Publicidade
Domingo, 16 de Dezembro de 2018
Descrição do tempo
  • 31º C
  • 23º C

Mateus Herdy é vice-campeão no Hawaiian Pro e fica perto da elite do surfe mundial

Surfista catarinense ocupa a última das 10 vagas do ranking do circuito de acesso

Redação ND
Florianópolis
18/11/2018 às 15H40

Com apenas 17 anos, o catarinense Mateus Herdy pode ser a surpresa brasileira na elite do surfe mundial em 2019. No sábado, o surfista da Praia da Joaquina só foi superado pelo veterano australiano Joel Parkinson na final do Hawaiian Pro, primeira etapa da Tríplice Coroa Havaiana e penúltima etapa da temporada do WQS (World Qualifying Series), o circuito de acesso à elite.

Mateus Herdy só foi superado pelo australiano Joel Parkinson - Foto Keoki Saguibo/WSL
Mateus Herdy só foi superado pelo australiano Joel Parkinson - Foto Keoki Saguibo/WSL


Com o vice-campeonato nas ondas de Haleiwa, Mateus Herdy subiu para a 12ª colocação do WQS e estaria classificado com a última vaga do ranking que classifica 10 surfistas para a elite do surfe mundial, o WCT (World Championship Tour). Porém, o jovem surfista terá que decidir se defende essa colocação na última etapa, em Sunset Beach, a partir da próxima semana, ou se viaja para Taiwan para briga pelo título mundial da categoria Pro Júnior. No sábado, Mateus superou surfistas mais experientes como os brasileiros Filipe Toledo e Jessé Mendes, e só foi derrotado na final depois que o australiano Joel Parkinson arrancou dos juízes a maior nota da bateria, com 9,33.

“Eu estou muito feliz e nem sei expressar toda essa emoção que estou sentindo. Parece até melhor do que a vitória”, disse Mateus Herdy. “Eu vim aqui só para passar algumas baterias e chegar na final com um ídolo como o Joel (Parkiinson), é quase inacreditável. Eu estava preparado para surfar aqui, mas não esperava tanto e quero agradecer a força dos brasileiros e a todos aqui na praia. Foi um dia incrível para mim, obrigado”, disse Mateus, que é sobrinho do surfista de Niterói, Guilherme Herdy, ex-integrante da elite do surfe mundial.

O Hawaiian Pro também foi de festa para dois brasileiros. O paranaense Peterson Crisanto não chegou ao último dia de competição, mas garantiu vaga na elite, assim com o paulista Deivid Silva, quarto colocado na final do Hawaiian Pro. “Este é um dos melhores dias da minha vida, certamente o mais importante da minha carreira”, disse Deivid Silva. “Eu batalhei muito por isso e quero agradecer todos que apoiaram, acreditaram em mim, toda minha família, amigos, patrocinadores, mas eu só procurei fazer o meu melhor nas baterias. Tentei meu melhor em cada onda e agora veio a recompensa pelo trabalho e estou muito feliz”.

Além de Crisanto e Silva, o Brasil já tem outros cinco surfistas garantidos na elite do surfe mundial em 2019: Gabriel Medina, Filipe Toledo, Italo Ferreira, Willian Cardoso e Michael Rodrigues. As últimas vagas serão definidas no Vans World Cup, em Sunset Beach, pelo WQS, e no Pipeline Master, etapa decisiva do WCT.  

Brasileiro foi vice-campeão do Hawaian Pro  - Foto Tony Heff/WSL
Brasileiro foi vice-campeão do Hawaian Pro - Foto Tony Heff/WSL


Resultados do Hawaiian Pro:

1º Joel Parkinson AUS 17,36

2º Mateus Herdy BRA 15,83

3º Ricardo Christie (NZL) 15,83

4º Deivid Silva (BRA) 15,36

 

Ranking do WQS:

1º: Kanoa Igarashi (JPN) – 24.750**

2º: Seth Moniz (HAV) – 22.200*

3º: Ryan Callinan (AUS) – 20.460*

4º: Deivid Silva (BRA) – 19.860*

5º: Peterson Crisanto (BRA) – 19.350*

6º: Griffin Colapinto (EUA) – 19.050**

7º: Ricardo Christie (NZL) – 17.700

8º: Leonardo Fioravanti (ITA) – 16.600

9º: Jadson André (BRA) – 14.160

10º: Ethan Ewing (AUS) – 14.030

11º: Jorgann Couzinet (FRA) – 13.660

12º: Mateus Herdy (BRA) – 12.960

*Confirmado na elite em 2019 pelo WQS

** Confirmado na elite em 2019 pelo WCT

Publicidade

0 Comentários

Publicidade

Escolha seu time

  • Chapecoense
  • Criciúma
  • Figueirense
  • JEC
  • Avaí
Publicidade