Publicidade
Quinta-Feira, 20 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 23º C
  • 18º C

Assuntos da Grande Florianópolis e os temas cotidianos das cidades da Região Metropolitana – incluindo resgates diferenciados da memória histórica –, são acompanhados de perto pelo colunista Carlos Damião, que tem mais de 30 anos de vivência profissional.

  • Prefeitura começa obras no Parque do Morro das Pedras

    Perspectiva do futuro parque: obras devem ser realizadas em três anos - Divulgação
    Perspectiva do futuro parque: obras devem ser realizadas em três anos - Divulgação


    Um ano depois do Viradão Criativo, promovido no feriado de 7 de setembro, moradores do Sul da Ilha voltaram a se reunir para um abraço coletivo ao futuro Parque Urbano do Morro das Pedras, durante a ação da prefeitura para lançamento da pedra fundamental do espaço. No Viradão Criativo de 2017 a comunidade participou do esboço de projeto por meio de desenhos.

    Moradores participaram do esboço do projeto e acompanham os trabalhos - Divulgação
    Moradores participaram do esboço do projeto e acompanham os trabalhos - Divulgação



    O Parque Urbano do Morro das Pedras será o maior espaço público de Florianópolis com estrutura para educação ambiental, preservação da mata nativa e lazer. Terá uma praça com palco, quadras de esportes, pista de skate, playground. Também serão erguidas 13 estações da alegria ao longo do percurso de trilhas, onde haverá bancos, equipamentos de lazer e exercícios físicos. Além disso, também está prevista uma torre de[...]

    Leia mais
  • Peças de importante arqueólogo catarinense estavam no acervo do Museu Nacional

     

    O arqueólogo Jorge Bleyer, em foto registrada provavelmente na década de 1910 - Acervo família Bleyer/Divulgação/ND
    O arqueólogo Jorge Bleyer, em foto registrada provavelmente na década de 1910 - Acervo família Bleyer/Divulgação/ND


    Embora ainda não tenha sido realizado um inventário de tudo o que virou cinzas depois do incêndio do Museu Nacional do Rio de Janeiro, é muito provável que entre os 20 milhões de itens do acervo daquela instituição, inteiramente queimados na noite de domingo (2) e madrugada de segunda-feira (3), estivessem peças doadas pelo médico e arqueólogo catarinense Georg Carl Adolf Bleyer, que desenvolveu suas pesquisas entre o fim do século 19 e início do século 20 em sítios arqueológicos de Santa Catarina. Doutor Jorge Bleyer, como era mais conhecido em Lages - cidade que adotou para morar depois de ter residido em Blumenau - nasceu em Hannover, na Alemanha, em 1867, chegou ao Brasil em 1892 e morreu na cidade serrana catarinense em 1955.

    O cientista foi um dos precursores da arqueologia no Estado, num período subsequente aos trabalhos de[...]

    Leia mais
  • Ação contra professora da Udesc é julgada improcedente pela Justiça

     Ação movida pela aluna Ana Caroline Campagnolo contra a professora Marlene De Fáveri, da Udesc, por suposta perseguição religiosa durante aulas na pós-graduação em História, foi considerada improcedente pela Justiça. O processo começou em 2017 e, desde então, Marlene recebeu ampla solidariedade de setores acadêmicos de todo o Brasil e do exterior, dalém movimentso de direitos humanos. A aluna denunciou a professora por causa dos posicionamentos de Marlene em relação às discussões de gênero e feminismo, especialidades de sua carreira acadêmica. Militante de extrema-direita, Ana Caroline é candidata a deputada estadual em outubro deste ano pelo PSL, o partido de Jair Bolsonaro.

    A sentença do juiz André Alexandre Happke, do 1º Juizado Especial Cível da Comarca de Chapecó, foi divulgada nesta quarta-feira (5). O magistrado apontou uso parcial e descontextualizado de provas fonográficas (a aluna gravava debaes nas aulas), e também da ausência de provas[...]

    Leia mais
  • Florianópolis, uma cidade cujos moradores não sabem lidar com seus resíduos

    Montanha de lixo ao lado da sede da prefeitura (Rua Trajano) - Carlos Damião
    Montanha de lixo ao lado da sede da prefeitura (Rua Trajano) - Carlos Damião


    A greve dos trabalhadores da Comcap, que teve início na segunda-feira, foi encerrada nesta terça (4/9), com a volta gradual dos serviços de coleta, conforme informou o ND no começo da tarde.

    Quem circulou pela manhã na região central pôde perceber, mais uma vez, como a situação da cidade se torna caótica quando os funcionários da autarquia de Florianópolis decidem parar as atividades – em geral, por causa de reivindicações salariais ou relacionadas a equipamentos de trabalho.

    Na  Rua Deodoro, transtorno para os pedestres - Carlos Damião
    Na Rua Deodoro, transtorno para os pedestres - Carlos Damião


    O que espantou, de novo, foi a falta de educação generalizada e a ausência de espírito coletivo e de cidadania: o lixo de lojas, escritórios e restaurantes foi amontoado em diversos pontos da cidade, mesmo com os responsáveis sabendo que a coleta estava paralisada. Aparentemente, pouca gente se importa com a desordem causada e adota o[...]

    Leia mais