Publicidade
Quinta-Feira, 22 de Junho de 2017
Descrição do tempo
  • 22º C
  • 15º C
  • Basquete de Joinville perde a primeira partida da final

    Por 83 a 67, Joinville foi derrotado pelo Botafogo na primeira partida da decisão da Liga Ouro de Basquete. O duelo aconteceu nesta segunda (19), no Rio de Janeiro, abrindo a final da competição que dá acesso ao NBB.
    O ala joinvilense, Maxwell anotou 21 pontos, terminando como cestinha da partida. No entanto, quatro botafoguenses fizeram 10 ou mais tentos, dando vantagem ao time da casa.
    A próxima partida acontece ainda no Rio de Janeiro, na quinta-feira (22), às 20h. O campeão será decidido em melhor de cinco jogos, sendo que todos terão transmissão ao vivo pelo Facebook da Liga Nacional de Basquete, entidade organizadora da Liga Ouro e do NBB.
    Confira o calendário completo das finais da Liga Ouro:
    – Botafogo (1º) x Joinville (3º)
    Jogo 1 – 19/06 (segunda), às 20 horas, no Ginásio Oscar Zelaya, no Rio de Janeiro - Botafogo 83 x 67 Joinville
    Jogo 2 – 22/06 (quinta), às 20 horas, no Ginásio Oscar Zelaya, no Rio de Janeiro
    Jogo 3 – 25/06[...]
    Leia mais
  • Os caminhos da Série C e a necessidade dos três pontos

    Jogar a terceira divisão do campeonato nacional é muito complicado. Campos esburacados, estádios acanhados, muitas vezes sem condições ideais de jogo, e na maioria deles, localizado em cidades distantes. É o caso de Tombos-MG.

    Para chegar até aqui, saí às 6h do aeroporto de Joinville com destino ao Rio de Janeiro. De lá, só de carro ou ônibus. São 350 quilômetros de serra, curvas e uma estrada muito perigosa. Perde-se muito tempo porque tem de atravessar no meio de pequenas cidades, onde a continuação da BR é, muitas vezes, a avenida principal.

    A ideia era pernoitar em Tombos-MG, mas o único hotel da cidade é disponibilizado para a o time da Tombense.

    Ficamos então em Porciúncula, cidade carioca que faz divisa com Tombos. Coisa de sete quilômetros de distância. Basta atravessar uma ponte que estamos em Tombos, cidade de 10 mil habitantes.

    Porciúncula, tem aproximadamente 15 mil habitantes, muito pacata e com aspecto de interior mesmo. Ontem, quando[...]

    Leia mais
  • Até quando tratarão a Arena Joinville com tanto descaso?

    A Arena é um estádio feito apenas para  angariar votos? Sim. A Arena é um estádio que não está acabado? Sim! A Arena é um estádio cheio de imperfeições? Sim. Mas, aqui no estado tem outros muito piores e que com vistas grossas dos mesmos que interditaram a Arena, foram liberados.

    Mas como o descaso com a maior cidade do estado é algo inexplicável, os cardeais de Florianópolis resolveram interditar a Arena. O motivo? Falta de uma proteção mais segura em dias de jogos.

    Eu pergunto: O cidadão que fez esse esdrúxulo despacho já foi no Maracanã, Arena Itaquera, Mineirão entre outras Arenas do Brasil? Não se usa mais aquelas grades como se fosse uma cadeia pública.

    Por que, senhores, essa má vontade com a cidade de Joinville, com o povo que mais arrecada impostos no Estado?

    Joinville é cidade de torcedores do bem. Aqui, ninguém faz tocaia para matar outros torcedores.  Tem torcedores que vão para arrumar confusão? Claro que sim, mas esses dá para[...]

    Leia mais
  • JEC perde para o Botafogo e sai do G-4 pela primeira vez na Série C

    Apático e sem conseguir jogar, o Tricolor foi goleado por 3 a 0 em Ribeirão Preto. O Botafogo-SP começou sufocando o JEC. Escalado em um 3-5-2, congestionou o meio de campo e teve 66% de posse de bola no primeiro tempo. Fez 1 a 0 com Gladstone de cabeça, mas poderia ter feito mais uns dois gols, pelo volume de jogo na primeira etapa. Vitinho e Edno perderam chances boas para o time da casa.

    Com Grampola de camisa 9 e Eliomar no lugar de Lúcio Flávio, o time não teve poder de criação. Talvez, se Fabinho tivesse optado por Breno na vaga de Thiago Alagoano, que até agora, em jogos oficiais não mostrou a que veio, a história poderia ter sido outra. Nesse meio campo Alex Ruan, Eliomar e Thiago Alagoano aberto pelo lado direito,  o JEC nada criou. Sentiu a falta de um carregador de bolas, um cara que preencha os espaços no meio de campo. 

    Tanto que quando entrou no segundo tempo, Breno fez com que o futebol do JEC crescesse. O JEC igualou a posse de bola, mas quando[...]

    Leia mais