Publicidade
Sexta-Feira, 16 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 26º C
  • 19º C

Conheça a guardiã dos 95 anos de história do Figueirense; assista ao vídeo

Historiadora Lidiane Teixeira cuida do Memorial do clube e guia visitantes no espaço que alia passado, presente e futuro

Daniel Silva
Florianópolis

Lidiane Teixeira não entra em campo, muito menos aparece ou é reconhecida pelos torcedores, mas exerce um papel fundamental no Figueirense. É ela quem preserva a história do clube, que completou 95 anos no dia 12 de junho. Sozinha em uma sala no Orlando Scarpelli, a historiadora responsável pelo Memorial do estádio lida com milhares de itens, desde fotografias, uniformes, troféus, livros, camisas da seleção brasileira de atletas revelados pelo Furacão, entre tantas outras peças expostas no espaço, construído em 2001. Além de catalogar, restaurar e atuar como guia dos visitantes, Lidiane organiza mostras – uma parte delas disponível à torcida em dias de jogo no Scarpelli.

Flávio Tin/ND
Lidiane Teixeira vive a rotina de manter para sempre a tradição e conquistas do passado alvinegro

 

Natural de Dom Pedrito (RS), Lidiane é formada em história, estudou em Portugal e, antes de trabalhar no Figueirense, função que exerce há pouco mais de um ano, não tinha muito contato com futebol. Imersa nas memórias do clube, não demorou a torcer pelo Alvinegro. “Não sou catarinense, mas quando vim para cá comecei a me envolver com a história do clube e não tem como não torcer. Sofro junto. Nunca tinha trabalhado antes com futebol. Tive que estudar e ainda estou estudando. Um clube quase centenário. Não foram poucos os personagens que passaram por aqui, os confrontos, as estatísticas”, contou.

A historiadora visitou os museus do Sporting e do Benfica, em Portugal, e conhece também os da dupla Grêmio e Internacional. Segundo Lidiane, o Memorial do clube alvinegro, ampliado em 2009, é o maior de Santa Catarina. “É o mais organizado. Às vezes falta espaço para abrigar todo esse acervo, que serve como fonte de pesquisa para a imprensa e estudantes. Recebemos visitas de escolas, instituições. Fazemos um tour pelo Memorial, depois vamos ao estádio, visitamos a capela e terminamos embaixo da figueira”, afirmou.

 

Modernização é o caminho

Entre todos os itens expostos no Memorial, uma novidade está chamando atenção. O clube inaugurou em abril um totem interativo em que o torcedor pode consultar as estatísticas de todos os jogadores que passaram pelo clube desde 1921. “É como um tablete gigante. Ele possui histórico de jogos, curiosidades, vídeos, fotografias, informações que antes não eram disponibilizadas à torcida. É o nosso diferencial”, explicou a historiadora. O software foi desenvolvido por uma empresa da Capital e custou em torno de R$ 40 mil – patrocinados pela Asfig (Associação de Amigos do Figueirense).

Flávio Tin/ND
Totem interativo possibilita a navegação pelos números do Furacão

 

Doações são bem-vindas

Além das camisas do Figueirense de todas as épocas, destacam-se em quadros os uniformes usados por Filipe Luís, André Santos e Clayton (Jogos Pan-Americanos) pela seleção brasileira. Em breve, o Memorial receberá outra peça valiosa, enviada por Roberto Firmino, hoje no Liverpool-ING. “Geralmente eu peço. Peço o contato para o departamento de futebol. Pedimos a camisa do Firmino. Temos a carteirinha dele das categorias de base, junto com a do Fernandes e alguns atletas. A do Filipe Luís consegui com o pai dele. Faz parte do trabalho”, disse.

 

Serviço

Memorial do Figueirense

Dias e horários para visitas

Segunda a sexta-feira: das 9h às 12h e das 13h às 18h

Sábados: das 9h às 12h

Acesso pela Figueira Store

Para agendamento de visita guiada ligar para o telefone: 3878-3980 

Contato Memorial: 3878-3987

Publicidade

0 Comentários

Publicidade

Escolha seu time

  • Chapecoense
  • Criciúma
  • Figueirense
  • JEC
  • Avaí
Publicidade