Publicidade
Terça-Feira, 11 de Dezembro de 2018
Descrição do tempo
  • 30º C
  • 20º C

Inspirações no verde e nos ventos: Os ambientes da CASACOR / Santa Catarina

Escritório Mariana Pesca Arquitetura, de Mariana Pesca, Elise Lacerda e Ivana Bernart apresenta a varanda da casa principal

Alessandra Cavalheiro
Florianópolis
20/11/2018 às 15H13

Varanda
Varanda "Verdejantes Tempos, Mudança dos Ventos" é apresentada pelo Escritório Mariana Pesca Arquitetura - Foto/Fernando Willadino



A inspiração do nome deste ambiente vem da música de Leila Pinheiro. “Verdejantes Tempos, Mudança dos Ventos” é o clima cool instalado na varanda da casa principal da mostra em Floripa. Ali, as profissionais do Escritório Mariana Pesca Arquitetura, Mariana Pesca, Elise Lacerda e Ivana Bernart apresentam suas criações. 

Em 185 m2, a ideia foi fazer uma varanda com estilo onde não houvesse distinção de ambiente interno e externo. “Isto vem ao encontro da proposta de mobiliário e também do lifesytle atual. Hoje em dia tudo é para ser usado. Estamos vivendo os extremos. Enquanto a tecnologia invade e muda nossas vidas, buscamos conexão com mente e corpo por meio de meditação e alimentação saudável. Por isso, o nome Verdejantes tempos, mudança dos ventos”, explica Mariana Pesca.  

Nesta varanda contemporânea, a vida de dentro da casa segue. Uma pequena cozinha foi planejada de forma propícia para momentos de descontração gourmet. Podem-se receber amigos para uma refeição, para bate-papo em volta das lareiras, reuniões informais e todos os encontros especiais que a família quiser fazer.

O estilo contemporâneo não descartou as caraterísticas da casa. Os arcos estruturais e as esquadrias foram mantidos, inclusive as profissionais tiraram partido das venezianas existentes para desenvolver painéis com a mesma proposta, criando uma simbiose. O piso externo cinza, porcelanato da Elizabeth que remete a uma pedra, fez a base neutra para o mobiliário se destacar.

Materiais sofisticados e muito bom gosto

“Toldos triangulares tensionados por mastros, projetados pelo escritório, protegem parcialmente do sol, ao mesmo tempo em que fazem um efeito estético interessante”, observa Mariana. O verde subiu nas paredes por meio do jardim vertical, com sistema de irrigação programado. O piso interno, porcelanato Elizabeth que imita madeira, foi assentado na paginação espinha de peixe, que traz uma contemporaneidade retrô, a mesma encontrada nas portas em vidro aramado da cozinha, que traz o conceito stone box, uma vez que o Dekton está no piso, mas paredes e no teto, além das bancadas.

Prateleiras de banheiro da Deca serviram como apoio na cozinha e o misturador possui filtro de água. A cuba em Corian de sobrepor, no estilo americano, também faz essa ponte do clássico com o contemporâneo devido à tecnologia do material. O Corian permitiu criar um extenso banco orgânico, com possibilidade de carregar o celular por indução.

A varanda é recheada de branco, cinza, preto, madeira, tons de verde (do menta ao esmeralda) e tons de terracota, coral e rosê. O banco curvo em Corian e as luminárias em arco são projetos do escritório. Estas remetem aos arcos existentes na edificação e foram o partido para todo o projeto. O banco em Corian tem desenho orgânico que abraça o canto e carrega o celular por indução no assento.

Luminotécnico apurado

“Trabalhamos muitos efeitos de luz. Enaltecemos os arcos existentes na fachada. Destacamos a iluminação externa jogando luz para os toldos e os biombos”, contam as profissionais, sobre o luminotécnico. A cozinha tem iluminação indireta, por meio de sanca. Arandelas presas em uma prateleira distribuem luz pelo espaço. A iluminação indireta confortável está nos abajoures. Pendentes com iluminação refletente estão sobre a mesa de jantar. “O ápice da iluminação foram as luminárias que projetamos em perfil metálico preto fosco, em forma de arco, dispostas em ângulos diferentes, que projetam efeitos inusitados no teto e paredes”, contam as profissionais Mariana, Elise e Ivana.

Também destacam-se as fotos artísticas de Patrícia Vieira, Mariana Boro e a escultura suspensa, feita exclusivamente para este ambiente, por Juliano Aguiar. Ela se chama “Diálogos com o Vento”.

(Com informações da Assessoria de Imprensa Mel Hoffmann)

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade