Publicidade
Terça-Feira, 20 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 25º C
  • 16º C

Catarinense Igor Amorelli disputa Mundial de Ironman em Kona

Após temporada marcada por lesão, triatleta conseguiu a vaga após sagrar-se campeão na Holanda e quinto lugar na Dinamarca

Matheus Joffre
Florianópolis
07/10/2016 às 18H42

Pelo quarto ano consecutivo, o triatleta catarinense Igor Amorelli representará o Brasil no mundial de Ironman, neste sábado, em Kona, no Havaí. Após uma temporada marcada por uma séria lesão e pela superação, o atleta de Balneário Camboriú conquistou a vaga ao sagrar-se campeão no Ironmann de Masstricht, na Holanda, em julho, e com um quinto lugar em Copenhague, na Dinamarca, no mês seguinte.

Igor Amorelli chegou com duas semanas de antecedência no Havaí para treinar pontos específicos da prova - Romulo Cruz
Igor Amorelli chegou com duas semanas de antecedência no Havaí para treinar pontos específicos da prova - Romulo Cruz



Campeão do Ironman Brasil em Florianópolis, em 2014, Amorelli sofreu um acidente de bicicleta em março, enquanto treinava para a prova na Capital, e quebrou o braço. Foram dois meses de recuperação até o retorno às competições. “Esse ano foi bem diferente. Eu tive uma lesão no começo da temporada e fui voltando aos poucos. A vaga veio na segunda chamada, bem no limite. Deu tudo certo e acho que isso foi o mais importante. A queda aconteceu, mas não deu tempo de ficar lamentando, o que a gente fez foi trabalhar muito para chegar mais uma vez a Kona e no final deu certo”, ressaltou o triatleta.

O catarinense chegou ao Havaí com duas semanas de antecedência para se ambientar bem ao percurso e aproveitou os dias para trabalhar pontos específicos da prova.  “Na primeira semana nós fizemos treinos bem fortes, especialmente nos trechos de ciclismo e corrida. Esses dois pontos são fundamentais e era bem importante estar ambientado com eles. Já nesses últimos dias a gente buscou descansar um pouco mais e deixar tudo pronto para o dia da prova. Kona é uma prova muito dura e é preciso estar bem descansado, além de estar muito bem preparado psicologicamente”, ponderou Amorelli, que terá pela frente 3.9km de natação, 180km de ciclismo e 42km de corrida.

A prova em Kona

Esta será a  quarta participação de Igor Amorelli no mundial de Ironman. A primeira passagem do catarinense por Kona foi a que lhe rendeu o melhor resultado até hoje: 13º lugar em 8h34min59, o melhor tempo já obtido por um brasileiro no evento.

A prova começa com a largada da natação na praia de Dig Me Beach, no píer de Kailua. O percurso de quase 3.900 metros é feito em ida e volta ao longo da baía de Kailua. Após a primeira transição, os triatletas partem para os 180km de bicicleta, que começa na Kwakini Highway, uma das principais vias locais, e segue até a subida da Palani Road. De lá, os triatletas acessam a Queen K. Highway. O retorno do ciclismo, feito também em apenas uma volta, marca um dos momentos de maior dificuldade da competição: a subida de Hawi. Localizado ao noroeste, no meio do Oceano Pacífico, o local exige ao extremo dos competidores, com rajadas de ventos que podem chegar aos 90km/h.

Encerrado o ciclismo, os atletas encaram os 42km da maratona. Os 16km iniciais são realizados na Alií Drive, que dá acesso novamente à subida da Palani Road e à Queen K. Highway. O retorno é feito no Energy Lab, com os atletas seguindo para Palani Road e depois para a reta final na Ali´i Drive.

“O meu melhor resultado em Kona foi em 2013. Já em 2014 e 2015 eu não fui muito bem. Acredito que não tenha treinado como deveria, foi uma dinâmica um pouco diferente. Esse ano fizemos tudo que estava ao nosso alcance para conseguir a vaga e agora é ir para a prova. Nós sempre entramos para brigar, queremos estar entre os melhores e para isso é preciso arriscar. Corrigimos o que tinha para corrigir e agora é esperar para acordar em um bom dia que vai dar tudo certo” projetou Amorelli.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade

Escolha seu time

  • Chapecoense
  • Criciúma
  • Figueirense
  • JEC
  • Avaí
Publicidade