Publicidade
Terça-Feira, 19 de Junho de 2018
Descrição do tempo
  • 22º C
  • 15º C
  • #TORCIDANDBlatter ignora sanção da Fifa e chega à Rússia para ver Portugal e BrasilMAIS COPA

Formado em psicologia, Luiz Carlos Prates nasceu em Santiago, no Rio Grande do Sul, e pratica o jornalismo há 58 anos. Homem de posicionamento, perspicácia e ponto de vista diferenciado, ele tece comentários provocativos, polêmicos e irreverentes, abordando os fatos do dia a dia e pautas voltadas a comportamento.

As pessoas valem pelo caráter, a instância moral da personalidade

Luiz Carlos Prates

O caráter humano me fascina ou me leva ao ódio. Aos de bom caráter desejo o céu... Já aos de mau-caráter desejo o pior, se pudesse, os queria a todos na “minha” delegacia, lá na salinha dos fundos, com som bem alto, os vizinhos não precisariam ouvir a “conversa” com os canalhas... Tudo o que fazem, os canalhas calculam, pensam antes de agir.

Acabei de ler reportagem de um site jornalístico que estava a contar a história de um canalha, com nome, endereço, foto, tudo. Cara de dejeto humano.

Dizendo-se empresário, ele oferecia emprego a mulheres, as seduzia e as levava ao sexo. Sexo sem proteção, com violência e ele sendo portador do HIV – Aids – mas sobre isso nada falava às mulheres, as infectava e ficava quieto. Canalha.

Fez isso várias vezes, um ato simbólico de um verme, de um matador. Repito, o queria na “minha” delegacia...

Já, numa outra história, a que assisti na televisão, uma garotinha precisava urgentemente de um determinado tipo de plaquetas, sangue especial, ela corria risco de vida e havia pouca esperança. Era difícil um doador compatível. Até que... a família da menina foi chamada a um hospital, alguém havia feito uma doação de plaquetas que se ajustavam às necessidades da menina. O doador doou e foi embora. A menina fez o transplante com as plaquetas milagrosas e recuperou plenamente a saúde, está forte, feliz e sapeca.

A família da garota fez de tudo para descobrir o doador. Descobriu. O encontro dele com a menina e com a família dela foi de chorar. Chorei. E fiquei pensando: um cara desses, um doador anônimo, que sai de casa para dar de sua vida a alguém que ele nem sonha existir é um anjo do céu disfarçado de humano. Uma pessoa desse tipo jamais fará algo de errado na vida, ela tem o “sangue” do bom caráter, a essência da vida para o bem. Que Deus te abençoe, querido amigo desconhecido.

As pessoas valem pelo caráter, a instância moral da personalidade. E é só isso o que vale, o mais nos disfarça. Doar revela. Amigão doador, não te conheço, felicidades e um abraço de que tem admira pelo coração.

 

CORTESIA 

Aconteceu na empresa Ford, em Detroit, EUA. Um gerente passava todos os dias pelo restaurante da empresa, era servido por uma garota. Dia após dia, a mesma coisa, o gerente, o prato, e a garota servindo, tudo em silêncio. Até que um dia o gerente reparou no crachá o nome da garota: Jeniffer. O gerente deu-lhe o prato e disse “Oi, Jeniffer...” Naquele dia, o prato do gerente quase transbordou de tantas batatinhas fritas... Jeniffer saíra “do nada” de não ser ninguém. Ouvir o nome dela fê-la viver... Sutil.

 

ELOGIOS

Escolha alguém, observe algo de bom nesse alguém e o elogie por isso. Você vai ver a reação. A pessoa se vai iluminar e andará atrás de você para lhe fazer uma cortesia, uma espécie de pagamento pelo prazer do elogio. Nunca, todavia, inventar o motivo do elogio. Elogios valem mais que salário.

 

 

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade