Publicidade
Terça-Feira, 22 de Janeiro de 2019
Descrição do tempo
  • 31º C
  • 23º C

As histórias das quatro casas do Timão antes da Arena Corinthians

A pedido do LANCE!Net, Celso Unzelte, jornalista e historiador do clube, relembra os quatro estádios utilizados pelo Corinthians antes da moderna arena em Itaquera

LANCE!NET

A pedido do LANCE!Net, o jornalista Celso Unzelte narrou um pouco da história dos estádios utilizados pelo Corinthians ao longo da história. O autor do "Almanaque do Timão" traz ainda as estatísticas da equipe nas quatro casas, bem mais modestos em relação à Arena Corinthians, que terá seu primeiro jogo oficial neste domingo, contra o Figueirense, pelo Brasileirão.

Com a palavra, Celso Unzelte:

"Rua dos Imigrantes (atual José Paulino), número 34. Terreno com fundos para a Rua Ribeiro de Lima, quase junto à Rua Prates, no Bom Retiro, onde um homem chamado João Ligeiro guardava cavalos de corrida e toras de lenha. Daí o apelido da primeira casa corintiana, o “Lenheiro”, alugada por 30 mil réis ao mês. Naquele campo de 80 por 60 metros, murado, capinado na base da foice e da enxada pelos fundadores Antônio Pereira e Joaquim Ambrósio, o Corinthians mandou seus primeiros jogos, ainda na várzea, de 1910 a 1912.

Rua Itaporanga, na Ponte Grande, atual Ponte das Bandeiras. Naquela área de 14 mil metros quadrados arrendada junto à prefeitura, foi construído o primeiro estádio digno desse nome, pelas mãos dos próprios jogadores, que, nas horas vagas, também pegavam no pesado. Inaugurada em 1918, a Ponte Grande abrigava até 10 mil torcedores e foi a casa corintiana até 1927.

Rua São Jorge, 777. Curiosamente, o primeiro jogo do Corinthians em seu endereço mais famoso – também chamado de “Fazendinha”, porque lá, antigamente, havia de fato uma fazenda – foi como visitante: vitória por 1 a 0 sobre o Sírio, pelo Campeonato Paulista de 1922.

Somente em 1926 o então presidente corintiano, Ernesto Cassano, comprou, por 750 contos de réis divididos em mais de dez anos de prestações, o terreno de Assad Abdalla e Nagib Sallem, que, antes, o emprestavam ao seu time de coração, o Sírio. O estádio, porém, sempre foi pequeno demais para o Corinthians: mesmo após várias reformas, sua capacidade atual não ultrapassa 18 mil lugares.

Assim, o time teve que viver de aluguel, no Pacaembu, por exatos 74 anos, de 28 de abril de 1940, na partida de fundo da rodada dupla de inauguração do estádio (vitória por 4 a 2 sobre o Atlético-MG), até 27 de abril de 2014 (2 a 0 no Flamengo, pelo Brasileirão).

Lá, foi campeão paulista, do Rio-São Paulo, brasileiro, da Libertadores, da Recopa Sul-Americana.

Agora o Timão está novamente de mudança, para a Avenida Miguel Inácio Curi, 111, em Itaquera. Uma casa própria, maior e finalmente à altura de sua grandeza."

HISTÓRICO DE ESTÁDIOS DO CORINTHIANS:

LENHEIRO (1910/1913)

12 jogos
4 vitórias
8 placares desconhecidos
12 gols
Artilheiros: Fabbi e Rodrigues (1 gol cada)
Maior goleada: Corinthians 5 x 0 A.A. da Lapa (27/9/1910)

O primeiro estádio do Corinthians foi o modesto Campo do Lenheiro, localizado na Rua dos Imigrantes (atual Rua José Paulino), no bairro do Bom Retiro, onde o clube foi fundado em 1910. O local era apenas um terreno baldio que pertencia a um vendedor de lenha da época. No Lenheiro, na tarde do dia 14 de setembro de 1910, o Timão, ainda um mero time de várzea, venceu a primeira partida da sua história. Com gols de Fabbi e Jorge Campbell, a equipe então comandada por Rafael Perrone, um dos cinco operários que fundaram o clube dias antes, venceu o Estrela Polar por 2 a 0. A relação entre o Corinthians e o Campo do Lenheiro durou somente até 1913. Ao todo, foram sete jogos (três vitórias e quatro resultados desconhecidos). Dentro das quatro linhas da primeira casa, o Timão tornou-se um time respeitável no futebol varzeano paulistano. O acanhado Lenheiro já era mais suficiente para receber os jogos da equipe. Famoso e já temido pelos rivais, entres eles, Germânia, Americano, Minas Gerais e Paulistano, o Corinthians atuou no Parque Antártica (43 jogos) e no Estádio da Floresta (8 jogos) entre 1913 e 1917. No ano seguinte, a chegada da primeira casa própria.

