Publicidade
Quinta-Feira, 20 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 23º C
  • 18º C

Formado em psicologia, Luiz Carlos Prates nasceu em Santiago, no Rio Grande do Sul, e pratica o jornalismo há 58 anos. Homem de posicionamento, perspicácia e ponto de vista diferenciado, ele tece comentários provocativos, polêmicos e irreverentes, abordando os fatos do dia a dia e pautas voltadas a comportamento.

Temos que orar com as vísceras, só assim somos ouvidos.

Luiz Carlos Prates

Numa manhã destas, lavei a cara com uma água congelante, de doer. Lavei, sequei a cara e... só me dei conta do congelante da água depois, quando eu já estava seco. Por que não me dei conta do congelante da água enquanto lavava a cara? Porque a minha cabeça estava em outro lugar, só eu sei onde ela estava... Quer dizer, como minha consciência estava longe não senti a “dor” da água gelada. Vale para tudo na vida, impossível ser feliz pensando em coisas ruins, impossível não ser feliz ocupando a cabeça com coisas boas. Fácil como 2+2...

Conto essa minha vivência porque há pouco alguém me a fez relembrar com uma história parecida. Uma certa pessoa tem agora, por razões de saúde, que colocar sobre a comida uma espécie de farelo, é remédio, tem que colocar o farelo, mas... A pessoa reclama, acha que o farelo tem um gosto muito forte, tipo pimenta da braba. Ouvi e observei: – “Se o farelo é remédio tens que comê-lo imaginando que seja o teu prato favorito na vida, se fizeres isso, se tirares a consciência de cima do farelo, o farelo será apenas um condimento da comida ou nem isso”. As pessoas têm muita dificuldade para entender que a cabeça, a consciência, não tem como se preocupar com dois estímulos diferentes e ao mesmo tempo. Pô, será tão difícil entender isso? Para a maioria é.

Vivo dizendo que a fé que as pessoas dizem ter neste ou naquele deus, neste ou naquele santo, nisto ou naquilo, de costume não produz resultados quando a pessoa ora e pede por uma graça. O que mais acontece é a pessoa estar movendo os beiços (sim, beiços) e pensando em outra coisa, o pensamento/consciência está dividido. Não pode funcionar. Quando oramos temos que orar com as vísceras junto, temos que orar com a alma. E em assim fazendo, os deuses nos ouvem melhor.

Mais das vezes nos queixamos de dores bem antes de senti-las. E em alguns momentos, quando a dor nos aguilhoa, não a percebemos, estávamos “longe” e nem nos demos conta. Ser feliz ou infeliz é um ato de consciência, viver algumas dores também. Aliás, fora da consciência nada existe.

 

SILÊNCIO

Há instituições que devem impor ordem e sossego à população, se, todavia, quem de direito não fizer o que deve ser feito, o povo tem que agir. Agir duramente. Estou falando do respeito ao silêncio a que todos temos direito depois das 22h. Nenhum bar, condomínio, restaurante, carros com som elevado vão fazer barulho a tirar o sossego de quem quer descansar. Ordinários da falta de respeito ao sossego dos trabalhadores têm que ser tirados de circulação, por bem ou por mal. Silêncio, respeito ou “laço”.

 

FALTA DIZER

Pessoal da Prefeitura, recortar e guardar! A partir de 2019, todas as Escolas de Samba que desfilarem na Nego Querido terão 48 horas para remover o lixo deixado na Passarela em forma de carros alegóricos. Não cumprida a ordem, não desfilarão no ano seguinte. Ferro nos desidiosos e irresponsáveis do lixo.

 

 

 

 

 

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade