugal

LANCE!
São Paulo (SP)

 Uruguai x Portugal  -  Divulgação
Uruguai x Portugal - Divulgação


O símbolo do abatimento de Portugal com a eliminação nas oitavas de final da Copa do Mundo, perdendo por 2 a 1 para o Uruguai, neste sábado, esteve na cara de Fernando Santos enquanto deu entrevistas. Mas um raro momento de otimismo apareceu ao falar sobre Cristiano Ronaldo, que, aos 33 anos de idade, preferiu não dizer se continuará na seleção.

- O Cristiano ainda tem muito a dar ao futebol. Espero que fique para ajudar os jovens jogadores a crescer e se desenvolver. Temos uma equipe com muitos jogadores jovens e, obviamente, todos o queremos conosco. É importante ter o capitão presente, e ele sempre disse 'sim' nessas horas - disse o treinador.

Ao longo de sua entrevista coletiva, contudo, Fernando Santos ressaltou que a hora é de controlar a tristeza dos jogadores que, em sua maioria, estavam na seleção que conquistou a Eurocopa de dois anos atrás. Neste sábado, o treinador tratou de ressaltar o esforço de seus comandados em campo.

- Estamos todos muito tristes. É o momento mais de consolar e levantar a cabeça. A equipe tem muita ambição, mas não conseguimos. Os jogadores trabalharam muito, foram até o limite das suas forças. Agora, isso é o mais importante - declarou, estendendo seu discurso para os torcedores.

- É muito triste para Portugal. Sabemos que as praças estavam cheias no nosso país, com as pessoas realmente torcendo por nós. Podíamos sentir a presença deles conosco. Eu preferia jogar pior e vencer - afirmou Fernando Santos, elogiando a apresentação do time lusitano, que chegou a ter Bernardo Silva perdendo chance com o gol vazio quando já estava 2 a 1 para o Uruguai.

- Fizemos de tudo para alcançar a classificação. Tivemos algumas oportunidades, fizemos o mais difícil, que era fazer o gol, e sofremos um gol no único arremate do adversário no segundo tempo. Cumprimos o objetivo mínimo. Tínhamos de seguir em frente e não ficar na fase de grupos. Queríamos, depois, chegar o mais longe possível, à final. Não conseguimos vencer, e isso nos dá tristeza.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade

Escolha seu time

  • Chapecoense
  • Criciúma
  • Figueirense
  • JEC
  • Avaí
Publicidade