Publicidade
Sábado, 17 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 28º C
  • 21º C

De virada, Brasil derruba a Turquia e continua invicto no Mundial de Vôlei

Seleção reverte desvantagem de 2 a 0 e mantém aproveitamento de 100% na Itália

LANCE!NET
Divulgação

 

"Depois não adianta chorar". Zé Roberto deu o recado às suas comandadas no momento de maior pressão sofrido pela Seleção Brasileira no Campeonato Mundial Feminino de Vôlei. Neste sábado, as atuais campeãs olímpicas assimilaram as orientações do comandante e tiveram tranquilidade para virar o jogo contra a Turquia e vencer por 3 sets a 2, com parciais de 17-25, 22-25, 25-19, 25-21 e 15-10, em Trieste (ITA), pelo Grupo B.

Dizer que a Turquia surpreendeu o Brasil seria menosprezar a qualidade de um time que vem se estabelecendo entre as grandes forças há algum tempo. Foram justamente elas as únicas a derrotarem o Brasil no Grand Prix deste ano. O mais correto é afirmar que a Seleção Brasileira, já classificada, fez sua pior exibição no torneio até agora. Mas reagiu na hora certa e deu show no bloqueio, com 24 pontos.

A definição do primeiro lugar da chave acontecerá neste domingo, no jogo entre Brasil, que chegou a 11 pontos, e Sérvia, com a mesma marca. Eles se enfrentam às 15h (de Brasília). 

As turcas mostraram que as preocupações de Zé Roberto antes da partida tinham sentido. Com Ozsoy e Sonsirma inspiradas, a equipe do técnico Massimo Barbolimi abriu oito pontos de vantagem (10-2) logo de cara.

O comandante brasleiro chamava a atenção de suas atletas para detalhes e pedia mais consicência. Mas até bola de toque colocada no fundo da quadra pela Turquia caia sem obstáculos.

A levantadora Naz deu um show de distribuição. Tirou o melhor de nomes como a central Akman. O resultado não poderia ser diferente: massacre turco no primeiro set, selado após bom ataque de Sonsirma.

Era a primeira vez que a Seleção se via em desvantagem em uma partida deste Mundial. O time titular foi mantido para tentar a reação. Mas a Turquia abriu logo 5-2, em bloqueio sobre Fernanda Garay, levando Zé Roberto a trocar a ponteira pela jovem Gabi.

Depois de algumas experiências, como o fácil jogo contra Camarões, era hora de a novata ajudar o time em uma situação adversa. Experiente, o técnico conseguiu arrumar a casa. Um saque de Jaqueline e um bloqueio de Gabi trouxeram de volta a confiança, com a equipe à frente.

Porém, Naz ainda tinha o jogo nas mãos, e as euro-asiáticas retomaram a vantagem. O final do set foi marcado por alternâncias. Prevaleceram os fortes bloqueios da Turquia. Com um em Fabiana e dois em Gabi, o Brasil viu mais um set ir embora.

O Brasil só mostrou ser mais time no terceiro set. Um bloqueio de Fabiana em Ozsoy permitiu a maior diferença vista na partida: 13-4. A defesa cresceu, com boa participação de Dani Lins, e os ataques do adversário já não encontravam espaços.

Quando as turcas não pareciam mais ameaça, o Brasil relaxou na virada de bola. As oponentes diminuíram a desvantagem para três pontos (21-18). Zé Roberto parou para mais uma chamada no jogo. De volta, as brasileiras resgataram a concentração para fechar em ataque firme de Fabiana.

A história do quarto set começou a ser escrita por Sonsirma. Graças à ponteira, o time turco não se abateu pela derrota anterior. Quem mantinha o Brasil na briga era Sheilla, mas até a oposto evidenciava desconcentração ao invadir a área de saque pela segunda vez na partida.

Mesmo com o time controlando o jogo, Zé Roberto parecia insatisfeito. Tanto que recorreu ao banco. Desta vez, o que salvou o Brasil foram os bloqueios de Fabiana e a participação fundamental de Fabíola, Tandara e Gabi, acionadas na hora decisiva. Um erro de ataque turco encerrou a parcial.

O tie-break começou com bom desempenho das brasileiras no saque e no bloqueio. Mas a recepção falhou com Jaqueline, permitindo a virada da Turquia, que chegou à parada técnica vencendo por 8-5. Aos poucos, o Brasil voltou para a disputa. O segredo para deslanchar foi mais uma vez a sabedoria de Zé Roberto, que mexeu na hora certa.

Fabiana ganhou a companhia de Tandara para armar um paredão diante das turcas. E as oponentes sentiram a pressão. Até Sonsirma perdeu a eficiência. No saque, Gabi fez estrago e facilitou para Jaqueline na rede. A mesma ponteira selou a vitória com um bom bloqueio.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade

Escolha seu time

  • Chapecoense
  • Criciúma
  • Figueirense
  • JEC
  • Avaí
Publicidade