Publicidade
Domingo, 16 de Dezembro de 2018
Descrição do tempo
  • 31º C
  • 23º C

Reta final vale tudo: Avaí joga sua vida em Alagoas para voltar à Série A

Leão da Ilha precisa dos três pontos diante do Azulão Alagoano que, diante de um estádio Rei Pelé lotado, pode carimbar seu acesso à elite do futebol brasileiro

Diogo de Souza
Florianópolis
16/11/2018 às 21H05
Jogadores avaianos vibram com a goleada sobre o Goiás: 3 a 0 - Futura Press/Folhapress
Jogadores avaianos vibram com a goleada sobre o Goiás: 3 a 0 - Futura Press/Folhapress


Em tempo de reta final de temporada, tudo acaba entrando na conta que diz respeito a crença e a superstição. No momento em que essa fase “saideira” refere-se ao retorno à elite do futebol nacional, no caso do Avaí, todo o extra campo é válido. As estatísticas, nesse momento, são um excelente passatempo em nome de uma (inútil) projeção de confronto. CSA e Avaí jogam neste sábado, às 17h, no estádio Rei Pelé e, quem vencer, encaminha o acesso à Série A em 2019.

Instituídos sabe-se lá por quem, o domingo e a quarta representam o que há de melhor no futebol praticado no Brasil. É a parte nobre da semana que, ora varia em sábado, ora varia em quinta. A Série A e as competições continentais, por exemplo, basicamente distribuem suas rodadas nesses dias. Na esteira desse raciocínio, a terça e a sexta são, automaticamente, as datas mais repelidas entre os clubes brasileiros por estarem diretamente ligadas às “trevas” da Série B.

No claro exercício de projetar o jogo deste sábado e, mais que isso, entender a intenção do Avaí para o final do 2018/decorrer do 2019, a reportagem do ND levantou os 36 jogos azurras desta Segundona para saber os dias “preferidos” da campanha do Leão.

O sábado, dia dos dois próximos desafios, foi a data que o Avaí mais atuou. De maneira disparada. Foram 15 jogos e um aproveitamento pobre de 37,7%. Quatro vitórias, cinco empates e seis derrotas.

A terça-feira foi o segundo dia mais utilizado pelo Leão da Ilha, dessa vez, com um aproveitamento um pouco melhor: em 11 jogos foram quatro vitórias, seis empates e uma derrota; com 54,5%.

O melhor índice vem junto com a sexta-feira. Foram cinco vitórias, um empate e duas derrotas em um universo de oito jogos: 66%.

O Avaí atuou uma vez na quarta-feira, dia 4 de julho, em derrota em casa para o Goiás e uma vez na quinta, vitória sobre o Londrina, no Paraná, dia 12 de julho. Lembrando que, ao contrário da Série A, a Série B não parou no período da Copa do Mundo da Rússia e, por isso, dois jogos foram disputados “fora” do eixo da Segundona.

Duas vitórias em dois jogos

A verdade é que o Avaí, independente da data, precisa apenas de si. Um cenário mais otimista pode combinar uma vitória e um empate suficientes para o retorno à Série A. O ideal, no entanto, são seis pontos contra CSA e Ponte Preta para que não sejam necessárias combinações paralelas.

Para o jogo em Maceió (AL) o técnico Geninho não terá o centroavante Rodrigão. Daniel Amorim está confirmado na vaga para fechar a linha de frente com Renato e Getúlio. Luan Pereira, com um desgaste muscular, nem viajou e também é desfalque.

Do outro lado o comandante azurra terá o retorno de Betão, que cumpriu suspensão na derrota para o Fortaleza. Marquinhos Santos está em Alagoas e será opção no banco. A dúvida fica na lateral esquerda onde Igor Fernandes e Capa brigam pela vaga.

Já o Azulão de Alagoas, comandado pelo técnico Marcelo Cabo, não terá o zagueiro Leandro Souza. O grande problema, no entanto, será a ausência do artilheiro do time no ano e na Segundona: Didira. O meia anotou sete gols na competição, dos 13 que tem no ano. Ele tomou o terceiro amarelo no empate com o Atlético (GO).

O grande trunfo, no entanto, será o torcedor que deverá lotar o estádio Rei Pelé. O CSA informou, próximo ao meio-dia desta sexta-feira, que os ingressos haviam esgotados.

 

Ficha técnica:

CSA: Frigeri; Celsinho, Elivelton, Xandão e Rafinha; Yuri, Dawhan, Daneil Costa (Echeverria) e Juan; Hugo Cabral (Neto Berola) e Walter. Técnico: Marcelo Cabo.

Avaí: Kozlinski; Guga, Betão, Marquinhos Silva e Iury Fernandes (Capa); Judson, Matheus Barbosa e Pedro Castro (Marquinhos); Renato, Daniel Amorim e Getúlio. Técnico: Geninho.

Local: estádio Rei Pelé, em Maceió (AL); Data: 17/11/18; Hora: 17h

Arbitragem: Ricardo Marques Ribeiro (MG); Guilherme Dias Camilo (MG) e Sidmar dos Santos Meurer (MG).

Publicidade

1 Comentário

Publicidade

Escolha seu time

  • Chapecoense
  • Criciúma
  • Figueirense
  • JEC
  • Avaí
Publicidade