Publicidade
Sábado, 22 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 18º C

Conheça o homem por trás do show do surfe brasileiro no Rio Pro

Pai e técnico da sensação Yago Dora e treinador de Mineirinho, Leandro Dora acompanhou de perto o sucesso da dupla em Saquarema

Matheus Joffre
Florianópolis
20/05/2017 às 17H24

Por trás do surfista de 20 anos que ganhou o wildcard e eliminou três campeões mundiais no Oi Rio Pro e da emocionante vitória de Adriano de Souza, que voltou a subir no lugar mais alto do pódio após um ano e oito meses, estava um homem: o paranaense Leandro Dora, o Grilo, que mora em Florianópolis desde 2000.

Leandro Dora deseja sorte para Yago e Mineirinho (à dir.) antes da bateria da semifinal - Damien Poullenot/WSL
Leandro Dora deseja sorte para Yago e Mineirinho (à dir.) antes da bateria da semifinal - Damien Poullenot/WSL



Dora é pai e técnico da sensação da etapa brasileira do Mundial, Yago Dora, e treinador de Mineirinho desde o fim de 2014 – ele também treina a havaiana Tatiana Weston-Webb, no Tour feminino. “Eu e o Adriano conversamos no final de 2014 e começamos o trabalho, mas não nas competições. Apenas treinando e falando. E então, no início da J-Bay em 2015, começamos a trabalhar juntos em eventos. Mas nos conhecemos há anos. O Adriano mora perto da minha casa, e antes de trabalharmos com ele, eu surfei com ele. Mas tudo começou com Ricardo dos Santos [que foi assassinado em janeiro de 2015]. O Ricardinho trabalhou comigo por cinco ou seis anos, há muito tempo. Ele falou para o Adriano ‘Você precisa do Leandro’. Então, Ricardo foi para o outro lado e o Adriano veio trabalhar comigo. Ele disse ‘Vamos, vamos começar a trabalhar, este é o momento’. É muito emocional para mim, para o Adriano e o Yago”, contou Grilo.

A cada bateria de Yago lá estava Leandro, de pé na beira da praia. Com os olhos marejados, o pai e técnico viu o filho despachar os campeões mundiais John John Florence, Gabriel Medina e Mick Fanning. “Sim, é um resultado muito bom. Falei com ele, bateria após bateria. Eu disse: ‘É apenas sobre o surfe. Só você. Seu cérebro. Concentre-se em si mesmo, em sua prancha e na onda. E isso funcionou bem”, revelou.

Yago despachou os campeões mundiais John John Florence, Gabriel Medina e Mick Fanning - Damien  Poullenot/WSL
Yago despachou os campeões mundiais John John Florence, Gabriel Medina e Mick Fanning - Damien Poullenot/WSL



Na semifinal, o coração ficou dividido quando Yago e Mineirinho se enfrentaram. E, por fim, o título de Mineiro fechou o Rio Pro com chave de ouro para o treinador. “Estou muito feliz por isso. Para mim, era melhor ter dois caras na final. Mas foi perfeito. O Adriano está voltando para concorrer a um título mundial, talvez, pela segunda vez. O ano passado foi muito turbulento para ele por causa do título mundial. Mas este ano, ele renovou sua energia. E a missão do Yago é permanecer no Top 10 no ranking do Qualifying Series (QS)”, ressaltou. 

Treinador valoriza surfar por prazer e diversão 

Mas apesar do alto nível de competitividade de seus pupilos, Grilo tem o free surf como filosofia e valoriza os momentos de prazer e diversão.

O treinador contou que Yago continuará com as filmagens e vídeos de surfe e que Mineirinho aprendeu a relaxar com ele. “Este último ano, conversei com Yago, e ele me disse que adoraria correr o CT. No ano passado, ele terminou no número 43 no ranking do QS e me disse que é possível. Então, este ano, foi nosso foco. Mas as viagens, filmagens e vídeos, que ele adora fazer não pararam. É necessário para ele não apenas para trabalhar e competir. É importante relaxar e surfar com os amigos. Este é o foco do Adriano este ano também. Ele mudou isso. Antes de trabalhar comigo, a vida do Adriano era apenas competição. E eu disse a ele, 'Ei, vamos para Fiji e só surfar.' E ele mudou. Ele ficou na competição uma semana extra apenas para surfar. E este ano, depois da perna australiana, ele foi para Bali para surfar. É realmente bom trazer o seu nível de surfe, para surfar sem pressão. Houve uma mudança em seu espírito. Para mim, ele permanece no lado bom da sintonia”, contou.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade

Escolha seu time

  • Chapecoense
  • Criciúma
  • Figueirense
  • JEC
  • Avaí
Publicidade