Publicidade
Quarta-Feira, 19 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 17º C

Após 12 anos, Jô volta ao topo da montanha-russa com 2º Brasileirão pelo Corinthians e desfecho perfeito

Atacante brilha com dois gols no jogo do título, contra o Fluminense. Agora, ainda há um objetivo final para a temporada: ser artilheiro do campeonato pela primeira vez

LANCE!
São Paulo (SP)

 Jô, em casa, foi o artilheiro do jogo do título! Veja imagens das duas passagens do atacante pelo Timão  -  Luis Moura / WPP
Jô, em casa, foi o artilheiro do jogo do título! Veja imagens das duas passagens do atacante pelo Timão - Luis Moura / WPP

O que acontece em 12 anos? Os amantes de esportes, por exemplo, vão logo lembrar de três Copas do Mundo ou de três Olimpíadas. Para quem gosta de política, o que vêm à cabeça são as três eleições presidenciais no Brasil. Já para o atacante Jô, a resposta com certeza é sua sua reviravolta que foi coroada com o segundo título brasileiro pelo Corinthians, 12 anos depois do primeiro. Da campanha de coadjuvante em 2005 (quatro gols em 25 jogos) ao protagonista. Um líder dentro e fora do campo.

O jogo que selou o hepta não poderia ter sido mais perfeito para Jô: dois gols na vitória de virada sobre o Fluminense, em Itaquera, seu "berço". Simbólico para o atacante, artilheiro do Brasileirão com 18 gols a três rodadas do fim.

Da conquista de 2005 até a de 2017, a vida de Jô teve mais altos e baixos do que uma montanha-russa. O atacante foi para o futebol europeu, quase chegou ao fundo do poço após sua volta ao Brasil, ganhou a Libertadores, esteve na Copa do Mundo de 2014, aventurou-se nos Emirados Árabes Unidos e na China, ficou cerca de seis meses sem jogar e retornou ao Timão para ter um ano praticamente perfeito.

Quem ouviu as histórias de Jô sobre as noitadas em Porto Alegre e Belo Horizonte duvidava que o atacante voltaria a ter um ano de glórias como 2017. Mas o Corinthians apostou no jogador, cria do Terrão e até hoje o mais novo a defender o clube, com 16 anos, três meses e 26 dias.

E não demorou para a aposta dar lucros. Hoje aos 30 anos, o atacante virou exemplo no elenco, foi o goleador da equipe na conquista do Paulistão e agora briga pela artilharia do Brasileirão. Ele ainda é o jogador de linha que mais atuou nesta temporada: 62 vezes, sendo 32 pelo campeonato nacional.

Com o título, Jô coroa seu retorno ao clube que o revelou. Mas a temporada não acabou para o atacante, que ainda pode deixar seu nome gravado na história do Corinthians por outro motivo: fazer o Timão ter pela primeira vez o artilheiro do Brasileirão. Vai conseguir? Depois de tudo que ele já superou, é difícil alguém duvidar...

Montanha-russa de Jô em 12 anos

Após ser campeão brasileiro pela primeira vez, o atacante cria do Terrão foi para o futebol europeu ainda aos 18 anos. Destacou-se pelo CSKA (RUS), mas depois ficou longe de ter o mesmo desempenho por Manchester City (ING), Everton (ING) e Galatasaray (TUR). Mas o pior estava por vir...

Na volta ao Brasil em 2011, para o Internacional, Jô quase colocou tudo a perder. Entregue ao álcool, como o próprio atacante admite com tranquilidade, ele sabe que viveu a pior fase da sua vida e agradece por não ter acontecido nada de grave.

De Porto Alegre, onde deixou saudades apenas às casas noturnas, Jô seguiu a Belo Horizonte para defender o Atlético-MG. Ele ainda teve problemas extracampo por lá, mas foi importante na conquista da Libertadores em 2013.

Com a imagem desgastada no futebol brasileiro, mesmo após ter se tornado evangélico, Jô foi ter uma vida mais tranquila no exterior. Atuou pelos modestos Al-Shabab (EAU) e Jiangsu Suning (CHN) e foi contratado pelo Corinthians no segundo semestre de 2016 mesmo sem poder jogar até 2017. Nesta temporada, ele mostrou que sua fase na montanha-russa é de apenas subidas.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade

Escolha seu time

  • Chapecoense
  • Criciúma
  • Figueirense
  • JEC
  • Avaí
Publicidade