Publicidade
Sábado, 18 de Novembro de 2017
Descrição do tempo
  • 24º C
  • 21º C

Soluções para a saúde em Santa Catarina passam pelo uso da tecnologia

Conheça softwares e sistemas que permitem o acompanhamento em tempo real das questões da saúde no Estado

Daniel Cardoso, especial para o Notícias do Dia
Florianópolis
14/11/2017 às 18H33

Uma tecnologia recente está revolucionando o modo como a Secretaria de Estado da Saúde (SES/SC) acompanha o dia a dia dos hospitais e instituições conveniadas. É o WeKnow. O software captura milhares de informações inseridas no sistema interno das unidades de saúde e entrega relatórios em tempo real aos gestores de todo o Estado. Com a tecnologia, é possível visualizar em poucos segundos quantos pacientes estão em atendimento nos prontos socorros, quantos leitos estão vagos em cada hospital, quais médicos estão trabalhando e muitas outras informações. Tudo isso em tempo real.

O software WeKnow ajuda no gerenciamento da saúde em SC - Daniel Queiroz/ND
O software WeKnow ajuda no gerenciamento da saúde em SC - Daniel Queiroz/ND



“É uma ferramenta de gestão poderosa. Graças à precisão dessas informações, conseguimos tomar decisões mais assertivas, organizar o planejamento e fazer intervenções pontuais para melhorar o atendimento à população”, afirmou a gerente de Custos e Resultados da Secretaria, Greici Weinzierl Gonzalez. Apesar de estar em operação há poucos meses, o programa já impactou na Saúde. A secretaria criou uma espécie de sala de situação. É um grupo de funcionários que monitora os dados em tempo real. Quando percebe algo fora do padrão ou fora dos protocolos, entra em contato direto com a diretoria do hospital.

Um exemplo ocorreu quando um paciente estava na emergência há mais de 12 horas (tempo limite para atendimento). A equipe da SES entrou em contato com o hospital e alertou sobre o problema. Em seguida, a equipe da emergência foi acionada para resolver a questão. “Desde a chegada do software, fizemos algumas checagens in locu. Percebemos que o que o software nos informa é exatamente o que está acontecendo na realidade”, ressalta Greice. Outro exemplo das vantagens do software aconteceu recentemente. Um dos relatórios do sistema mostrou um grupo de medicamentos de alto custo estava com o prazo de validade por vencer. Diante dessa informação, a estratégia da equipe foi redistribuir o produto para outras unidades. A mobilização evitou o desperdício de mais de R$ 10 mil (o valor do remédio).

Atualmente, o WeKnow pode ser acessado por gestores de hospitais e equipes da SES. O software saiu a custo zero. Foi customizado pela mesma empresa que já presta serviço para a secretaria na manutenção dos sistemas que funcionam nas unidades de saúde. 

 

Projeto da UFSC desenvolve solução para evitar erros em hospitais

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) também está com a mão na massa para ajudar a aplicar novas tecnologias na melhoria do SUS. Um exemplo vem do departamento de Comunicação e Expressão. O professor Milton Vieira lidera o projeto que desenvolve um sistema para monitorar o dia a dia dentro de hospitais. É uma solução completa que vai rastrear diversos procedimentos de saúde, reduzindo erros e aperfeiçoando o atendimento.

A partir de um chip, o sistema tem capacidade de rastrear medicamentos e equipamentos médicos, informando a localização e o uso que está sendo feito do produto. Sempre em tempo real.

“Com o nosso sistema, será possível detectar erros graves antes que ocorram”, explica o professor. Para entender melhor o funcionamento da tecnologia, o professor lança mão de um exemplo. Imagine que um enfermeiro em meio às diversas tarefas do dia. Na correria, ele lê o prontuário médico e pega o remédio para administrar no paciente. Porém, se engana e prepara o remédio errado. Pois é bem nessa hora que o sistema vai disparar um sinal de alerta, uma luz vermelha situada na sala onde está o paciente.

“O sistema atua por meio de um chip que fica integrado a um medicamento. Sempre que o medicamento está sendo levado ao paciente, o sistema cruza essa informação com o prontuário médico. Se o remédio não tiver sido prescrito, o sistema emite o alerta”. Além do monitoramento dos medicamentos, o sistema será capaz de várias outras funções. Uma delas é rastrear os equipamentos hospitalares, que transitam diariamente de um leito para o outro e muitas vezes acabam sendo esquecidos em algum lugar.

Com o chip e os sensores, o hospital terá uma espécie de mapa, mostrando em tempo real a localização de cada equipamento. Dessa forma, nada mais será perdido. O projeto deve dar seu primeiro grande passo em breve. A Secretaria de Saúde gostou da ideia e quer iniciar um projeto piloto no Hospital Governador Celso Ramos.

Como funciona o sistema

1) O objetivo é monitorar os procedimentos dentro de um hospital.

2) A tecnologia usada é um chip, que pode ser acoplado a medicamentos e equipamentos, integrado a sensores de movimento.

3) Quando um remédio, por exemplo, vai ser administrado a um paciente, o chip envia a informação para o sistema que cruza os dados com as prescrições médicas. Se o medicamento não foi prescrito para aquele paciente, o sistema envia um sinal de alerta imediatamente.

