Publicidade
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
Descrição do tempo
  • 30º C
  • 22º C

A economista Janine Alves traz os principais fatos da economia de Santa Catarina e do país com uma leitura descomplicada e acessível, evitando o “economês” e buscando sempre traduzir os assuntos mais importantes da área para os leitores do ND. 

Comissão de cultura debate financiamento da arte e da cultura em Santa Catarina

“O nosso estado pouco investe no setor cultural e é essencial mudarmos essa realidade”, diz a deputada Luciane Carminatti, presidente do colegiado

Janine Alves
12/10/2017 14h45
“O nosso estado pouco investe no setor cultural e é essencial mudarmos essa realidade”, diz a deputada Luciane Carminatti, presidente do colegiado - Miriam Zomer/Agência AL
“O nosso estado pouco investe no setor cultural e é essencial mudarmos essa realidade”, diz a deputada Luciane Carminatti, presidente do colegiado - Miriam Zomer/Agência AL




Por iniciativa da presidente da Comissão de Educação, Cultura e Desporto da Alesc, deputada Luciane Carminatti, nesta semana foi realizada, na Assembleia Legislativa, uma audiência pública que tratou do financiamento da arte e da cultura em Santa Catarina, contando com artistas, gestores, produtores, conselheiros de cultura e autoridades estaduais e municipais do setor.

“Provocamos esse debate por entender que o projeto de lei do Sistema Estadual de Cultura, protocolado pelo governo, não traz avanço algum quanto ao Sistema de Financiamento. Ele não modifica o Fundo de Incentivo à Cultura (Funcultural), nem cria outros mecanismos de fomento. Sem mecanismos adequados de financiamento da política cultural, o Sistema não passará de um protocolo de intenções e pouco servirá para atender as demandas e expectativas da área”, garante Luciane.

A mesa da audiência foi composta pelo presidente da Fundação Catarinense de Cultura (FCC), Rodolfo Pinto da Luz, o presidente do Conselho Estadual de Cultura (CEC), Marcondes Marchetti, o representante do BADESC, Eneléo Alcides, o gestor, produtor, ator e arte-educador, Silvestre Ferreira, e a gestora cultural, Maria Teresa Collares.

 “No debate, ficou evidente o baixo investimento de Santa Catarina em arte e cultura, mesmo quando comparado a estados menos ricos. Também percebemos o absoluto descrédito do Funcultural e a demanda por uma lei de mecenato estadual, isto é, que conceda incentivo fiscal a financiadores de projetos culturais”, afirma Luciane, que também ressaltou a importância da descentralização de recursos e projetos culturais por todo o Estado. “A realização de editais regionalizados é um caminho a ser adotado. O projeto de lei do mecenato precisa ser amplamente discutido para evitar as distorções que esse tipo de mecanismo provoca”, pondera.

A presidente da Comissão de Cultura também destacou a pluralidade e o ótimo nível do debate realizado no plenarinho. “A discussão foi bastante rica e produtiva. Cabe a nós, agora, nos reunirmos com o CEC, a FCC e o Conselho de Gestores Municipais de Cultura de SC (Congesc) para efetivarmos os encaminhamentos aprovados e atuarmos juntos por avanços e projetos para o setor cultural”, finaliza Luciane.

  

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade