Publicidade
Quarta-Feira, 16 de Janeiro de 2019
Descrição do tempo
  • 32º C
  • 23º C

Hemerson Maria, o filho do Procasa

Treinador campeão estadual pelo Avaí é o orgulho da comunidade josefense

Matheus Joffre
Florianópolis

Fernando Mendes/ND
Ao lado do pai José Maria, Hemerson visita a comunidade onde cresceu

O abraço carinhoso do pai, o cumprimento emocionado de um vizinho e o sorriso sincero das crianças. Campeão estadual pelo Avaí, Hemerson Maria não é apenas unanimidade como treinador do Leão. Nascido e criado no bairro Procasa, em São José, o técnico avaiano também é o orgulho da comunidade onde morou por três décadas.
Um dia depois de conquistar o título catarinense, Hemerson Maria não mudou em nada sua rotina. A segunda-feira de folga começou com um programa em família. O treinador passou a manhã com a esposa Eliane e a filha Hérika no apartamento onde moram, em Barreiros. À tarde, o comandante azurra visitou os pais José Maria e Maria Marlene no Procasa e foi recebido com carinho pelos moradores.  “Sou um filho do Procasa. Minha história está toda aqui”, afirmou.
Bastante querido por todos no bairro, o técnico avaiano retribuía cada palavra e cada gesto de afeto com a mesma intensidade.  “A melhor coisa é esse reconhecimento. Todos têm muito carinho pela nossa família aqui no bairro. Sempre tratamos todos iguais, nunca arrumamos confusão com ninguém, ajudamos quem estava em dificuldades”, revelou.
Apesar da badalação, o treinador do Leão mantinha a simplicidade e a serenidade de sempre. “É um momento especial. Mas ainda não podemos chamar de sucesso. Sucesso é algo mais duradouro. O que estou vivendo é um momento de fama. Mas o mais importante é que essas pessoas sempre estiveram do meu lado, tanto nas horas boas, quanto nas ruins”, avaliou. “É um carinho sincero”, ressaltou.
Entre um abraço e outro, Hemerson Maria caminha tranquilamente pelas ruas do bairro josefense. Mistura-se às pessoas e integra-se ao cenário. Um filho legítimo do Procasa.

Das peladas para glória na Ressacada

Nascido em uma família de boleiros, Hemerson Maria sempre sonhou em ser jogador de futebol. Estudava de manhã e, depois do almoço, passava a tarde toda jogando bola com os amigos do bairro. 
Descalço e sem camisa para não sujar a roupa, driblava, marcava gols e sonhava no extinto campinho do Procasa.  “Ele sempre teve esse sonho, os tios jogam futebol amador, tem um que treina as categorias de base do Guarani da Palhoça. Eu sempre apoiei. Só brigava quando ele voltava com o pé preto e não queria tomar banho”, revelou José Maria em tom de brincadeira.
Dos 7 aos 20 anos, Hemerson Maria atuou nas categorias de base do Figueirense. Aos 23, desistiu da carreira de jogador por “falta de técnica” e decidiu ser treinador. Engajado socialmente, começou em um projeto social em Antônio Carlos, em 1995. Passou por alguns times amadores da Grande de Florianópolis e pelo Guarani da Palhoça e trabalhou dez anos na base do Figueirense.
Em fevereiro do ano passado, foi convidado para trabalhar nas categorias de base do Avaí. A oportunidade para assumir o time profissional surgiu após a saída do técnico Mauro Ovelha. Com seis vitórias e dois empates, levou o Leão a conquistar seu décimo sexto título estadual e escreveu seu nome na história do Avaí.

Hemerson Maria tem o pai e o avô como exemplos

Filho mais velho de uma família de cinco irmãos, Hemerson Maria tem o pai, José Maria, e o avô, o falecido Osório, como fonte de inspiração. O comandante azurra faz questão de ressaltar a importância de ambos em sua formação.
O treinador chega a emocionar-se ao relembrar os aprendizados que recebeu durante a infância. “Meu pai e meu avô são meus dois maiores exemplos. Devo tudo o que sou hoje à minha família e, principalmente, a eles. Aprendi todos os valores que tenho com eles”, contou. “Meu avô é avaiano e queria muito dedicar esse título a ele”, revelou.
Antes da festa do título, domingo, no Majestic, o técnico avaiano fez questão de passar em casa para dar um abraço nos familiares. “Foi o dia mais feliz da minha vida. Estávamos todos em casa vendo o jogo. Depois, ele chegou de surpresa e foi uma festa só”, lembrou José Maria. “Não tem dinheiro no mundo que pague uma alegria dessas”, completou.

Treinador quer servir de exemplo para jovens da comunidade

Único bairro de Florianópolis que tem uma olimpíada comunitária, o Procasa já revelou vários atletas, como o jogador Rudnei, ex-Avaí e Figueirense, e o preparador de goleiros do Peçanha, do Figueirense. No entanto, a comunidade convive até hoje com a violência e com o tráfico de drogas.
Cenário que Hemerson Maria pretende mudar servindo como exemplo para os jovens da comunidade. “Aqui a nossa comunidade é muito boa, mas ainda tem um pouco de violência, de drogas. Então, tento servir como exemplo e passar para a gurizada que se pode vencer na vida com honestidade”, afirmou.


Publicidade

0 Comentários

Publicidade

Escolha seu time

  • Chapecoense
  • Criciúma
  • Figueirense
  • JEC
  • Avaí
Publicidade