Publicidade
Terça-Feira, 20 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 25º C
  • 16º C

Neymar? Coutinho? “Canarinho Pistola” vira símbolo da seleção no mundial

Mascote brasileiro virou febre entre os torcedores, jeito carismático chama a atenção

Ian Sell
Florianópolis
29/06/2018 às 22H21

A Copa do Mundo segue a todo vapor e você já deve ter visto, ou pelo menos ouvido falar do “Canarinho Pistola”, não? O mascote da seleção brasileira ganhou não só a torcida brasileira, como os jogadores e membros da comissão técnica do Brasil.

Seu nome pode enganar um pouco, “canarinho” faz qualquer um pensar em algo dócil e tranquilo, porém o mascote da seleção tem se mostrado um especialista em festa e agito. A expressão “pistola”, o uniforme amarelo de jogo e os quase dois metros de altura do personagem criado no fim de 2016 pela CBF (Confederação Brasileira de Futebol), não demoraram para virar um verdadeiro fenômeno nas redes sociais e viralizar com centenas de “memes”.

Canarinho Pistola só não driblou a Fifa e foi barrado nos estádios - Lucas Figueiredo/CBF/ND
Canarinho Pistola só não driblou a Fifa e foi barrado nos estádios - Lucas Figueiredo/CBF/ND


Durante as eliminatórias para a Copa do Mundo da Rússia, a CBF produziu ações com o mascote nas ruas, o personagem costuma fazer embaixadinhas e interagir com crianças. A expressão “irritada” não causou medo, muito pelo contrário, se mostrou a chave do sucesso.

Futebol Raíz

A boa fase da seleção  brasileira com Tite  (o treinador não perdeu nenhum dos jogos oficiais que disputou após assumir a seleção em 2016) resgatou o orgulho do torcedor brasileiro, algo que havia sido perdido após o vexame do 7x1 em 2014. O chamado “futebol raíz” como os torcedores gostam de dizer, voltou, e a imagem do canarinho foi associada a isso. Na cabeça dos torcedores, a falta de sorrisos do mascote funciona com uma imposição do respeito que a seleção pentacampeã do mundo precisa passar.

O mascote virou um talismã para a seleção. Nos jogos, o canarinho se posiciona nos corredores de acesso aos vestiários, cumprimentando um a um, jogadores, membros da comissão técnica e dirigentes. Os jogadores se mostram empolgados com o personagem, as fotos em redes sociais, além das risadas arrancadas em cada partida mostram isso. O canarinho virou “parça” de Neymar e companhia.

Partiu, Rússia!

Como não poderia ser diferente, o querido mascote  rumou com a seleção rumo a Sóchi, na Rússia, local que é a sede do Brasil durante o mundial. Mesmo impedido pela FIFA (Federação Internacional de Futebol) de entrar nos estádios, ele já se tornou o “12° jogador” do time de Tite, com direito até mesmo a bandeira da torcida brasileira com os dizeres “Fiel Canarinho”.

Os torcedores fizeram festa na chegada da delegação nas partidas em Rostov (Brasil x Suíça), São Petesburgo (Brasil x Costa Rica) e Moscou (Sérvia x Brasil).  Porém, um pequeno probleminha em Moscou quase levou preso nosso querido mascote (isso mesmo, você não está lendo errado).

Quase 400 pessoas acompanharam a chegada do Brasil em Moscou, com direito, mais uma vez, a muita festa da torcida na porta do hotel. O mascote brasileiro acabou se empolgando demais com o evento e foi detido por seguranças que faziam a monitoria do local por estar escalando uma grade. A alegação foi de que o Pistola estava no caminho da passagem que os jogadores iriam percorrer quando desembarcassem, além de estar “agitando demais” os torcedores presentes.

Foi preciso uma pessoa do staff da CBF ir até a direção do hotel explicar a situação aos funcionários, assim, quase uma hora depois  o mascote foi  liberado e voltou a farra, se enfiou no meio da galera e ainda foi pego tocando bateria com a torcida e puxando cânticos enaltecendo o Brasil e ‘zoando’ rivais.

Se o título vira ou não ainda não se sabe, porém, a chuva de “memes” e o riso do torcedor provam que a copa da Rússia com certeza ficará marcada como a “copa do Canarinho Pistola”.

Publicidade

1 Comentário

Publicidade

Escolha seu time

  • Chapecoense
  • Criciúma
  • Figueirense
  • JEC
  • Avaí
Publicidade