Publicidade
Quinta-Feira, 15 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 20º C

Brasil perde a invencibilidade para a Polônia no Mundial de Vôlei

Seleção Brasileira acabou derrotada na primeira partida da terceira fase da competição. Nesta quarta-feira, a equipe enfrenta a Rússia

LANCE!NET
Divulgação

 

A Seleção Brasileira masculina de vôlei não superou a ausência do ponteiro Murilo, lesionado, e começou com derrota a disputa do grupo da morte na terceira fase do Mundial da Polônia. Nesta terça-feira, na Atlas Arena, em Lodz, a equipe do técnico Bernardinho perdeu a invencibilidade na competição, após nove vitórias, ao ser superada pelos donos da casa, por 3 sets a 2, parciais de 22-25, 25-22, 25-14, 28-25 e 15-17, no Grupo H. A vitória dos poloneses foi decidida em lance que gerou reclamação da comissão técnica brasileira.

Murilo não jogou por conta de um estiramento na coxa direita. Sua presença na partida contra a Rússia também é dúvida. O oposto Wallace, com entorse no tornozelo esquerdo, ficou no banco de reservas, mas entrou algumas vezes no decorrer do jogo. Já o central Sidão, que reclamava de dores no joelho direito, atuou o tempo inteiro.

Nesta quarta-feira, o Brasil enfrenta a Rússia, às 15h25 (de Brasília), novamente na Atlas Arena, em Lodz.

O JOGO

O Brasil começou a partida com o levantador Bruninho, o oposto Leandro Vissotto, os centrais Sidão e Lucão, os ponteiros Lipe e Lucarelli e o líbero Mário Junior. Apesar dos desfalques, a Seleção começou bem o jogo e logo obrigou o técnico Stephane Antiga a pedir tempo pois havia feito 7 a 3.

Com bons ataques e bloqueios, o Brasil se mantinha na frente, normalmente com uma vantagem de cinco pontos. A Polônia, para tentar dificultar a recepção brasileira, buscava forçar os saques. Mas acabava cometendo erros sucessivos.

Após um novo tempo do treinador polonês, a equipe da casa encostou em 15 a 13, obrigando, desta vez, Bernardinho a parar o jogo. Com 15 a 14, o técnico brasileiro trocou os levantadores e os opostos: saíram Bruninho e Vissotto e entraram Raphael e Wallace. Em seguida, em bloqueio, a partida ficou empatada em 15 a 15.

Com 17 a 17, após ataque da Polônia, foi pedido o desafio. E a arbitragem apontou ponto para a Seleção. Mas a Polônia, apoiada pela torcida, reagiu e fez 21 a 18. Depois de novo desafio, os poloneses fizeram 24 a 21 para depois fecharem a parcial em 25 a 22.

No segundo set, o equilíbrio seguiu como a tônica da partida. E, assim como na primeira parcial, o Brasil conseguiu abrir vantagem no placar: 5 a 2. A Seleção foi para o primeiro temop técnico do set vencendo por 8 a 5. Com mais tranquilidade do que na parcial anterior, a equipe de Bernardinho foi administrando a diferença no marcador. A Polônia buscava encostar, mas o Brasil não deixava.

Com apoio da torcida, os poloneses derrubaram a diferença para dois pontos: 18 a 16. Bernardinho, então, pediu tempo para acalmar os ânimos. Com ótimo bloqueio de Lipe, a Seleção fez 23 a 21. E, logo depois, a equipe brasileira devolveu o placar do primeiro set e empatou o jogo.

Na terceira parcial, o Brasil seguiu bem na partida e fez 6 a 2. Com a defesa atuando bem, Bruninho tinha facilidade na distribuição do jogo. Com isso, a Seleção fez 13 a 6. Com uma vantagem de nove pontos (19 a 10), a equipe de Bernardinho rumou para virar o duelo contra os poloneses com uma vitória por 25 a 14 na parcial.

A Polônia voltou para o quarto set disposta a levar a disputa para o tie break. O confronto ficou equiilibrado até o Brasil fazer 7 a 4 em dois bloqueios consecutivos de Lucão. Mas os poloneses não se intimidaram com a desvantagem e enconstaram em 7 a 6, obrigando o técnico brasileiro a parar o jogo. Logo depois, a Polônia empatou em 10 a 10.

Depois de bom bloqueio, os poloneses viraram para 13 a 12. Em seguida, em contra-ataque confirmado pelo desafio, a Polônia fez 15 a 13. Bernardinho, então, pediu tempo. A paralisação, no entanto, não surtiu o efeito desejado. Em bloqueio, os poloneses fizeram 19 a 16. Em dois ataques, a vantagem aumentou: 21 a 16. Logo depois, fecharam o set em 25 a 18.

No tie break, a Polônia abriu logo 4 a 1. Em mais um bloqueio, os poloneses fizeram 6 a 2. E, após ótimo saque, com uma defesa ruim, a vantagem passou para 7 a 2. Mas o Brasil não desistiu e iniciou uma reação e encostou em 8 a 7. Após cartão vermelho, o placar ficou empatado em 8 a 8. E com excelente bloqueio, o Brasil voltou a liderar o placar com 12 a 11.

Em seguida, a partida ficou empatada em 13 a 13. Lucarelli errou saque e a Polônia faz 14 a 13. Mas Lucão deixou tudo igual novamente. E o Brasil virou em seguida para 15 a 14. Mas a partida acabou decidida após um pedido do desafio, com os poloneses fazendo 17 a 15. Bernardinho e o auxiliar técnico Rubinho reclamaram muito, mas a bola realmente tocou no bloqueio brasileiro.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade

Escolha seu time

  • Chapecoense
  • Criciúma
  • Figueirense
  • JEC
  • Avaí
Publicidade