Publicidade
Terça-Feira, 22 de Janeiro de 2019
Descrição do tempo
  • 31º C
  • 23º C

Rafaela Silva volta às origens no Pan-Americano de judô

LANCE!NET
Divulgação

Se 2013 marca o início de um novo ciclo olímpico, para a judoca Rafaela Silva a temporada serve para recomeçar a carreira. A desclassificação na Olimpíada de Londres, em 2012, por um golpe ilegal, ainda não saiu da cabeça. Após a tentativa de lutar em uma categoria acima, sem sucesso, ela está de volta aos 57kg. O Campeonato Pan-Americano deste fim de semana, em San José, na Costa Rica, é o primeiro passo para reconstruir o sonho de uma medalha olímpica.

Aos 20 anos (completa 21 na próxima quarta-feira), a atleta quer voltar a ser uma das principais competidoras de seu peso. Depois dos Jogos, ela subiu para a categoria até 63kg. Foram oito lutas em cinco competições, com apenas três vitórias e cinco derrotas. O melhor desempenho foi a medalha de bronze no Grand Slam de Tóquio (JAP), em dezembro do ano passado.

– Eu tinha problema para segurar o peso. Então, o pessoal da Confederação Brasileira de Judô perguntou o que eu achava de fazer um teste na categoria de cima. Se eu não me adaptasse, poderia voltar. Medalhei no Grand Slam do Japão no fim do ano passado, mas decidi voltar. Com as regras novas, estava tendo dificuldade porque as meninas são mais altas e isso as favorece. Agora, na minha categoria, sou uma das maiores – afirmou Rafaela ao L!.

Para 2013, algumas novas regras têm sido testadas na modalidade. A pesagem, que antes acontecia no dia da luta, ocorre na véspera. Dessa forma, alguns judocas conseguem entrar no tatame mais pesados.

O período em uma categoria acima fez Rafaela cair. A brasileira entrou na Olimpíada de Londres como quarta colocada no ranking mundial até 57kg. Hoje, é a sétima.

Nesse primeiro ano do ciclo, a judoca tem como principal objetivo um bom resultado no Mundial do Rio de Janeiro, no fim de agosto. Mas antes, o desafio é manter o título Pan-Americano (conquistou o ouro no ano passado, em Montreal, no Canadá). Tudo para se consagrar na Olimpíada no Rio, em 2016, e finalmente levar a tão sonhada medalha.

– Vou treinar forte nesses quatro anos e correr atrás da vaga olímpica. Disputar a Olimpíada dentro de casa seria sensacional. Vou lutar muito por isso – avaliou a brasileira.

FASE RUIM:

Olimpíada de 2012Rafaela Silva chegou à Olimpíada de Londres como uma das favoritas. Ela foi eliminada na segunda luta, contra Hedvig Karakas, da Hungria, por aplicar um golpe ilegal ao atacar a perna da adversária. A brasileira vencia o combate na categoria até 57kg. Depois, ela chegou a ser ofendida e se desentendeu com alguns torcedores no Twitter.

Categoria acimaApós os Jogos, a judoca passou a lutar na categoria até 63kg, mas não se adaptou. Em cinco competições (duas em 2013), conquistou uma medalha de bronze no Grand Slam de Tóquio (JAP), em dezembro. Agora, a brasileira está de volta à sua categoria.

CONFIRA UM BATE-BOLA EXCLUSIVO COM RAFAELA SILVA:

LANCE!Net: Já deu para digerir de vez a eliminação da Olimpíada de Londres?Rafaela Silva: Ainda é um pouco complicado. Não é uma coisa que acontece e você consegue esquecer facilmente. Na Olimpíada, você demora quatro anos para construir um objetivo e é o sonho de qualquer atleta. Nas competições normais, você pode perder, mas volta a competir logo. Já na Olimpíada é mais demorado.

L!Net: Mas já deu para perceber o que errou para ser desclassificada?RS: Não sei falar muito sobre isso. O que valia era tentar entrar com um golpe e, se a pessoa desequilibrasse, poderia entrar na perna. Entrei com um golpe e senti ela vindo nas minhas costas. Se ela mexeu, é porque desequilibrou. Então, entrei na perna. Como estava na luta, não vi como ela caiu. Não sei como viram de fora. Teve gente que falou que foi válido, outros técnicos falaram que não. Então é complicado avaliar. No momento, o árbitro deu o ponto. Mas o juiz de fora mandou voltar, disse que era para tirar o ponto e dar a vitória para a outra menina. Uma hora você está ganhando. Em outro instante, perde.

L!Net: Como está a expectativa para a disputa do Pan-Americano?RS: Estou treinando muito. Estava competindo (foram dois torneios em 2013). Depois da Olimpíada, competi na categoria até 63kg para ver se me adaptava. Então essa vai ser a minha primeira competição de volta à categoria até 57kg.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade

Escolha seu time

  • Chapecoense
  • Criciúma
  • Figueirense
  • JEC
  • Avaí
Publicidade