Publicidade
Sábado, 24 de Fevereiro de 2018
Descrição do tempo
  • 28º C
  • 20º C

Diariamente o comentarista aborda a rotina, contratações e analisa os jogos de Avaí e Figueirense. A história do futebol Catarinense é resgatada com postagens que relembram os títulos e jogadores que fizeram história no futebol do estado.

  • Classificação do Avaí na Copa do Brasil rende boa grana e rostos aliviados no vestiário

    Na coluna pré-jogo do Avaí diante do Juventude, escrevi que essa partida válida pela Copa do Brasil e longe da Ressacada serviria como “refresco” para atenuar a pressão que a diretoria, comissão técnica e jogadores estão sofrendo pela campanha decepcionante no estadual no turno. Dito e feito: a foto no vestiário após a vitória de dois a zero diante do time gaúcho, é a prova disso. O sorriso largo, a alegria dos atletas demonstra um certo alívio pelo resultado e renova as esperanças de uma reação no catarinão.

    No domingo o estadual retorna. Na Ressacada o Avaí recebe o lanterna Internacional de Lages. Que o jogo seja levado muito a sério. Os dois últimos confrontos diante de lanternas (derrota para o Concórdia e empate diante do Tubarão) no sul da ilha foram decepcionantes.

  • Treinador Milton Cruz vai se firmando no Figueirense com estatísticas positivas

    AFIRMAÇÃO

    O treinador Milton Cruz vai se firmando no Figueirense apresentando números incontestáveis: são trinta jogos no comando da equipe. Com apenas quatro derrotas, todas no ano passado – diante do Londrina, Luverdense, Internacional e América Mineiro. A última derrota foi no dia onze de novembro. De lá para cá, são quatorze jogos de invencibilidade. Números que colocam a equipe como líder do estadual e classificada para a terceira fase da Copa do Brasil. O futebol ainda não é primoroso, leva tempo, pois é um grupo remontado. E ainda existe erros de escalações que podem ser corrigidos, com as insistências com Ermel e Renan Mota, por exemplo. Em compensação a boa fase do atacante André Luís, oportunista e sempre bem colocado tem facilitado o trabalho do treinador.

  • Vá entender: Torcedor entra em contato e pede para que eu pare de elogiar atacante

    VÁ ENTENDER

    Ontem um torcedor do Figueirense entrou em contato para reclamar dos elogios que a coluna vem fazendo para o atacante André Luís. A sua preocupação é que o fato de “badalar” muito o seu nome possa atrair a atenção de clubes dos maiores centros do país ou do futebol internacional. Ele lembrou que no ano passado “eu elogiei muito o meia Robinho” que foi parar no Fluminense. Parece brincadeira, mais não é. Sobre o desempenho do jogador em campo, o nosso papel é esse mesmo. Elogiar ou criticar quando for preciso. 

Publicidade
Publicidade