Publicidade
Sábado, 22 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 18º C

Grupo com 36 atletas da Grande Florianópolis se prepara para o Patagonia Run

Segunda maior competição de running trail do mundo é atração entre atletas de todos os cantos do planeta; grupo local treina desde setembro de 2017

Diogo de Souza
Florianópolis
02/02/2018 às 21H01

Você teria coragem de encarar 10km de corrida em um terreno instável, que mistura pedra, trilha, areia e com subida? Parece simples e talvez até seja. Mas e se a distância for de 42km, acha pouco ainda? Tudo bem, tem ainda 80 e 100km. Se ainda não estiver satisfeito há um trecho de 160km que é o ideal para você.

Esse leque de desafios não é uma brincadeira. Pelo contrário, é uma competição denominada Patagonia Run, que acontece em San Martín de Los Andes-ARG, no mês de abril, reúne atletas, competidores e turistas de todo os cantos, no evento considerado o segundo maior de trail running do planeta.

Florianópolis, a capital no Brasil com o maior índice de prática de esporte ao ar livre, terá sua representação. Serão 36 atletas da capital e região Metropolitana nos dias 6 e 7 de abril, na Argentina. Pode ser que pareça distante, mas a verdade é que para quem vai competir a data não só está em cima, como pensa nela semanalmente desde setembro de 2017.

Atletas em preparação para o Patagonia Run - Marco Santiago/ND
Atletas em preparação para o Patagonia Run - Marco Santiago/ND


“É um trabalho que inicia com seis a oito meses de antecedência. Poucos atletas vão para o rendimento e a maior parte vai para performance mas, mesmo assim, é preciso todo um trabalho de preparação”, explicou Fabiano Braun, treinador e responsável por uma assessoria esportiva em Florianópolis.

Tamanho desafio é reconhecido mundialmente. O Patagonia Run é a maior competição da modalidade em toda América e é visada mundialmente já que, na escala da dificuldade, antecede e credencia à principal prova do mundo, a Ultra Trail du Mont Blanc, na França.

Dos percursos disponíveis na Argentina – 10k, 21k, 42k, 80k, 100k e 100 milhas (160k) – a equipe da grande Florianópolis será representada em quase todas, exceção a 100 milhas. Fabiano lembra que a procura pela Patagonia Run, em Florianópolis, também acontece em função do relevo no litoral que, em determinados pontos, se assemelha – e facilita – à participação no evento.

“Na nossa preparação montamos ciclos de treinos onde simulamos situações que vão acontecer lá. Grama, estrada de chão, praia, trilha, enfim, todos os tipos de terreno que temos e vivenciamos aqui. [...] O mais legal é que não é só correr. As provas têm muita trilha, muita subida e o que chamamos de single track, que são trechos onde passa apenas uma pessoa e assim formam-se longas filas”, explicou Braun.

Fabiano, que assessora e treina a equipe que vai ao evento, lembra que, embora o tempo e toda preparação necessária, trata-se de um desafio alcançável. “Basta querer”, resumiu.

O quê: Patagonia Run

Quando: 6 e 7 de abril

Onde: San Martín de Los Andes – Argentina

Para quem: Corredores e atletas de trail running

Percursos: 10km, 21km, 42km, 80km, 100km e 100 milhas (160km)

Quanto: Inscrição: mil dólares por pessoa

Inscrição: https://www.patagoniarun.com/edicion/inscripciones/?id=7

Clima "diferente" e caminho "desconhecido" são apontados como grandes desafios

A julgar pelos percursos elencados no início da matéria, os desafios vão muito além da distância. O clima, o terreno e tudo que envolve outro canto do continente são lembrados por atletas que já experimentaram a sensação do Patagonia Run. A enfermeira Tatiana Rassele, 36, que participou no ano passado, corrobora essa tese ao lembrar da aventura. 

"Realizar os treinos no clima que temos aqui acaba sendo muito diferente das condições de lá junto ao percurso que, até então, era desconhecido", lembrou a atleta. 

Há uma outra face pontuada pela enfermeira, que diz respeito ao lugar em questão. "Além das paisagens exuberantes, o evento proporciona interação com corredores do mundo inteiro. O contato com a natureza é constante e apresenta lindas paisagens durante todo o percurso. O clima agradável, a recepção do local e a organização da prova nos deixa com vontade de voltar todo o ano", acrescentou.

Estima-se que para a época do ano na Argentina, os atletas encarem uma temperatura média entre 4ºC e 10ºC. 

Atleta de 36 anos e a participação no Patagonia Run - divulgação/ND
Tatiana Rassele, 36 anos, e sua a participação no Patagonia Run - divulgação/ND



Publicidade

0 Comentários

Publicidade

Escolha seu time

  • Chapecoense
  • Criciúma
  • Figueirense
  • JEC
  • Avaí
Publicidade