Publicidade
Quarta-Feira, 14 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 30º C
  • 22º C

Cássio e Danilo: com chuva de títulos, dupla simboliza era mágica do Timão

Goleiro e meia não foram titulares em jogo que marcou o hepta, mas são a face de um clube que se acostumou a vencer. Camisa 20 iguala Dinei em recorde de Brasileiros

LANCE!
São Paulo (SP)

 Cássio no jogo do título em Itaquera  -  (Marco Galvão/Lancepress!)
Cássio no jogo do título em Itaquera - (Marco Galvão/Lancepress!)

O heptacampeonato brasileiro, conquistado na quarta-feira com vitória sobre o Fluminense na Arena, consolidou a última década como a mais vitoriosa da história do Corinthians. Nesse período, dois jogadores que estiveram presentes na última conquista representam a face vencedora adquirida pelo Timão nos últimos anos: o goleiro Cássio e o meia Danilo, que, não à toa, foi a campo nos minutos finais da noite do hepta e recebeu a braçadeira de capitão de Fagner.

Únicos remanescentes do grupo campeão da Libertadores e Mundial em 2012, Cássio e Danilo conquistaram o mesmo número de taças pelo clube: por coincidência, o hepta foi a sétima. No currículo, Paulista, Recopa Sul-Americana, Libertadores, Mundial e Brasileiros. Ganharam de tudo e, em alguns casos, mais de uma vez.

Danilo chegou ao Corinthians em 2010 sob desconfiança pelo passado vitorioso no rival São Paulo. Mas foi além no Timão. Em 2011, conquistou seu primeiro Brasileiro e não parou mais. Presente apenas na reta final da edição deste ano, após ter se recuperado de grave lesão, o meia chegou ao seu terceiro Nacional, um recorde no clube. Agora, ele alcançou o ex-atacante Dinei, campeão em 1990, 98 e 99. Na história do Alvinegro, apenas os dois podem bater no peito e dizer que são tricampeões brasileiros. Um excelente desfecho para quem perdeu todo o primeiro semestre se recuperando de uma fratura na tíbia e fíbula que quase lhe custou a perna direita.

- Só quem viveu sabe. Tive fé em Deus, minha família e amigos ajudando. Sempre pensei em voltar a jogar. Por onde passei, sempre joguei. Eu estava esperando esse momento de entrar em campo num jogo. Eu fiquei muito feliz por isso. Estou bem. Penso em jogar no ano que vem, o objetivo era ser campeão. Agora, quero ficar, jogar Libertadores, é um campeonato que tenho história. Por mim, eu fico. Futebol tem suas oportunidades. Por onde passei, eu ganhei. Quem sabe não passo o Dinei (risos) - afirmou Danilo.

Cássio chegou ao Corinthians pouco depois de Danilo, mas surfou junto do sucesso. Desconhecido de muitos após passar pelo futebol holandês, logo ganhou a posição e tornou-se um paredão. Melhor jogador da final do Mundial em 2012 no Japão contra o Chelsea, tornou--se um líder nato no grupo, chegou à Seleção Brasileira e este ano levantou o caneco do título do Campeonato Paulista. Não disputou o jogo do hepta em Itaquera porque estava voltando da Seleção, mas se firmou, assim como Danilo, como um dos atletas mais vitoriosos da história do clube.

Com os sete títulos, ficam atrás de apenas quatro atletas da história do clube. O recordista Marcelinho Carioca, ex-meia eternizado como Pé de Anjo (10 conquistas), o goleiro Júlio César (9), o ex-zagueiro Armando Del Debbio, lenda das décadas de 20 e 30, e o ex-lateral-esquerdo Kléber, destaque no fim dos anos 90, ambos com oito conquistas. A vantagem da dupla atual é que ela pode estender o leque.

Aos 30 anos, Cássio renovou contrato ano passado até dezembro de 2019 e deve prolongar o vínculo por mais um ano em breve. As conversas estão adiantadas. Já o contrato de Danilo, de 38 anos, vence no fim desta temporada. Ele já externou seu desejo de renovar por mais um ano, mas a diretoria ainda não se decidiu a respeito.

Certo é que, com mais um caneco, eles estão eternizados na galeria de conquistas corintiana. Que dupla!

Confira abaixo os títulos dos maiores vencedores da história do Corinthians:

Marcelinho Carioca - 1994 a 2001, em 2006 e em 2010
Paulista (1995, 1997, 1999 e 2001); Copa do Brasil (1995) Brasileiro (1998/99); Mundial (2000); Copa Bandeirantes (1994) e Troféu Ramón de Carranza (1996).

Júlio César - 2005 a 2014
​Paulista (2009 e 2013); Copa do Brasil (2009); Brasileiro (2005 e 2011); Série B (2008); Libertadores (2012), Mundial (2012); Recopa Sul-Americana (2013)

Armando Del Debbio, ex-zagueiro - 1922 a 1931, 1937 e 1939
Paulista (1922/23/24, 1928/29/30, 1937 e 1939)

Kléber - 1998 a 2003
Paulista (1999, 2001 e 2003) Rio-São Paulo (2002); Copa do Brasil (2002); Brasileiro (1998/99); Mundial (2000).

Danilo - 2010 aos dias de hoje
Paulista (2013); Brasileiro (2011, 2015 e 2017); Recopa Sul-Americana (2013); Libertadores (2012); Mundial (2012)

Cássio - 2012 aos dias de hoje
Paulista (2013 e 2017), Brasileiro (2015 e 2017); Recopa Sul-Americana (2013); Libertadores (2012); Mundial (2012)

Publicidade

0 Comentários

Publicidade

Escolha seu time

  • Chapecoense
  • Criciúma
  • Figueirense
  • JEC
  • Avaí
Publicidade