Publicidade
Sábado, 22 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 18º C

Homens de gelo: histórias da Seleção que você queria ler até em russo

LANCE! inicia neste domingo série de perfis dos convocados de Tite que vão em busca do hexa da Copa do Mundo na Rússia. Temperatura máxima, mas nem tanto assim

LANCE!
São Paulo (SP)

Nas duas últimas Copas do Mundo, o fracasso da Seleção Brasileiro foi ligado diretamente à cabeça dos jogadores. Não por um gol que deixou de ser feito ou um cruzamento cortado, mas por fragilidade mental. A expulsão de Felipe Melo contra a Holanda em 2010, o choro de Thiago Silva em 2014 contra o Chile. Cenas que simbolizaram ou serviram de pretexto para as derrotas dentro de campo, e que a comissão técnica de Tite, responsável por conduzir o Brasil ao sonho do hexa na Rússia, pretende exterminar com seus " 23 homens de gelo".

Porque é indiscutível a vocação vencedora desse grupo, formado em quase sua totalidade por jogadores dos clubes mais poderosos do mundo, com currículos recheados de conquistas, fatores que lhe conferem a frieza daqueles acostumados ao sucesso. Sim, Tite acredita ter um grupo muito frito em mãos e pudemos identificar isso indo na raiz da formação dos atletas. Mas como isso foi construído? De onde vem a frieza desses homens que carregam o sonho de milhares de pessoas? Pelo que precisaram passar? Quem são os que mais causam preocupação na comissão? Marcelo e Neymar, por exemplo, são as referências técnicas, os mais diferenciados, mas há cuidado pela auto-confiança fruto do talento que pode gerar acomodação durante os jogos. Sempre foram craques e até isso pode pesar. Como prever?

É isso que "Homens de Gelo", série produzida pelo LANCE! que será publicada diariamente a partir deste domingo até a estreia do Brasil na Copa, daqui 15 dias, tentou captar ou ao menos contribuir para o entendimento. Durante as últimas semanas, mergulhamos nas histórias dos convocados, do sucesso prematuro de Neymar à pobreza e extrema humildade de Roberto Firmino. Foram ouvidos técnicos, ex-companheiros de time, profissionais de clubes, amigos e familiares, cujos depoimentos serviram de fonte para traçar um perfil da Seleção que vai à Rússia e criar um termômetro de cada um dos que terão histórias contadas. A maioria foi considerada precoce, maduros acima da média para a pouca idade. Educados, "bons de grupo", "disciplinados", termos com os quais nos deparamos muitas vezes e você verá no decorrer da série.

Para potencializar a compreensão, cada história virá acompanhada da temperatura do jogador, sendo que quanto mais frio, menos perigo de explosão. Em tese. Porque a comissão técnica da Seleção é ciente de que o trabalho é para minimizar riscos de as coisas desandarem pela cabeça, mas não há receita que garanta a imunidade.

- O aspecto psicológico é fundamental. Mentalmente precisa ser muito forte, aguentar as pressões que vão ter. Por resultados. Todos vão ajudar, porque vivenciaram experiências únicas que se aprende empatando, ganhando e perdendo. Depende da nossa capacidade de absorver essas coisas. Como os remanescentes de 2014 vão passar isso para a gente, de como é estar mentalmente preparados, eles estão um passo à frente nesse sentido - analisou Tite, durante a preparação para a Copa.

As 15 histórias contadas representam o que Tite buscou como unidade de grupo. São os atletas que formam a espinha dorsal da Seleção que disputará seu 21º Mundial em busca do 6º caneco. São os que devem ter mais participação durante a campanha, como apontaram os últimos testes antes da Copa. Alisson, personagem de abertura, Danilo, Fagner, Thiago Silva, Miranda, Marquinhos,Marcelo, Casemiro, Paulinho, Renato Augusto, Fernandinho, Philippe Coutinho, Willian, Gabriel Jesus, Roberto Firmino e Neymar. Que são também Ederson, Cássio, Geromel, Filipe Luis, Fred, Taison e Douglas Costa.

Ao longo da série, você conhecerá histórias inéditas da vida profissional de alguns deles. Outras, já públicas, mas com olhar diferenciado de quem conviveu de perto, e com o contexto da Copa. Poderá entender melhor como Alisson suplantou o irmão mais velho, também goleiro, para ser uma espécie de sucessor de Taffarel na escola colorada de goleiros. Como uma reunião de crianças no condomínio mostra outra face de Fagner, odiado por adversários. O drama de Thiago Silva na Rússia. O talento absurdo e precoce de Marcelo. A rodada de pizza renegada por Casemiro. A solidariedade de Willian em meio à morte. A viagem refugada que mudou a vida de Firmino. O canadense que poderia ter acabado com o sonho de Gabriel Jesus. A coincidência que pode valer a eternidade para Neymar e os demais.

Terra congelada por natureza, a Rússia terá temperaturas amenas durante a Copa do Mundo. Será verão. E será nesse cenário que os "homens de gelo" de Tite tentarão tocar o céu.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade

Escolha seu time

  • Chapecoense
  • Criciúma
  • Figueirense
  • JEC
  • Avaí
Publicidade