4)A previsão é que a plataforma esteja em funcionamento em algum hospital em até um ano.

Startup de Florianópolis recebe apoio do Google para aprimorar Saúde

Uma startup de Florianópolis da área da saúde fez o Google brilhar os olhos. É o Portal Telemedicina. Uma empresa fundada em 2013 e que utiliza tecnologia de ponta para reduzir filas, diminuir o tempo de exames e aprimorar o atendimento no sistema de saúde. O sucesso é tanto que os fundadores foram convidados para aperfeiçoar o produto na sede do Google, na Califórnia.

Mas o que faz o Portal Medicina? O Portal Telemedicina nasceu com a missão de conectar médicos especialistas com unidades de saúde de todas as partes do Brasil. Quando um exame é realizado, ele precisa receber o laudo de um especialista. Porém, a maioria das cidades não tem profissionais capacitados. É aí que entra a startup. A empresa “pega” o exame e disponibiliza eletronicamente para algum especialista via internet. O médico recebe o exame, dá o laudo em seguida e devolve para a unidade de saúde.

Imagina se você fizesse um exame no interior do Amazonas, onde há poucos especialistas. Precisaria esperar meses para ter o resultado de volta, não é mesmo? Com a solução da startup, esse tempo cai para minutos. “Além de reduzir o tempo, melhora a qualidade do exame. Isso porque o enfermeiro poderá tirar dúvidas com o especialista em tempo real, pelo chat do sistema”, ressalta Rafael Figueroa, fundador e CEO da empresa.

A empresa focou inicialmente no mercado privado, mas já começou a dar os primeiros passos em hospitais públicos, com atendimento 100% SUS. O primeiro grande projeto está em implantação em Campinas, São Paulo. A missão será revolucionar o processo de laudos.

“O sistema reduz o tempo de um laudo que levava até três meses para apenas 10 minutos. É revolucionário”, diz Figueroa. A startup também chamou atenção por usar inteligência artificial. Por meio de computação visual, o software da empresa consegue fazer uma triagem automática. O sistema analisa o exame e aponta qual o laudo mais provável. Se o resultado for alguma doença grave, o exame “fura a fila” e ganha prioridade para chegar mais rápido nas mãos dos especialistas.

“Nossa tecnologia foi desenvolvida a partir do motor de busca de imagens do Google. A empresa abriu o código há alguns anos e fomos pioneiros no mundo em aplicar a solução para a saúde”, lembra Figueroa.

Quando o Google descobriu o projeto, logo quis saber mais detalhes do projeto e até investiu na empresa. Além disso, abriu as portas de seus laboratórios e profissionais para aprimorar o produto.

Como funciona o Portal Telemedicina

1) O paciente vai a uma unidade de saúde e realiza o exame. O sistema foca em diagnósticos complexos, como coração, cérebro e pulmão.

2) O arquivo digital do exame é enviado automaticamente para algum médico especialista, que está geograficamente distante do paciente.

3) Quando o especialista recebe o exame, ele elabora o laudo na hora envia o resultado de volta para a unidade de saúde. Tudo eletronicamente.

4) Em poucos minutos, a unidade de saúde recebe o laudo. De posse do diagnóstico preciso, o profissional de saúde explica o resultado ao paciente e o orienta sobre os próximos passos, por exemplo, quais medicamentos tomar.

 

Aplicativo massificou tecnologia no atendimento básico

A saúde básica também está na mira de empreendedores e startups de tecnologia. O objetivo é mudar a forma como o cidadão é atendido diariamente pela prefeitura. São iniciativas que, apesar de atuarem na esfera municipal, tem grande impacto nos hospitais estaduais de maior complexidade.

Há cerca de seis anos, Pedro Pereira se formou em Administração na UFSC e foi atuar em uma empresa de tecnologia de São Paulo. Logo em seguida, recebeu um projeto a pedido de uma prefeitura para monitorar o trabalho dos agentes comunitários.

“São os agentes que vão de casa em casa acompanhar a saúde das famílias. Na época, uma prefeitura buscava uma forma de acompanhar as visitas de maneira mais precisa. Percebi rapidamente que era uma demanda do país inteiro”, lembra.

Nascia a ePHealth, startup sediada em Florianópolis. O primeiro passo foi criar um aplicativo. Distribuído gratuitamente, o produto já atende mais de 2 mil municípios brasileiros. O app permite aos agentes comunitários registrar eletronicamente a situação de cada família, desde as condições de moradia (água, luz, etc) até as condições de saúde (pressão arterial e gravidez, por exemplo).

“Com o app, o gestor pode visualizar a incidência de doenças, as áreas mais críticas e o trabalho dos agentes em tempo real. É uma revolução”, diz.

Segundo Pedro, a revolução está no fato de cada prefeitura conhecer melhor a sua própria cidade. Antes do sistema, as estatísticas eram baseadas em dados nacionais e médias de outras regiões.

“Com a nossa plataforma, as estatísticas são específicas para cada município. É muito mais eficiência no atendimento à população”, lembra Pereira.

Para sustentar a empresa, a ePHealth lançou uma versão premium. É um software que analisa todos os dados e oferece relatórios em tempo real. A versão começou a ser comercializada há poucos meses e já conquistou 10 prefeituras clientes.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade