Publicidade
Terça-Feira, 20 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 25º C
  • 16º C

Polônia tem sorte e encara Colômbia, Senegal e Japão; Veja análise

Equipe do atacante Lewandowski não deve ter problemas para avançar na Copa do Mundo

LANCE!
Moscou (RUS)

A Polônia se deu bem no sorteio para a Copa do Mundo. Além de fugir de gigantes como Inglaterra e Espanha, caiu no Grupo H, com Colômbia, Japão e Senegal.

Polônia estreia diante do Senegal no 19 de junho, enquanto a Colômbia medirá forças com o Japão.

Na segunda rodada, a Polônia faz o duelo mais esperado da chave com a Colômbia. No mesmo dia 24, Senegal encara o Japão.

Por fim, os poloneses enfrentam o Japão no dia 28, enquanto a Colômbia pega o Senegal.

VEJA ANÁLISE DAS SELEÇÕES DO GRUPO H

POLÔNIA

Lewandowski e + 10


Após ausência nas duas últimas Copas, a Polônia qualificou-se ao vencer o grupo que tinha Dinamarca (que foi para a repescagem e avançou) e Romênia, com campanha de oito vitórias, um empate e uma derrota. Embora o time treinado por Adam Nawalka tenha qualidade e seja muito aplicado, todo o sucesso depende do seu único astro: o atacante Lewandowski.

Robert Lewandowski (Polônia)

Lewandowski é o cara da Polônia (Foto: AFP/MARTIN BUREAU)

O goleador é importante para o Bayern de Munique e vital para sua seleção. Prova disso é que fez gol em nove dos dez jogos das Eliminátorias europeias (no único jogo em que não marcou, o time levou de 4 a 0 da Dinamarca). Lewandowski fechou a campanha com 16 gols, recorde em Eliminatórias europeias. O problema é depender tanto de uma estrela solitária.

COLÔMBIA

Sem inspirar confiança

A campanha de altos e baixos nas Eliminatórias mostrou que o time – ainda treinado pelo ótimo José Pekerman, mas muito diferente daquele que foi eliminado pelo Brasil nas quartas em 2014 – precisa evoluir para não fazer figuração na Rússia. Houve uma notícia boa: Falcao García voltou a jogar muito bem após uma série de lesões e ele é bem mais eficaz do que Bacca ou Téo Gutiérrez no ataque.

Falcao García - Colômbia x Chile

Falcao é o camisa 9 da Colômbia (Foto: Luis Acosta / AFP)

Mas há várias notícias ruins, como a dependência total de James Rodríguez para criar qualquer coisa, a queda de qualidade da defesa, principalmente do goleiro Ospina (que não inspira a menor confiança), e o temperamento do curinga Cuadrado, importantíssimo no esquema, mas que não consegue segurar seu estilo explosivo, o que sempre indica possibilidade de cartões.

SENEGAL

Olho vivo nos Leões

Senegal protagonizou um jogo polêmico, quando foi derrotado pela África do Sul, fora. Mas a partida foi cancelada, pois havia indícios de manipulação. No jogo remarcado, venceu e se classificou, por antecipação, no Grupo da Morte africano, que tinha Burkina Faso, Cabo Verde e África do Sul. A campanha, que teve seis vitórias (incluindo duas sobre Madagascar no mata-mata da fase pré-grupos) e dois empates, ratificou a sua força.

Já garantido na Copa, Senegal fez a festa após bater a África do Sul por 2 a 1

Senegal vai à Copa após bater a África do Sul (Foto: SEYLLOU / AFP)

O time de Aliou Cissé é equilibrado, muito veloz, tem toque de bola refinado, um volante que faz às vezes de meia (Gueye (Everton) e seu principal jogador é Mané, companheiro de Philippe Coutinho no Liverpool. Ao lado da Nigéria, é a melhor seleção africana e deve jogar duro contra os favoritos.

JAPÃO

Seleção envelhecida


Bem menos eficaz em relação ao que mostrou nos últimos anos (o que já não foi grande coisa) , o Japão periga se tornar uma grande decepção. Embora a classificação não tenha sido dramática, seus resultados não animaram, cheios de triunfos apertados com gols no fim contra rivais fracos. O time é velho, com sete titulares na casa dos 30 anos (incluindo os mais conhecidos: Kawashima, Hasebe, Honda, Kagawa, Okazaki) e a nova geração demorando para engrenar.

Olha o bósnio Vahid Halilhodzic, treinador do Japão, chegando

Vahid Halihodzic, técnico japonês (Foto: KIRILL KUDRYAVTSEV / AFP)

Com o sinal de alerta ligado, o treinador Vahid Halilhodzic foi muito franco na véspera do amistoso contra o Brasil (perdeu por 3 a 1). Ele teme depender dos veteranos e, por isso, precisa fazer testes nos poucos jogos que restam e não tem o time base definido. Nuvens negras pairam no céu japonês.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade

Escolha seu time

  • Chapecoense
  • Criciúma
  • Figueirense
  • JEC
  • Avaí
Publicidade