Publicidade
Quarta-Feira, 14 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 30º C
  • 22º C

Duda é eleita melhor do mundo no vôlei de praia e quebra recorde

Pela sexta vez desde a criação do prêmio uma brasileira foi escolhida a melhor do mundo. Já Ágatha levou a melhor nas categorias  ‘atleta mais inspiradora’ e 'desportista do ano'<br>

LANCE!
Rio de Janeiro (RJ)

(Foto: Divulgação FIVB)
(Foto: Divulgação FIVB)


A Federação Internacional de Voleibol (FIVB) divulgou nesta terça-feira a lista das melhores do mundo da temporada 2018 do Circuito Mundial de vôlei de praia. A sergipana Duda, 20 anos, venceu a principal categoria e quebrou um recorde ao se tornar a atleta mais jovem a conquistar o prêmio.

Além disso, pela sexta vez desde 2005, quando o prêmio foi criado, uma atleta brasileira foi escolhida a melhor do mundo.

Duda também venceu outras duas categorias: ‘melhor jogadora ofensiva’ e ‘melhor ataque’. Sua parceira, a medalhista olímpica Ágatha, foi eleita ‘atleta mais inspiradora’ e desportista do ano’. A votação é realizada por atletas, árbitros, técnicos e delegados oficiais da FIVB.

– Eu estou arrepiada. Passa um filme na cabeça. Estou muito feliz por esse reconhecimento. Só seria possível com o apoio da Ágatha, da nossa comissão técnica, e da minha mãe (Cida Lisboa), minha maior incentivadora e primeira treinadora. O principal foi acreditar sempre, saber que trabalhando, nada é impossível. Mudei de São Cristóvão (SE) para o Rio de Janeiro (RJ) muito jovem, são cidades completamente diferentes, e tudo isso valeu demais. Motiva ainda mais para buscar os próximos objetivos – disse Duda.

Ágatha, medalhista olímpica e campeã mundial, também comentou as premiações recebidas na votação. A paranaense de 35 anos venceu o Circuito Mundial e o World Tour Finals da atual temporada junto de Duda, compartilhando experiência e os ‘atalhos’ da quadra com a parceira. Foram as primeiras premiações individuais no tour internacional.

– Durante toda minha carreira, sempre busquei ter uma relação legal com as outras atletas, árbitros. Sabemos quanto é difícil ser um jogador de alto nível, como precisamos nos dedicar e abdicar de muitas coisas. Por isso, faço muita festa no pódio, brinco com as meninas mais novas, tendo transmitir a elas quão importante é aproveitar esse momento da conquista, das medalhas. Acho sensacional receber um prêmio como esse, receber esse olhar de alguém que inspira os demais jogadores – comentou Ágatha, que completou.

– Acompanhar esse crescimento da Duda também é muito gratificante. Sentir quanto ela cresceu e quanto ainda pode crescer, estar ao lado dela na quadra, tentando passar um pouco da minha experiência, ajudando e sendo ajudada. É o reflexo de muito comprometimento, do apoio que temos de uma comissão técnica muito profissional.

Duda já havia vencido um prêmio em 2016, quando foi escolhida a novata da temporada. A dupla Ágatha/Duda venceu 75% dos jogos na temporada (45-15), tendo conquistado dois ouros (Itapema e Hamburgo), uma prata (Moscou) e um bronze (Varsóvia). O Brasil é o país com mais prêmios na pós-temporada, tendo vencido 118 categorias desde 2005.

PREMIAÇÃO COMPLETA
Melhor jogadora: Duda (BRA)
Melhor bloqueio: Brandie Wilkerson (CAN)
Jogadora que mais evoluiu: Artacho del Solar (AUS)
Melhor jogadora ofensiva: Duda (BRA)
Melhor ataque: Duda (BRA)
Melhor jogadora defensiva: Heather Bansley (CAN)
Melhor saque: Taliqua Clancy (AUS)
Melhor levantamento: Melissa Humana-Paredes (CAN)
Mais inspiradora: Ágatha (BRA)
Esportista do ano: Ágatha (BRA)
Melhor novata: Tina Graudina (LAT) e Svetlana Kholomina (RUS)

Publicidade

0 Comentários

Publicidade

Escolha seu time

  • Chapecoense
  • Criciúma
  • Figueirense
  • JEC
  • Avaí
Publicidade