Publicidade
Terça-Feira, 13 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 22º C

Formado em psicologia, Luiz Carlos Prates nasceu em Santiago, no Rio Grande do Sul, e pratica o jornalismo há 58 anos. Homem de posicionamento, perspicácia e ponto de vista diferenciado, ele tece comentários provocativos, polêmicos e irreverentes, abordando os fatos do dia a dia e pautas voltadas a comportamento.

  • O azar humano de acreditar em crendices e superstições

    É isso mesmo, o ser humano não tem saída. A consciência da morte o faz um tonto existencial, o único ser vivo da terra que anda em círculos, e se achando o tal... O ser humano é o único ser vivo infeliz. De uma infelicidade que lhe resulta do que, para muitos, é o grande diferencial humano: a consciência. Antes de dizer sobre o que hoje me traz a você, deixe-me apenas relembrar que na ignorância moram todos os vícios, e que no muito saber reside todas as angústias. Não temos saída. Toda esta conversa vem de uma reportagem que acabo de ler sobre superstições. Superstições são credos estúpidos. Todos os temos, todos. Muitas vezes, nossas superstições estão disfarçadas em credos “inocentes”...

    Algumas das superstições do nosso dia-a-dia transcendem o ridículo, põem o ridículo no bolso. Crer, por exemplo, que gato preto dá azar. De onde vem isso? Vem da Idade Média, a idade das trevas. Gato preto, porque preto, era sinônimo de trevas, e[...]

    Leia mais