Publicidade
Quarta-Feira, 21 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 26º C
  • 17º C

Chery lança Novo Celer, primeiro modelo chinês fabricado no Brasil

Com versões hatch e sedã, carro é vendido a partir de R$ 38.900

Altair Magagnin Junior
Florianópolis

O primeiro carro da Chery produzido no Brasil foi lançado nessa terça-feira. O Novo Celer é fabricado em Jacareí (SP), nas versões hatch e sedã, e é um passo importante entre as montadoras da China para a consolidação no mercado. O veículo se destaca especialmente pelo design, tem bom acabamento, mas ainda deixa a desejar na potência, ainda que esteja equipado com motor 1.5. A apresentação à imprensa e o test-drive foram realizados em Tuiuti (SP).

Divulgação
Chery Novo Celer tem versões hatch (à esq.) e sedã (à dir.)

 

O Celer chega ao mercado com preço a partir de R$ 38.990 (hatch) e R$ R$ 39.990 (sedã). Já as versões Act custam R$ 40.990 (hatch) e R$ 41.990 (sedã). Todos contam com garantia de três anos e estão disponíveis nas cores branco, cinza, prata, preto e vermelho.

A melhoria no design é um dos pontos principais. O visual está mais harmonioso, graças às curvas laterais e o equilíbrio transmite esportividade. O modelo recebeu atualizações como os novos para-choques e a grade frontal, com destaque maior à logomarca. Já na traseira, as lanternas têm lâmpadas em LED. No sedã, a novidade é o desenho das lanternas, mais compridas e avançando sobre a tampa do porta-malas.

O nome Celer tem inspiração no latim, e significa célere, ágil. Contudo, velocidade e potência são pontos que deixam a desejar no lançamento. Todas as versões são equipadas com motor ACTECO 1.5 16V Flex, também produzido no Brasil. A nova calibração prevê potência de 113 cv a 6.000 rpm, quando abastecido com etanol, e 109 cv a 6.000 rpm com gasolina, e torque máximo de 152 Nm a 4.000 rpm (etanol) e 140 Nm a 4.000 rpm (gasolina). A velocidade máxima pode chegar a 175 km/h. A transmissão é manual, em cinco marchas.

As versões apresentam itens de série como ar-condicionado, direção hidráulica, airbag duplo, computador de bordo, espelhos retrovisores com ajuste elétrico, faróis com ajuste elétrico, freios ABS com EBD (distribuição eletrônica de frenagem), sensor de estacionamento traseiro, travas elétricas, vidros elétricos nas quatro portas, entre outros. A versão Act disponibiliza itens exclusivos como faróis de neblina, alarme antifurto na chave, sistema Chery Media System, com dispositivos de som e seis alto-falantes, além de rodas de liga leve.

Painel renovado e mais espaço interno

Por dentro, as mudanças no Celer começam pelo painel, com novo desenho e molduras hexagonais nos instrumentos (velocímetro e conta-giros), além do computador de bordo ao centro, que mostra as informações básicas ao motorista. No console central está o Chery Media System, com rádio AM/FM, CD Player, MP3 e entrada USB. Ainda, os controles de ar-condicionado, acionamento dos faróis e abertura do porta-malas. Nos bancos, novos conceitos foram aplicados para melhorar a ergonomia e o conforto a bordo. O carro conta com bom espaço interno.

Divulgação
Itens do interior foram renovados, oferecendo maior conforto

 

Na versão sedã, destaque para o porta-malas com abertura “open up”, que abre de forma modular, com elevação da tampa e do vidro traseiro. Trata-se de uma vantagem extra, pois facilita o acesso ao espaço interno no uso no dia a dia.

Carro de inauguração da fábrica brasileira

O Novo Celer é o primeiro veículo da Chery produzido no Brasil. O carro tem 35% de índice de nacionalização, graças a fornecedores locais como Bosch, Goodyear, Moura e Pirelli, entre outros. O modelo inaugura a fábrica de Jacareí (SP), aberta em agosto de 2014. A unidade é a primeira operação completa de carros de uma montadora de origem chinesa fora da China, com investimentos de US$ 530 milhões. A previsão é produzir 150 mil unidades por ano na planta brasileira.

Anunciado como “um carro nacional, brasileiro de chassis, peças e coração”, o Celer foi descrito pelo presidente da Chery no Brasil, o chinês Roger Peng, como “o primeiro veículo que não tem sotaque chinês”. “A fábrica é o primeiro passo para conquistar a confiança dos brasileiros”, completou o vice-presidente da Chery no Brasil, Luiz Cury.

Além de produzir o Celer, a Chery importa e comercializa no país os modelos QQ, Face e Tiggo. Esse rendeu à montadora o título de primeira chinesa a lançar um automóvel com transmissão automática.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade