Publicidade
Sábado, 22 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 18º C

Dez tenistas da Rio 2016 irão disputar o WTA de Florianópolis a partir deste sábado

Última competição do calendário antes dos Jogos, torneio ao nível do mar e em quadras rápidas serve de adaptação para atletas olímpicas

Matheus Joffre
Florianópolis

Último torneio WTA antes das Olimpíadas, o Brasil Tennis Cup começa neste sábado (30), em Florianópolis, e servirá como treino de luxo para dez tenistas que irão disputar os Jogos do Rio de Janeiro na semana seguinte. As atletas devem aproveitar o nível do mar e as quadras rápidas da Federação Catarinense de Tênis – mesmo tipo de piso da Rio 2016 – para fazerem a aclimatação e se adaptarem às condições que encontrarão na capital fluminense. 

Cristiano Andujar/Divulgação
Brasileira Teliana Pereira defende o título do Brasil Tennis Cup

 

Além das brasileiras Teliana Pereira, atual campeã do WTA de Florianópolis, e Paula Gonçalves, a lista de tenistas que vão disputar os Jogos Olímpicos inclui as romenas Irina Camelia Begu e Monica Niculescu, campeã da primeira edição do torneio, a francesa Caroline Garcia, a letã Jelena Ostapenko, a cazaque Yulia Putintseva, a húngara Timea Babos, a porto-riquenha Monica Puig, entre outras."Não vejo a hora de vir e jogar no Brasil, já que ouvi tantas coisas interessantes sobre esse belo país. Eu também estou ansiosa para me acostumar com as condições porque realmente quero ter bons resultados, tanto em Florianópolis quanto no Rio, nos Jogos Olímpicos”, projetou Jelena Ostapenko. 

A quarta edição do WTA de Florianópolis distribuirá US$ 250 mil de premiação e será uma das mais fortes tecnicamente, comparada aos anos anteriores. Sete das 22 tenistas da chave principal fazem parte do top 60 do ranking mundial de simples. Ao todo, as jogadoras classificadas diretamente reúnem 21 títulos de simples e 49 de duplas. O torneio, pela primeira vez, contará com duas ex-campeãs de simples: a atual vencedora, a brasileira Teliana Pereira, e a romena Monica Nicolescu, que conquistou a primeira edição em 2013, além da alemã Laura Siegemund, campeã nas duplas no ano passado ao lado de sua conterrânea Annika Beck – que também estava inscrita, mas desistiu de última hora.

Cristiano Andujar/Divulgação
Campeã da primeira edição em 2013, romena Monica Nicolescu está de volta

 

A melhor ranqueada do torneio de acordo com a lista é a romena Irina Camelia Begu, 30ª do mundo, que vive a melhor temporada da carreira. Além dela, o evento traz a Florianópolis novamente a francesa Caroline Garcia, atual número 31 de simples e 3 de duplas da WTA, que conquistou neste ano o título de duplas em Roland Garros e a ex-número 1 do mundo Jelena Jankovic. “O torneio vai ser tecnicamente o mais forte de todas as edições, onde a gente tem duas campeãs voltando ao torneio para defender o título, temos uma campeã de Grand Slam neste ano, que é a Caroline Garcia, que ganhou Roland Garros em duplas,uma ex-número 1 do mundo, além de ser um torneio preparatório para as Olimpíadas, muitas jogadoras que vão jogar também vão participar da Rio 2016”, avaliou o diretor do WTA de Florianópolis, Rafael Westrupp.

 

Brasileira defende título

A brasileira Teliana Pereira retorna a Florianópolis para disputar a sua quarta edição do torneio e defende o título que a colocou no melhor ranking da carreira no ano passado, ao entrar pela primeira vez no top 50. Com a conquista na capital catarinense, a pernambucana tornou-se a primeira brasileira a ganhar um título WTA em solo nacional em 28 anos. "Foi inesquecível ganhar em 2015 com minha família me assistindo e o povo brasileiro vibrando na arquibancada", recordou.

Atual número 94 do mundo, Teliana não vem conseguindo repetir o ótimo ano de 2015, quando, além do título do Brasil Tennis Cup, também foi campeã do WTA de Bogotá. A brasileira vem de duas derrotas na primeira fase nos WTA da Romênia e da Suécia. Antes, perdeu para a líder do ranking mundial, a americana Serena Williams, na segunda fase de Roland Garros, e caiu na primeira fase de Wimbledon para a também americana Varvara Lepchenko, 64 do mundo. “Tive alguns dias de preparação em Curitiba com toda minha equipe antes de embarcar para Floripa e Rio. Precisava desse tempo para descansar e recarregar as energias. Estou indo sem expectativas. Quero pensar jogo a jogo, fazer o meu melhor sem pensar no resultado. Vejo como uma boa preparação para a Olimpíada e depois para o US Open também”, projetou. 

