Publicidade
Quinta-Feira, 19 de Julho de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 18º C

Com autonomia de até 50 quilômetros no modo elétrico, Panamera 4 E-Hybrid chega ao Brasil

Sedan esportivo da Porsche tem dois motores, a combustão é um V6 biturbo de 462 cavalos, e elétrico. Câmbio PDK é de oito velocidades e preço parte de R$ 529 mil

Redação ND
Florianópolis
17/12/2017 às 14H55

Sustentável, veloz, seguro, confortável e tecnológico. Todos esses atributos são do Porsche Panamera 4 E-Hybrid, que chega ao Brasil com preço a partir de R$ 529 mil, motor V6 biturbo 2.9 de 462 cavalos e câmbio PDK de oito velocidades, podendo andar até 50 quilômetros no modo 100% elétrico.

Equipado com dois motores, um a combustão e outro elétrico, o Panamera 4 E-Hybrid entrega até 462 cavalos de potência de forma combinada para o condutor que, além da potência, dispõe de uma suspensão a ar adaptável com amortecedores pneumáticos e ajustáveis (Porsche Active Suspension Management, PASM), tração integral ativa com embreagem multidisco regulada eletronicamente e sistema de transmissão Porsche Doppelkupplung (PDK) de 8 marchas.

zzzzz - Divulgação/ND
Design esportivo: Panamera 4 E-Hybrid se destaca pelo conjunto de atributos com DNA Porsche - Divulgação/ND



Preços

Panamera 4 E-Hybrid  R$ 529.000,00

Panamera 4 E-Hybrid Sport Turismo      R$ 542.000,00

Panamera 4 E-Hybrid Executive    R$ 554.000,00

Panamera Turbo S E-Hybrid R$ 1.233.000,00

Panamera Turbo S E-Hybrid Sport Turismo R$ 1.212.000,00

Panamera Turbo S E-Hybrid Executive   R$ 1.242.000,00

 

Motores e transmissão

O motor a combustão que equipa o Porsche Panamera 4 E-Hybrid é um V6 biturbo de 2.9 litros, 4 válvulas por cilindro e que entrega 330 cv de potência entre 5.250 - 6.500 rpm. O torque máximo de 450 Nm aparece a baixos 1.750 rpm e vai até bons 5.000 rpm, mostrando ser um motor muito potente e elástico.

Por ser um híbrido, o carro tem um motor elétrico de 136 cv que gera 400 Nm de torque. Juntos, em modo combinado, geram 462 cv a 6.000 rpm e 700 Nm de torque entre 1.100 - 4.500.

Em parceria com a tração integral e o câmbio PDK de dupla embreagem e oito velocidades, o Panamera 4 E-Hybrid acelera de 0 a 100 km/h em 4s6 e atinge a velocidade máxima de 278 km/h.

É possível fazer deslocamentos somente com o motor elétrico. Sem emitir uma grama de CO2, percorre-se até 50 quilômetros de distância a uma velocidade máxima de 140 km/h.

Bateria e recarga

O sistema elétrico do Panamera 4 E-Hybrid pode ser recarregado de algumas formas: pelo próprio carro, em desacelerações e frenagens ou pela tomada elétrica convencional. O veículo é comercializado com um carregador universal com potência de 3,6 kWh. Em uma tomada doméstica 220 V com 20 amperes, a bateria será recarregada em um intervalo entre quatro e oito horas.

xxxxx - Divulgação/ND
Sistema elétrico pode ser carregado com tomada doméstica ou pelo próprio carro, por meio de desacelerações e frenagens - Divulgação/ND



Opcionalmente, o cliente poderá adquirir um carregador com potência de 7,2 kWh. Ao utilizar este carregador com um plug de tomada industrial de cinco pinos (incluso sem custo adicional), a bateria poderá ser carregada em apenas duas horas.

O Panamera 4 E-Hybrid ainda conta com um equipamento de série que faz a climatização do carro, resfriando ou aquecendo o interior do veículo durante o carregamento.

No Panamera 4 E-Hybrid, o pacote Sport Chrono está incluído nos equipamentos de série. Dentre os diferentes tipos de condução, estão incluídos modos Sport e Sport Plus, conhecidos dos outros modelos Panamera com pacote Sport Chrono. Os modos E-Power, Hybrid Auto, E-Hold e E-Charge são específicos do Hybrid.

Caso haja carga na bateria, a partida do Panamera 4 E-Hybid será sempre dada no modo puramente elétrico E-Power. O Hybrid Auto é um modo de direção totalmente novo. Aqui, o Panamera alterna e combina automaticamente as fontes de propulsão.

O modo E-Hold possibilita a manutenção intencional do estado de carregamento atual da bateria para que seja possível, por exemplo, dirigir no destino em uma zona ambiental de tráfego limitado de modo elétrico e, portanto, sem emissões. No modo E-Charge, ela é abastecida pelo motor V6; para isso, o motor a gasolina gera uma potência mais alta do que a efetivamente necessária para a direção.

O mais alto nível de performance da propulsão é disponibilizado nos modos Sport e Sport Plus. Nestes, o biturbo V6 permanece continuamente ativo. No modo Sport, a carga da bateria é continuamente mantida em um nível mínimo, para disponibilizar reservas suficientes para E-Boost. No modo Sport Plus, a performance máxima está em primeiro plano. Neste modo o Panamera atinge também a velocidade máxima e a bateria é recarregada o mais rápido possível com o auxílio do biturbo V6.

Cockpit requintado e funcional

Um destaque do Panamera da segunda geração é o novo conceito de display e de operação: o Porsche Advanced Cockpit de série, com painéis sensíveis ao toque e displays configuráveis individualmente. Dois displays de sete polegadas que emolduram o tacômetro analógico compõem o cockpit interativo. O Panamera 4 E-Hybrid diferencia-se das outras versões da linha pelo Power Meter, destinado especificamente para a operação híbrida.

xxxx  - Divulgação/ND
Cockpit combina luxo com funcionalidade: destaque é a tela touch de 12,3 polegadas, elemento central de operação - Divulgação/ND



Uma tela touch de 12,3 polegadas atua como elemento central de operação e de display do PCM; no caso específico do Hybrid, é possível acessar as mais variadas informações aqui e no painel de instrumentos. Igualmente relevantes para a operação quanto informativos: o Assistente de Boost e o Assistente Hybrid mostram a energia disponível para fazer “boost” e ajudam na dosagem da potência da propulsão elétrica.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade