Publicidade
Sábado, 23 de Setembro de 2017
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 20º C

A economista Janine Alves traz os principais fatos da economia de Santa Catarina e do país com uma leitura descomplicada e acessível, evitando o “economês” e buscando sempre traduzir os assuntos mais importantes da área para os leitores do ND. 

Abertura de linha de crédito para obras de saneamento e mobilidade urbana

BRDE apresentou nesta quinta-feira a linha de crédito para os prefeitos e vice-prefeitos de SC

Janine Alves
13/07/2017 16h41

Uma comitiva de prefeitos, vice-prefeitos e representantes de diversos municípios de Santa Catarina, entre eles Garuva, Fraiburgo, José Boiteux e Balneário Camboriú conheceram na manhã desta quinta-feira (13) uma nova linha de crédito para execução de obras de saneamento e mobilidade urbana nas cidades. A reunião foi na sede do BRDE, em Florianópolis. Os recursos foram disponibilizados pelo Governo Federal e o deputado estadual Patrício Destro (PSB) convidou os representantes das prefeituras e câmaras de vereadores para conhecerem o programa.

“Conheço a realidade dos municípios e sei que um financiamento com taxa de juros baixa pode mudar a realidade das cidades. Levar a rede de esgoto até as casas das pessoas e melhorar a infraestrutura urbana traz crescimento. Mas para isso os prefeitos precisam investir em uma boa equipe para que os projetos sejam bem feitos e tenham mais chances de captar os recursos. Prefeitos que tiverem interesse podem procurar o nosso gabinete que vamos auxiliar”, afirmou Destro.

O diretor do BRDE em Santa Catarina explicou que serão usados recursos do FGTS. Só para mobilidade urbana estão disponíveis R$ 3,7 bilhões para todos os municípios brasileiros. O objetivo é que sejam feitas melhorias em locais que passam ônibus e servem de ligação entre bairros, todos os projetos precisam ter a acessibilidade já incluída. Os juros do financiamento serão de 9% ao ano mais taxas, as prefeituras começariam a quitar o débito depois de quatro anos com carência de duas décadas. A contrapartida do governo municipal é 5% do valor da obra.

Ao fim da reunião, foi discutido também o FUNDAM II que será lançado ainda no segundo semestre deste ano. Uma equipe técnica do BNDES vai orientar as prefeituras na elaboração dos projetos para que não exista problema na execução das obras. 

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade