Publicidade
Quarta-Feira, 19 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 17º C

Diariamente o comentarista aborda a rotina, contratações e analisa os jogos de Avaí e Figueirense. A história do futebol Catarinense é resgatada com postagens que relembram os títulos e jogadores que fizeram história no futebol do estado.

  • "É vergonhoso". "É vergonhoso". "É vergonhoso"."É vergonhoso".

    Na saída de campo, zagueiro Marquinhos considerou como "vergonhosa" a conduta do time do Figueriense  em campo, na goleada sofrida diante da Luverdense. Já o torcedor estende essa palavra para analisar a escalação, as alterações e leitura de jogo do treinador Milton Cruz. Ainda bem que foi o próprio jogador que falou isso, pelo menos dessa vez nenhuma coletiva será convocada para culpar a.....   imprensa!

    Marquinhos treinou entre os titulares e será novidade no Figueira contra o Santa - Luiz Henrique/ND
    Marquinhos desabafou após derrota sofrida diante do Luverdense  - Luiz Henrique/ND



  • "Efeito Suspensivo": Um recurso jurídico válido que equivale a um atestado de impunidade.

    Não gosto do efeito suspensivo aplicado ao futebol. Aliás, nunca gostei. É um recurso que perpetua aquilo que tanto condenamos – a impunidade. Sei que nesse momento, algum advogado deve estar achando esse meu comentário  “ingênuo” por não entender que é recurso jurídico que suspende a eficácia da punição até o julgamento final. Repito, acho “imoral”. Temos um exemplo recente: o jogador Kléber do Coritiba foi punido com doze jogos por agredir e cuspir em um companheiro de trabalho. Só que está atuando, fazendo gol graças ao efeito suspensivo e o seu carimbo de  - que vale tudo -  no mundo da bola. É um recado dado para o jogador “fique à vontade”.  

  • "O Avaí vai chegar". Está muito difícil e Claudinei Oliveira prudente fala em jogo a jogo

    O torcedor do Avaí amanheceu na segunda com a esperança de estar na final do estadual. Os três pontos em Joinville e os tropeços do Figueirense em casa diante do Tubarão e Chapecoense diante do Inter em Lages renovaram as esperanças. Para ser bem rigoroso, é até possível ocorrer. Mas a virada nos últimos sete jogos tem que ser enorme. Não é à toa que o treinador Claudinei Oliveira, inteligente como é, deixou no ar após ser perguntado, algo do tipo, estamos aí jogando jogo a jogo.

  • 2017: Nova temporada e tempo de mudanças no Figueirense

    Um Figueirense bastante modificado em relação ao time que foi rebaixado no ano de 2016. É essa a sinalização da nova mentalidade no Orlando Scarpelli. Prova que a temporada passada deixou marcas profundas e feridas expostas. As recentes declarações do presidente Wilfredo Brillinger são provas disso. Há nas entrelinhas de suas palavras:  decepção e frustração. Sem disfarçar, não poupa  os jogadores que segundo o presidente “apenas vieram para passear, sem nenhum comprometimento”.  Com o rebaixamento decretado, começou a limpa nas pessoas que comandavam o futebol do alvinegro. As caras agora são novas. O torcedor magoado- com um pé atrás-, torce para que o Figueirense reencontre o seu rumo.

    EXIGÊNCIA

    Mesmo com um calendário com várias competições em 2017, a principal exigência do torcedor alvinegro para a temporada, é o retorno para a série A do brasileiro. Mesmo que conquiste o estadual e faça boas campanhas em outras competições, o final do[...]

    Leia mais
Publicidade
Publicidade