Publicidade
Segunda-Feira, 12 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 28º C
  • 21º C

Assuntos da Grande Florianópolis e os temas cotidianos das cidades da Região Metropolitana – incluindo resgates diferenciados da memória histórica –, são acompanhados de perto pelo colunista Carlos Damião, que tem mais de 30 anos de vivência profissional.

  • Contra a omissão, em defesa da Lagoa da Conceição


    Digna de nota a decisão da procuradora federal Analúcia Hartmann, de propor uma ação civil pública contra um gigantesco empreendimento localizado na Lagoa da Conceição – um dos paraísos naturais mais ameaçados pela especulação e pela falta de saneamento básico em Santa Catarina. Destaque-se, pelo tom de advertência, a afirmação da procuradora sobre o caso, para ela um “triste quadro da doença da omissão dos Poderes Públicos, que está acabando com os recursos naturais e a qualidade de vida de Florianópolis. Afinal, os danos ambientais que empreendimentos desse porte podem ocasionar não são apenas suposições”. O empreendimento em questão projeta uma grande intervenção urbana na Lagoa, com impactos consideráveis para o meio ambiente e para a própria qualidade de vida.

    Carlos Damião/ND
    Segurança
    Polícia Militar montou guarda na área por quatro horas

    Contra os donos do pedaço

    Um dos grandes problemas da Capital - o loteamento particular de vagas de[...]

    Leia mais
  • A velocidade da desconstrução em Florianópolis

    Mais uma bela casa do centro da Capital foi ao chão na calada da noite, rapidinho antes que alguém percebesse. Não era patrimônio histórico, mas tinha uns 50 anos de presença marcante no cenário urbano. Ficava na curva da rua José Jacques, subida para o Floph. Ali funcionou o diretório do PP e também uma unidade da OAB-SC. A velocidade das demolições no centro de Florianópolis é superior à velocidade das construções. Isso quer dizer, na prática, que a cidade está sendo desconstruída em ritmo chinês: alguns casarões vão ao chão, são cercados por tapumes e ficam assim durante muito tempo. Outros cedem lugar a estacionamentos. Na prática, está surgindo uma nova Florianópolis, desértica de referências. Vamos perdendo aquilo que o professor Paulo Fernando Lago chamou, um dia, de "patrimônio da saudade".

    Mídia em festa

    Foi impecável, divertida e colorida a festa de encerramento do ano promovida pela Associação Catarinense de Imprensa, sábado, no[...]

    Leia mais
  • BR-101: a perigosa trajetória da omissão

    A Fiesc (Federação das Indústrias de Santa Catarina) divulgou na segunda-feira (13/12) um importante documento sobre a situação da BR-101. Na prática, apenas reforçou os diagnósticos anteriores e deu força ao que o Crea-SC (Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia) e o Senge-SC (Sindicato dos Engenheiros no Estado de Santa Catarina) historicamente apontam: o descaso e muitas vezes o desprezo, por parte da União, em relação às grandes demandas catarinenses. A BR-101 é o exemplo mais gritante e mais visível da trajetória de omissão federal ao longo das últimas décadas. Lembrando que a duplicação da rodovia já estava prevista no projeto original de implantação da estrada, no início da década de 1960! Quase 50 anos. E nós continuamos trafegando numa estrada ruim, perigosa, inadequada desproporcional à nossa importância econômica e social.

    Compromisso

    Melhorar a situação da BR-101 e exigir a imediata implantação do anel viário da[...]

    Leia mais
  • A virada de mesa na Câmara

    A tumultuada eleição para a mesa diretora da Câmara de Florianópolis, na terça-feira (14), apresentou um resultado inusitado, com a vitória da candidatura de oposição capitaneada pelo vereador Jaime Tonello (DEM). E comprovou, segundo interpretações correntes após o processo eleitoral, que a máquina da prefeitura não atuou com a mesma velocidade e voracidade registradas em momentos anteriores. A volta de Tonello à presidência significa que a Câmara vai readquirir seu perfil de independência em relação ao Executivo. Ou seja, os vereadores terão mais liberdade para apreciar e votar as matérias que tramitarão na Casa a partir de fevereiro, sem depender de acertos prévios com o gabinete do prefeito. Anote-se que a participação de dois vereadores da base governista na virada de mesa – Marcos Aurélio Espíndola (PPS) e Asael Pereira (PSB) – resultou em retaliações formais, que começaram ontem mesmo na prefeitura, com as dispensas de ocupantes de cargos[...]

    Leia mais