Publicidade
Segunda-Feira, 22 de Outubro de 2018
Descrição do tempo
  • 24º C
  • 17º C

A economista Janine Alves traz os principais fatos da economia de Santa Catarina e do país com uma leitura descomplicada e acessível, evitando o “economês” e buscando sempre traduzir os assuntos mais importantes da área para os leitores do ND. 

Todas as atenções voltam-se para a Vivo na Bolsa de Nova York

Janine Alves
Da esq para dir, David Melcon, vice-presidente Financeiro da Telefônica Brasil, dona da marca Vivo; o presidente Eduardo Navarro; e Christian Gebara, vice-presidente executivo, comemoram 20 anos de listagem na Bolsa de Valores de Nova York. Os executivos  - Divulgação
Da esq para dir, David Melcon, vice-presidente Financeiro da Telefônica Brasil, dona da marca Vivo; o presidente Eduardo Navarro; e Christian Gebara, vice-presidente executivo, comemoram 20 anos de listagem na Bolsa de Valores de Nova York.  Divulgação



Esta segunda feira é o dia da Vivo na Bolsa de Nova York, a NYSE. Todas as atenções se voltam para a empresa, que comemora 20 anos de listagem na casa e realiza seu Investor Day, reunindo acionistas, investidores e analistas para apresentar sua estratégia de negócio.  

Para comemorar o feito, a empresa foi convidada para liderar a cerimônia do "Closing Bell", que acontece no fechamento do pregão. Estarão presentes o presidente da companhia, Eduardo Navarro, o COO (Chief Operating Officer), Christian Gebara, e o CFO (Chief Financial Officer), David Melcon. Além disso, uma bandeira da Vivo foi colocada na fachada principal da Bolsa, colorindo o prédio centenário (foto).

"É um orgulho termos uma posição tão relevante no mercado financeiro internacional. O volume de negociações na bolsa nova-iorquina reflete os fundamentos sólidos de nossa estratégia que nos permitem obter resultados consistentes ano após ano", afirmou Navarro.

A maior parte das transações das ações da Telefônica Brasil, dona da marca Vivo, ocorrem na NYSE, garantindo alta liquidez a seus papéis. As ações da companhia fazem parte do Dow Jones Brazil Titans Index, que é composto pelas 20 maiores e mais líquidas ADRs (American Depositary Receipt) negociadas nas bolsas americanas.

Publicidade
Publicidade
Publicidade