Publicidade
Sexta-Feira, 16 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 26º C
  • 19º C

Aldo visa duelo nos leves e revela 'quase luta' com Cerrone em SP; veja

José Aldo diz que só o confronto pelo cinturão o interessa no peso-pena, afirma que quer lutar no peso-leve em sua próxima apresentação e revela que quase enfrentou Cerrone

LANCE!
Rio de Janeiro (RJ)

José Aldo afirmou que combate diante de Donald Cerrone quase foi marcado para o UFC SP (Foto: Getty Images)
José Aldo afirmou que combate diante de Donald Cerrone quase foi marcado para o UFC SP (Foto: Getty Images)


Vitorioso contra Jeremy Stephens em julho, por nocaute ainda no primeiro round, José Aldo se encontra atualmente na segunda posição do ranking peso-pena do Ultimate, atrás apenas de Brian Ortega e do campeão Max Holloway, que devem se enfrentar no dia 8 de dezembro, no Canadá, pelo UFC 231. No entanto, se engana quem pensa que o brasileiro quer mais uma luta em sua categoria para, assim, ter a chance de disputar o título novamente.

Em conversa com jornalistas na última terça-feira (11), no Rio de Janeiro, Aldo afirmou que pretende atuar como peso-leve em sua próxima luta, e revelou a preferência em estar no mesmo card de Max Holloway x Brian Ortega, ou seja, em dezembro, no Canadá. Além disso, o manauara declarou que houve a possibilidade de lutar no card do UFC São Paulo, marcado para o dia 22 de setembro. O adversário seria o experiente americano Donald Cerrone, no entanto, não houve acordo pelo pouco tempo que o brasileiro teria de preparação.

"Eles me pediram para lutar em São Paulo, mas não houve tempo suficiente para fazer essa luta acontecer. Estou esperando pelo Dedé (Pederneiras) agora, conversando com ele, e quando ele encontrar um bom nome e o UFC concordar, nós vamos lutar", disse o atleta da Nova União.

Confira outros trechos da entrevista com José Aldo:

- Planos para a próxima luta


Logo após a luta (contra Jeremy Stephens, em julho), o Dana (White) falou sobre a grande possibilidade de lutar em 8 de dezembro, no Canadá novamente. Eu já tinha pedido essa luta, eu disse que queria estar nesse evento. Eu realmente gostei de lutar no Canadá, onde fiz minha estreia no UFC, e espero lutar lá novamente. Cabe ao Dedé agora, ele está vendo isso e conversando com o Dana e Sean (Shelby) para fazer minha próxima luta.

- Já tem algum adversário em mente para o card de Toronto?

(Anthony) Pettis foi um pedido dos fãs, eu recebi muitas mensagens dizendo que ele seria uma grande luta para mim. Eles me pediram para lutar em São Paulo (contra Donald Cerrone), mas não houve tempo suficiente para fazer essa luta acontecer. Estou esperando pelo Dedé (Pederneiras) agora, conversando com ele, e quando ele encontrar um bom nome e o UFC concordar, nós vamos lutar.

- O UFC ofereceu um duelo contra Cerrone em São Paulo?

Exatamente, o UFC (ofereceu). Quando o Glover (Teixeira) saiu do card e eles não tiveram opções de luta principal, eles perguntaram se havia a possibilidade de eu lutar. Aceitamos, dependendo do oponente, e eles ofereceram o Cerrone logo depois, e ele já havia concordado. Mas o Dedé não achou que seria bom, porque não havia tempo suficiente. Nós precisávamos de algum tempo para descansar antes de começarmos outro camp novamente, então essa luta não aconteceu. Mas agora estamos esperando o Dedé falar com eles novamente para sabermos contra quem vamos lutar.

- Luta contra Cerrone seria no peso-leve ou meio-médio?

Foi realmente engraçado. O Sean Shelby chamou o Dedé falando sobre a luta, e o Dedé perguntou quem seria o adversário, e eles ligaram de volta depois oferecendo o Cerrone. Seria no peso-leve, com certeza. De jeito nenhum no meio-médio, é muito para mim. Mas foi difícil, porque não tivemos tempo suficiente para nos prepararmos, especialmente contra o Cerrone, um cara muito duro, eu teria que me preparar muito. Talvez a possibilidade de lutar no Brasil tenha me deixado empolgado, eu disse que era possível, mas pensando claramente, não havia como lutar, especialmente alguém como Cerrone. Eu teria que estar muito bem treinado para lutar com ele.

- Importância de estar no card de Toronto, em dezembro

A luta entre Holloway e Ortega está marcada, e espero que aconteça. Espero que o Holloway esteja bem e possa fazer uma grande luta e deixar a divisão se mexer. Eu não me importo se vou lutar de pena ou leve, o que importa é lutar naquele card (de Toronto). Eu já tinha pedido antes dessa luta ser marcada, então para mim é ótimo, porque sabemos que se algo acontecer (problema com Holloway ou Ortega), podemos lutar pelo cinturão (peso-pena), então eu vou me preparar. Não importa o peso.

- Estando no card de Toronto, não seria melhor lutar como peso-pena?

Eu não corto peso, então não é problema eu lutar no peso-leve. Eu só corto peso durante a semana da luta, e eu não estaria muito pesado, porque não é minha característica. Mas penso em mim primeiro, estando nesse card. Essa foi a minha ideia, para começar, e lutar, e se eu tiver a oportunidade de lutar no peso-pena, estarei pronto, porque só corto peso de segunda a sexta (na semana da luta).

- Desafios de Renato Moicano e Zabit Magomedsharipov no peso-pena

Eu não posso dizer que há um cara ideal no peso-pena (para enfrentar), porque eles estão todos atrás de mim, todos eles estão tentando se promover para chegar a uma luta pelo título, e todos sabem que estou à frente deles. Especialmente se o Brian ganhar (o cinturão), se ele ganhar, não há outra opção. É isso que estamos esperando. Não há razão para eu lutar contra eles agora. No futuro, sim, quero lutar contra todos, porque é assim que sempre fui, lutando contra os melhores. Se eles são os melhores, eu quero lutar com os melhores.

Quer ficar por dentro do mundo da luta? Clique e acesse o site da TATAME!

Publicidade

0 Comentários

Publicidade

Escolha seu time

  • Chapecoense
  • Criciúma
  • Figueirense
  • JEC
  • Avaí
Publicidade