PONTE GRANDE (1918/1934)

102 jogos
80 vitórias
11 empates
11 derrotas
271 gols
71 gols contra
Artilheiro: Neco (81 gols)
Maior goleada: Corinthians 12 x 2 Internacional-SP (23/10/1921)

O Estádio da Ponte Grande foi a primeira casa própria do Corinthians. Localizado próximo à Ponte das Bandeiras, onde hoje está localizado o Clube de Regatas Tietê, o estádio, cujo terreno foi concedido pela prefeitura de São Paulo por intermédio do político Alcântara Machado, começou a ser construído em 1916 com a colaboração de dirigentes, sócios e até mesmo jogadores. Após quase dois anos de reforma, o estádio foi inaugurado no dia 17 de março de 1918. Uma inauguração em grande estilo e repleta de gols diante do futuro arquirrival Palestra Itália (Palmeiras). Empate em 3 a 3. “O Corinthians Paulista, que tantos louros tem colhido nas pugnas esportivas que se realizam nesta capital, inaugurou ontem, perante colossal assistência, a sua praça de esportes”, estampou o Estado de S. Paulo no dia 18 de março. Assim, perante tantas outras colossais assistências e belas atuações do ídolo Neco, o Timão utilizou o estádio mais 101 vezes até 1934. Em 1926, data da compra do terreno do Parque São Jorge, o clube iniciou o processo de mudança. A Ponte Grande, então, foi vendida para a AA São Bento, clube já extinto, que pagou ao Timão 40 mil réis.

FAZENDINHA (1928/2002)

469 jogos
347 vitórias
60 empates
62 derrotas
1.332 gols
480 gols contra
Artilheiro: Teleco (122 gols)
Maior goleada: Corinthians 11 x 2 Atlético-MG (12/10/1929)

Em 1928, Alfredo Schürig, presidente do Corinthians, resolveu modernizar o Parque São Jorge, então um simples terreno adquirido pelo clube dois anos antes. Ele não só modernizou o local, como também o batizou com o próprio nome. O Estádio Alfredo Schürig foi inaugurado no dia 22 de Julho de 1928, durante um amistoso contra o América-RJ. A partida válida pela Taça Vada, oferecida pela Joalheira Vada, acabou empatada por 2 a 2. Cerca de 2 mil torcedores acompanharam de perto o confronto. Mas poucas pessoas sabem que, antes do duelo entre Corinthians e América-RJ, um jogo entre Combinado dos Acadêmicos Mineiros e Combinado da Associação Bancária Comercial de Desportos abriu as festividades do estádio. Os Acadêmicos Mineiros venceram o duelo por 7 a 6. A última partida do Timão no Estádio Alfredo Schürig (Parque São Jorge ou simplesmente Fazendinha) aconteceu no dia 3 de agosto de 2002. Na ocasião, o Corinthians venceu o Brasiliense por 1 a 0. O gol foi marcado pelo volante Fabinho. Com capacidade para cerca de 20 mil pessoas, o local atualmente só é utilizado para treinamentos ou partidas das categorias de base

PACAEMBU (1940/2014)

1687 jogos
966 vitórias
395 empates
326 derrotas
3307 gols
1922 gols contra
Artilheiro: Cláudio (186 gols)
Maior goleada: Corinthians 9 x 1 SPR (atual comercial) (12/9/1942)

Lenheiro? Ponte Grande? Fazendinha? A verdadeira casa (alugada, e daí?) do Corinthians foi o Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho, o Pacaembu. Inaugurado em 1940, o estádio municipal abrigou jogos de rivais, mas foi o Corinthians que realmente marcou o local. A estreia corintiana foi em 28/4/1940. Após o Palestra Itália bater o Coritiba por 6 a 2, o Timão venceu o Atlético-MG por 4 a 2, gols de Servílio, Dino, Carlinhos e Lopes. O Pacaembu ainda foi palco de conquistas memoráveis como o Campeonato Paulista de 1954 (Quarto Centenário de São Paulo) e a Copa Libertadores de 2012. Com 1.687 jogos, o Corinthians é o time que mais jogou no Pacaembu. A “despedida” (ou “Até breve!”) foi com 2 a 0 sobre o Flamengo.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade

Escolha seu time

  • Chapecoense
  • Criciúma
  • Figueirense
  • JEC
  • Avaí
Publicidade