Torneio acessível para os fãs de tênis

Depois de ser realizado no saibro do Costão do Santinho no ano passado, o Brasil Tennis Cup retorna às quadras rápidas da Federação Catarinense de Tênis, na avenida Beira-mar Norte, bem mais acessível ao público fã do tênis feminino. Quem quiser acompanhar os jogos do WTA de Florianópolis não precisará mais comprar ingressos. A entrada será mediante a doação de 2 kg de alimentos não-perecíveis. 

As doações serão entregues às entidades beneficentes Casa Lar Emaús e Pastoral das Crianças do Saco dos Limões. A troca dos alimentos pela entrada no torneio poderá ser feita a partir da abertura dos portões, que será às 9h. Ao todo, serão liberados mil acessos por dia. Outra novidade desta edição é a volta dos jogos noturnos, a partir das 18h, para atrair maior público. 

Cristiano Andujar/Divulgação
Retorno à Federação Catarinense e jogos à noite devem atrair maior público

 

Representante manezinha

Pelo quarto ano, a tenista Nanda Alves representará Florianópolis no Brasil Tennis Cup. A atleta de 33 anos e número 935 do mundo recebeu novamente o Wild Card para a disputa do qualifying, assim como a paulista Luisa Stefani, de 18 anos e 991 do ranking.

A paulista radicada em Balneário Camboriú, Bia Maia, também irá disputar o quali. No ano passado, a tenista de 20 anos e atual 355 do mundo entraria direto na chave principal do torneio catarinense, mas não se recuperou a tempo de uma lesão no ombro e ficou fora. 

Serviço

O quê: Brasil Tennis Cup

Onde: Federação Catarinense de Tênis - Beira Mar Norte

Quando: 30 e 31/07 - Qualifying / De 31/07 a 05/08 - Chave Principal

Como: Entrada gratuita com a doação de dois quilos de alimentos não-perecíveis

Programação:

Sábado (30/07) - jogos de quali  a partir das 10h

Domingo (31/07) - jogos de quali a partir das 10h e jogos da chave principal a partir das 14h. Rodadas noturnas a partir das 18h.

Segunda-feira (01/08) - chave principal a partir das 10h30. Rodadas noturnas a partir das 18h.

Terça-feira (02/08) - chave principal a partir das 10h30. Rodadas noturnas a partir das 18h.

Programação de quarta e quinta-feira a ser divulgada na terça-feira dia 02/08

Sexta-feira (05/08) - Final a partir das 11h.

 

Chave Principal

Irina Camelia Begu (ROU) - 30

Caroline Garcia (FRA) - 31

Monica Puig (PUR) - 37

Jelena Ostapenko (LAT) - 40

Yulia Putintseva (KAZ) – 43

Timea Babos (HUN) - 44

Monica Niculescu (ROU) – 61

Nao Hibino (JPN) – 75

Mariana Duque Marino (COL) – 81

Naomi Osaka (JPN) – 87

Teliana Pereira (BRA) – 94

Kristina Kucova (SVK) – 121

Ana Bogdan (ROU) – 123

Veronica Cepeda Royg (PAR) - 124

Paula Gonçalves (BRA) – 178

Anastasia Pivovarova (RUS) - 182

Alize Lim (FRA) – 187

Catalina Pella (ARG)  - 199

Olga Savchuk (UCR) – 203

Tereza Martincova (CZE) – 227

Laura Puos-Tio (ESP) – 233

 

Indy De-Vroome (HOL) – 273

 

Irina Camelia Begu (ROU) - 30 Caroline Garcia (FRA) - 31 Monica Puig (PUR) - 37 Jelena Ostapenko (LAT) - 40 Yulia Putintseva (KAZ) – 43 Timea Babos (HUN) - 44 Monica Niculescu (ROU) – 61 Nao Hibino (JPN) – 75 Mariana Duque Marino (COL) – 81 Naomi Osaka (JPN) – 87 Teliana Pereira (BRA) – 94 Kristina Kucova (SVK) – 121 Ana Bogdan (ROU) – 123 Veronica Cepeda Royg (PAR) - 124 Paula Gonçalves (BRA) – 178 Anastasia Pivovarova (RUS) - 182 Alize Lim (FRA) – 187 Catalina Pella (ARG) - 199 Olga Savchuk (UCR) – 203 Tereza Martincova (CZE) – 227 Laura Puos-Tio (ESP) – 233 Indy De-Vroome (HOL) – 273

Publicidade

0 Comentários

Publicidade

Escolha seu time

  • Chapecoense
  • Criciúma
  • Figueirense
  • JEC
  • Avaí
Publicidade