Publicidade
Quarta-Feira, 21 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 26º C
  • 17º C

Exposição de Joan Miró abre para o público no Masc, em Florianópolis

Obras do artista catalão impressionaram o público no Centro Integrado de Cultura

Marciano Diogo
Florianópolis
Bruno Ropelato/ND
Curador da mostra, Paulo Myiada apresenta as obras ao público

 

O Masc (Museu de Arte de Santa Catarina) teve movimentação incomum na manhã de sábado (12). Foi com ansiedade que centenas de pessoas compareceram à abertura da exposição internacional histórica “Joan Miró: A Força da Matéria” no CIC (Centro Integrado de Cultura), em Florianópolis. As senhas começaram a ser distribuídas às 9h e, uma hora e meia depois, cerca de 100 pessoas já haviam retirado os ingressos para conhecer as 112 obras do artista catalão que compõem a mostra – a exposição abriu para o público em geral às 10h.

Contabilizando a pré-abertura da noite de sexta-feira e a abertura de sábado no período da manhã, 750 pessoas já haviam passado pela exposição. “Estava de férias na cidade e não pude perder a oportunidade. Achei a mostra muito impactante, principalmente a fase dos últimos anos de vida de Miró, mais colorida. Foi a que mais me impressionou”, conta o gaúcho Paulo Obrengo, 57, o primeiro a retirar o ingresso para a exposição no sábado.

Logo depois veio a família Martinez: o pai Eulógio, 39, e a mãe Elisa, 40, vieram acompanhados dos filhos pequenos, Gabriel, 8, e Luana, 7. A menina conheceu recentemente o legado de Miró nas aulas de arte na escola, e os quatro florianopolitanos aguardavam há meses a exposição. “Estávamos ansiosos. Achamos bem diferente e surpreendente”, conta a mãe.

Assim como a menina da família Martinez, a pequena Mariah Mendonça, 7, também teve contato com a arte de Joan Miró no último mês através das aulas de arte no colégio. “Ela quem me convidou para vir, e com um convite desses fiz questão de acompanhar logo na abertura”, conta a avó Sandra Mendonça, que acompanhou a neta. “Os quadros são bonitos e engraçados, parece que ele desenha alguns bichos”, compara a criança, que estuda no colégio Aplicação na Capital.

Visita mediada com curador

A pré-abertura de sexta-feira da exposição “Joan Miró: A Força da Matéria” contou com a presença do neto do artista, Joan Punyet Miró, e a abertura de sábado de manhã contou com a presença do curador da mostra, Paulo Miyada, 29, que realizou uma primeira visita mediada aberta ao público em geral. Miyada contou para o grupo um pouco sobre a história e fases artísticas da carreira de Miró, além de compartilhar informações técnicas sobre as obras do artista. “Miró foi um vanguardista porque seu surrealismo bateu de frente com os recursos técnicos discursivos e ideológicos lecionados nas escolas técnicas acadêmicas de Belas Artes da época. O entendimento acadêmico da arte pressupõe que existe uma maneira correta de produzi-la, e o surrealismo desafiou esse pensamento, desafiou as convenções acadêmicas exclusivistas da arte”, explica o curador.  

Entre o primeiro grupo privilegiado que participou da visita mediada com o curador da exposição estavam três professoras de arte de Florianópolis, Maria Regina de Castro, 63, Margarethe Borba, 48, e Rose Lima, 56. As três amigas, que também planejavam há mais de um mês a visitação à mostra, planejam incentivar os colegas para que levemseus alunos. “É a primeira vez que um nome internacional de fora vem para a cidade, isso é muito importante. Achei bem interessante e explicativo a parte da mostra com vídeos, porque mostra bem o processo criativo de Miró. É de brilhar os olhos”, conclui Regina.

Surrealismo de Miró

O espanhol Joan Miró foi um dos grandes representantes do surrealismo e começou a pintar seguindo essa escola com quase trinta anos de idade. Fez sua primeira exposição surrealista em 1925, na qual inaugurou sua linguagem. No fim de sua vida, o pintor e escultor reduziu os elementos de sua linguagem artística a alguns símbolos, passando a usar basicamente o branco e o preto. A exposição “Joan Miró: A Força da Matéria” divide a carreira do artista catalão em três fases: anos 1930 e 1940, em que o pintor rompe com as escolas tradicionais e explora a imensidão do surrealismo, nos anos 1950 e 1960, que traz a presença maior de diferentes técnicas e experimentações dos materiais no campo da escultura, e nos anos 1970, em que o versifica ainda mais seu trabalho, questionando o sentido da arte com gravuras. Joan Miró morreu em 1983 com 90 anos de idade, e produziu até o fim de sua vida.

Visitação “Joan Miró: A Força da Matéria” no Museu de Arte de SC

Quando: 12/9 até 15/11
Onde: Masc, CIC, av. Irineu Bornhausen, 5600, Agronômica, Florianópolis, tel. 48 3953-2380.
Quanto: Gratuito

Turnos de visitação: a distribuição das senhas começa 30 minutos antes de cada turno até terminar as 350 senhas por período.

 10h às 12h;
 13h às 16h;
 17h às 19h (de terça-feira a sábado) e 17h às 18h (aos domingos e feriados).

A visitação, após entrada na mostra obedecendo aos turnos, pode ser feita até 20h30, de terça a sábado, e até às 19h30 nos domingos e feriados. Agendamento para visitação de grupos: pelo tel.(48) 3664-2633, de seg. a sex., das 14h às 17h. 

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade