Publicidade
Quarta-Feira, 26 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 25º C
  • 19º C

Africanos dominam São Silvestre: etíope vence prova masculina e queniana, a feminina

Novidade do ano foi o novo percurso, que deixou a prova muito mais rápida

Redação ND
Florianópolis
Divulgação/ND
Tariku Bekele, da Etiópia, dominou o percurso a partir da metade da São Silvestre

 

O atletismo africano também venceu a disputa masculina da Corrida  Internacional de São Silvestre. Mas, ao contrário da prova feminina, o etíope Tariku Bekele dominou o percurso com tranquilidade a partir da segunda metade e cruzou a linha final com 43min35 (não oficial).

Com o resultado, a Etiópia vence a São Silvestre pela segunda vez. Assim, Quênia permanece como o maior vencedor da história, 12 títulos, um de vantagem sobre o Brasil. Na sequência da classificação, vieram os quenianos Mark Korir, Matthew Kisorio e Martin Lel. Em quinto lugar, cruzou o marroquino Najin El Qady. O melhor brasileiro foi Damião de Souza, em sétimo, enquanto o atual campeão, Marilson Gomes dos Santos, foi o oitavo.

A Prova - A disputa da elite masculina foi iniciada às 17h27, junto com o todo o público e seus personagens. O queniano Mark Korir foi o destaque do início da disputa e partiu para impor um ritmo forte.

Na passagem pela Rua Major Natanael, na região do estádio do Pacaembu, os representantes encontraram uma chuva mais forte. Hafid Chani, do Marrocos, comandava o grupo da ponta que também tinha os brasileiros Marílson Gomes dos Santos e Damião de Souza.

No fim da Avenida Pacaembu, os africanos começaram a apertar o ritmo. Matthew Kisorio estava à frente em um grupo com quatro africanos. Os brasileiros já amargavam cerca de 100 metros de desvantagem.

No sétimo quilômetro, quatro africanos se consolidaram na frente: os quenianos Mark Korir, Matthew Kisorio e Kibet Ducan, além do etíope Tariku Bekele. Marílson Gomes dos Santos continuava perdendo terreno e tinha 120 metros de desvantagem.

Ao integrar a Avenida Rio Branco, Tariku Bekele encontrou uma chuva muito forte, contudo começou a ganhar espaço em relação aos quenianos. O etíope aparentava tranquilidade em relação à estratégia.

Tariku Bekele alcançou o décimo quilômetro com 28min30 de prova. O africano mantinha entre 19 e 20 km/h antes da subida da Avenida Brigadeiro Luis Antonio. E, a partir, apenas administrou a vantagem para cruzar sem dificuldades, com o tempo de 43min35.

Leia também:

Estreante queniana vence disputa feminina

Publicidade

0 Comentários

Publicidade

Escolha seu time

  • Chapecoense
  • Criciúma
  • Figueirense
  • JEC
  • Avaí
Publicidade