Publicidade
Sábado, 18 de Novembro de 2017
Descrição do tempo
  • 24º C
  • 21º C

Câncer de mama é uma doença comum e muito agressiva em gatas não castradas

Doença pode ser praticamente evitada com a castração feita no momento certo

Ana Corina
30/01/2015 10h00

Mamas felinas

Gatos têm oito glândulas mamárias divididas em duas cadeias, com quatro de cada lado. Cada cadeia de glândulas é conectada por dutos linfáticos e veias de sangue. Cada glândula mamária tem seu próprio mamilo e produz seu próprio estoque de leite. 

 

Fatores de risco

Os hormônios sexuais têm um impacto profundo no risco do desenvolvimento do câncer de mamas. Fêmeas não castradas são muito mais propensas a desenvolver a doença do que as castradas. De acordo com um estudo da publicação norte-americana Journal of Veterinary Internal Medicine, a incidência dos tumores mamários é reduzida em 91% em gatas castradas antes dos seis meses de vida e em 85% nas castradas antes de um ano de vida. Gatos siameses e persas são os que mais desenvolvem a doença, o que pode refletir também nos que têm estas raças misturadas em seus genes.

Sintomas

Caroços nas glândulas mamárias, ou perto delas, nunca são normais. Fique de olho em secreções saindo dos mamilos (claras, leitosas ou sanguinolentas), atenção para feridas que não cicatrizam e para tecidos mortos ou úlceras no lugar do tumor. Perda de peso sem motivo também é um sinal. Se o câncer espalhar para os pulmões o gato pode ter dificuldade para respirar. Os gatos machos também podem desenvolver câncer nas mamas. É mais raro do que nas fêmeas, mas se você encontrar um caroço ou qualquer machucado estranho no peito do seu gato, é melhor procurar um veterinário para averiguar o risco dele estar doente.

Maligno

85% dos caroços nas mamas de gatos são malignos. Desse percentual, quase todos são adenocarcinomas, um tumor altamente agressivo que se espalha (metástase) rapidamente. Os 15% restantes dos caroços nas mamas de gatos são tecidos que crescem demais (como o adiposo, que forma lipomas), ou outros tipos de tumores benignos ou malignos. Entretanto, mesmo tumores benignos podem evoluir para formas malignas da doença, então os veterinários geralmente preferem retirar qualquer caroço que cresça em redor das glândulas mamárias.

Tratamento

O veterinário pode optar por remover só o tumor e alguma quantidade de tecido limpo em redor; por remover totalmente a glândula mamária doente, ou ainda, em remover toda a cadeia de mamas da glândula doente, ou até mesmo em remover as duas cadeias de mamas, com quimioterapia em seguida. Com um tratamento tão agressivo para uma doença tão comum, é de espantar que alguém espere mais de seis meses para castrar uma fêmea de gato. Para os gatos machos a castração é recomendada mais tarde, a partir dos oito meses de vida, pois além de o risco de o câncer de mamas ser menor, eles precisam de mais tempo para amadurecer o sistema urinário, que pode ser prejudicado com uma castração pediátrica.

Prognóstico

A expectativa de vida depende do tamanho e do grau do tumor. Gatos com tumores maiores do que 3 cm de diâmetro têm uma média de sobrevida de quatro a seis meses após o tratamento. A média sobe para dois anos se os tumores tiverem entre 2 cm a 3 cm de diâmetro. Se o tumor tinha menos de 3 cm de diâmetro, o gatinho geralmente sobrevive mais do que três anos.  

Publicidade
Publicidade
Publicidade