Publicidade
Quinta-Feira, 15 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 20º C

Diariamente o comentarista aborda a rotina, contratações e analisa os jogos de Avaí e Figueirense. A história do futebol Catarinense é resgatada com postagens que relembram os títulos e jogadores que fizeram história no futebol do estado.

  • Figueirense anuncia atletas experientes: zagueiro Dirceu e atacante Anderson Aquino.

    O zagueiro Dirceu, que atuou pelo Avaí, vai vestir a camisa do Figueirense na temporada 2017. O jogador estava no futebol português vestindo as cores do Marítimo. Na sua passagem pela Ressacada em 2011 não deixou saudades, aliás, era uma decepção em campo apesar das insistências dos treinadores da época e acabou sendo rebaixado. No entanto, durante três anos que atuou  pelo Londrina, no interior do Paraná , Dirceu foi eleito o melhor zagueiro do Paranaense. Viveu a sua superação como jogador e atleta, dando a  volta por cima. Valorizado foi atuar no futebol português. Pelo Marítimo  atuou em 34 jogos, anotando 3 gols.

    É um jogador que pode contribuir com a sua experiência no Figueirense.

    ANDERSON AQUINO

    A outra novidade no Figueirense é o experiente atacante Anderson Aquino, de 30 anos que teve passagem marcante pelo Coritba onde atuou por quatro temporadas e pelo rival Atlético Paranaense por cinco anos. É um jogador que precisa ter a chance e o[...]

    Leia mais
  • O azul "quase preto" da Ressacada, o inusitado do novo uniforme e a correta providência.

    AZUL QUASE PRETO

    Na coletiva dessa terça,  na reapresentação do Avaí, o presidente Francisco Battistotti confidenciou aos presentes um fato, no mínimo, inusitado. Ele reclamou da cor do uniforme recebido da Umbro na última sexta. Para o presidente o “azul era muito escuro, quase preto”. Mandou devolver, mas garantiu que na estreia do Avaí na Primeira Liga as novas camisas estarão prontas. Até lá, os jogadores vão treinando com o uniforme antigo. O  fato acaba tendo contornos engraçados, ainda mais numa de cidade de "casos & ocasos" raros. Há uns anos, o rival Figueirense apresentou uma camisa do goleiro azul. Na época, enquanto a torcida do Avaí tirava uma onda, a torcida alvinegra protestava. A resposta do então departamento de marketing foi pior do que a próprio uniforme apresentado: "é verde petróleo". É ou não a cidade dos "casos e ocasos raros"?

    .........

    Mas o fato é que no caso de hoje o presidente do Avaí acertou. As cores do uniforme, o[...]

    Leia mais
  • A despedida oficial do goleiro Renan do Avaí. Agradecimentos e reconhecimento.

       O goleiro Renan, um dos heróis do acesso, usou as suas redes sociais para se despedir oficialmente do Avaí. Falou em gratidão, reconheceu o apoio que recebeu da torcida e enalteceu  a importância que o ano de 2016 teve na sua carreira, marcando a oportunidade que teve de assumir a titularidade de uma equipe. Também não deixou a citar e agradecer a diretoria avaiana.

        Sem citar o seu futuro, afirmou que a sua saída “foi pensada junto à família” e que “sai pelas portas da frente!”.

        Já comentei que o Avaí precisou do Renan e suas belas defesas, assim como o Renan precisou do Avaí, no momento em que estava no Botafogo curtindo uma eterna condição de reserva.  Foi uma troca de favores e benefícios onde ambos ganharam.

        Porém, tirando o momento de indefinição do jogador em “bater o martelo” e decidir se fica ou se sai, o desligamento do Renan é absolutamente normal no futebol. Além da família que influencia, é claro, existe a[...]

    Leia mais
  • Figueirense aposta na experiência dos recém-contratados. E a base, será aproveitada?

    Nas últimas rodadas do brasileiro do ano passado, quando o rebaixamento era fato consumado no estádio Orlando Scarpelli, o treinador Marquinhos Santos afirmou que iria trabalhar com a base nessa temporada. Mas, pelas últimas contratações, a média de idade parece que vai subir novamente no plantel. Nesta terça (3)  foram anunciados o zagueiro Dirceu de  28 anos e o atacante Anderson Aquino, de 30 anos de idade. Juntam-se a eles, o goleiro Luiz Carlos de 29 anos e o atacante Biil com 32  anos e ainda tem o zagueiro Marquinhos, 34.

    É claro que não existe aposta única. Um bom time se faz com equilíbrio entre a experiência e os jovens que buscam oportunidades. É uma “mescla” como costumam falar os treinadores. É uma relação de troca. Acredito que seja esse o equilíbrio que o Figueirense busca.  Mas, confesso que me surpreendeu a idade dos atletas que chegaram no Scarpelli, ainda mais que historicamente o treinador Marquinhos Santos costuma trabalhar com[...]

    Leia mais
Publicidade
Publicidade