Publicidade
Segunda-Feira, 19 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 24º C
  • 18º C

Outubro Rosa: trabalho da Amucc envolve informação e o cuidado com a vida

Associação Brasileira de Portadores de Câncer fortalece a troca de conhecimento e cobra pela conclusão da obra do centro cirúrgico do Cepon

Dariele Gomes
Florianópolis
26/10/2017 às 08H25

O poder de salvar vidas passa pela disseminação da informação correta. Para a Amucc (Associação Brasileira de Portadores de Câncer), que está à frente da programação do Outubro Rosa, este poder também está nas pessoas, que têm o conhecimento e podem ajudar os outros. Como contrapartida, a Amucc oferece assistência e a informação correta para alertar sobre a importância do diagnóstico precoce de câncer e assim reduzir os índices de mortalidade.

Conforme a diretora voluntária e coordenadora do Outubro Rosa da Amucc, Jurema Ramos dos Santos, tudo gira em torno da informação. “No mês de outubro aderíamos à campanha levando a informação correta para a população, em troca ela dissemina esse conhecimento entre amigos e familiares. O câncer é uma doença que evolui rápido e de forma silenciosa. Então, o rastreamento através de exames preventivos pode diagnosticar um câncer no início, o que dá a oportunidade de tratar a doença, evitando que evolua e tire a vida do paciente. É essa consciência que o Outubro Rosa leva para as pessoas”, diz.

Jurema Ramos dos Santos, coordenadora do Outubro Rosa da Amucc, leva assistência e informação correta à população - Daniel Queiroz/ND
Jurema Ramos dos Santos, coordenadora do Outubro Rosa da Amucc, leva assistência e informação correta à população - Daniel Queiroz/ND


A Amucc tem em torno de 1 mil associados e 18 voluntários que estão à frente dos trabalhos durante todo o ano. Segundo Jurema, o número de voluntários oscila muito de uma ação para a outra. “Há ações que envolvem mais de cem voluntários num único evento. Temos planejamento estratégico para o ano todo, então voluntário ativo é sempre bem-vindo. Tem todo um trabalho por trás do Outubro Rosa, já que temos o grande interesse de levar palestras para as empresas e espaços públicos, para atingir o maior número de pessoas”, enfatiza.

A Amucc também conta com a Recam (Rede de Controle do Câncer de Mama em Santa Catarina), formada por 21 organizações que atuam no combate ao câncer e apoio a pacientes no Estado. “O trabalho em rede é essencial para o alcance dos objetivos propostos”, afirma Jurema.

Câncer ainda amedronta as pessoas, que teimam em fugir dos exames rotineiros

Mulheres acima de 40 anos devem fazer mamografia uma vez por ano, mas o medo do diagnóstico, segundo Jurema Ramos dos Santos, ainda provoca o afastamento desse cuidado com a própria vida. “Muitas mulheres ainda temem o diagnóstico. O câncer tem tratamento e cura, o quanto antes diagnosticar, melhor. A lei federal 12.732/2012 assegura ao paciente com câncer iniciar o tratamento gratuito pelo SUS [Sistema Único de Saúde] em 60 dias, assim que diagnosticado. O problema está na demora do diagnóstico e por isso está tramitando o projeto de lei 275/2015, que deve assegurar ao paciente a ter o diagnóstico em 30 dias. É uma luta contra o tempo, dias são anos de vida em jogo”, diz.

O projeto Fila Zero, lançado pela Amucc no ano passado, visa oportunizar exames para pessoas que estão na fila de espera. “Com os recursos arrecadados em um bazar conseguimos oferecer 500 exames, para pessoas de Florianópolis, São José e Palhoça. Esse projeto deve continuar e ajudar muitas pessoas”, conta a diretora da Amucc.

Caminhada Rosa deve envolver 5.000 pessoas

A Amucc está organizando a Caminhada Rosa, que será realizada no próximo domingo (29), com concentração às 14h no Koxixo´s, na avenida Beira-Mar Norte. O evento terá também atrações musicais. Segundo Jurema Ramos dos Santos, a caminhada começará às 16h e seguirá até o trapiche da Beira-Mar, com uma expectativa de no mínimo 5.000 pessoas.

“Queremos a família toda lá. Quem quiser ir de azul, já lembrando o Novembro Azul que se aproxima, pode ficar à vontade. Vamos disseminar a informação e mostrar que o amor à vida está nos detalhes, no cuidado com ela”, diz.

Assistência jurídica para pacientes com câncer

Semanalmente a psicóloga e advogada Ana Paula Guedes Werlang, que é voluntária da Amucc, oferece o serviço de assistência jurídica a pacientes. Ela decidiu ser voluntária e compartilhar da sua formação após conviver com o câncer de laringe do pai, diagnosticado em 2014.

“Vi que a informação correta dos direitos dá a possibilidade de um tratamento melhor, com uma visão mais ampla sobre tudo. Muitas pessoas vão deixando a doença tomar conta e não procuram seus direitos. Meu pai morreu este ano, mas o trabalho da informação e orientação na esfera judicial continua”, diz.

Conforme Ana Paula, as informações mais procuradas são sobre isenção no imposto de renda, auxílio doença e aposentadoria por invalidez. O atendimento ocorre toda quarta-feira, das 13h às 19h, na Amucc, por ordem de chegada.

Presidente da associação critica demora das obras do Cepon

A presidente da Amucc, Leoni Margarida Simm, falou nesta quarta-feira (25) no plenário da Assembleia Legislativa de Santa Catarina sobre o Outubro Rosa e criticou a demora para a conclusão das obras do centro cirúrgico de grande porte do Cepon. “É uma espera infindável que envergonha a sociedade catarinense. O fato de o Cepon não ter essa unidade instalada impacta no atendimento de toda a população”, afirmou.

Leoni lembrou que 46% das pacientes de câncer de mama são diagnosticadas em estágio avançado e é preciso conscientização do poder público e da população para diminuir este número. “Isso gera sofrimento para as famílias, tira pessoas do mercado de trabalho e traz muitas mortes prematuras”, disse.

As ações da Amucc este ano conseguiram tirar mais de 500 mulheres da fila do exame de ultrassonografia no SUS em Florianópolis, São José e Palhoça. Como pedido, Leoni solicitou que as pacientes tenham seu diagnóstico com até 30 dias a partir da primeira consulta.

Neste fim de semana, ela viajará para Genebra, na Suíça, a convite da NCD Alliance, uma organização mundial que ouvirá pacientes de 40 países das cinco doenças que mais matam em todo o mundo. “Vamos discutir a agenda que levaremos para a assembleia geral da ONU no ano que vem. Sobre o câncer, vou abordar a questão da demora do diagnóstico, o acesso aos medicamentos para dor e para tratamentos de qualidade”, contou. (Felipe Alves)

>> SERVIÇO

Amucc: Avenida Hercílio Luz, 639, sala 1.111; telefones (48) 3025-7185 e 3025-7145; atendimento de segunda à sexta-feira, das 9h às 12h e das 13h30 às 17h; assistência jurídica – atendimento às quartas-feiras, das 13h às 19h, por ordem de chegada.

Direitos dos pacientes com câncer

  • Isenção do imposto de renda
  • Auxílio doença
  • Aposentadoria por invalidez
  • Quitação de financiamento de imóvel
  • Passe livre interestadual
  • Transporte coletivo gratuito
  • Saque do PIS e FGTS 
Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade