Publicidade
Terça-Feira, 20 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 25º C
  • 16º C

Assuntos da Grande Florianópolis e os temas cotidianos das cidades da Região Metropolitana – incluindo resgates diferenciados da memória histórica –, são acompanhados de perto pelo colunista Carlos Damião, que tem mais de 30 anos de vivência profissional.

  • Impressões de um gigantesco ato antifascista (visto de dentro)

    Concentração começou ás 10h, no Largo São João Paulo 2º (Catedral) - Carlos Damião
    Concentração começou às 10h, no Largo São João Paulo 2º (Catedral) - Carlos Damião
    Saída do Largo da Catedral para a passeata - Carlos Damião
    Saída do Largo da Catedral para a passeata - Carlos Damião


    Este sábado, 29/9, foi um dia histórico em centenas de cidades brasileiras e pelo menos 70 cidades estrangeiras. A marca do #EleNão, alusiva ao candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, esteve presente às ruas de cidades catarinenses, como Florianópolis, Itajaí, Blumenau, Joinville, Balneário Camboriú, entre outras, mostrando uma força de mobilização muito rara e extraordinariamente bela. A convocação que precedeu os atos deste sábado partiu de grupos feministas, que utilizaram as redes sociais e as redes de comunicação dos movimentos sociais, unindo, por exemplo, organizações não-governamentais ligadas ao movimento negro,  LGBT, estudantes, professores, sindicatos, intelectuais, artistas, políticos e partidos.  Na Capital, as bandeiras , faixas, cartazes, bottons e outros[...]

    Leia mais
  • Ação contra professora da Udesc é julgada improcedente pela Justiça

     Ação movida pela aluna Ana Caroline Campagnolo contra a professora Marlene De Fáveri, da Udesc, por suposta perseguição religiosa durante aulas na pós-graduação em História, foi considerada improcedente pela Justiça. O processo começou em 2017 e, desde então, Marlene recebeu ampla solidariedade de setores acadêmicos de todo o Brasil e do exterior, dalém movimentso de direitos humanos. A aluna denunciou a professora por causa dos posicionamentos de Marlene em relação às discussões de gênero e feminismo, especialidades de sua carreira acadêmica. Militante de extrema-direita, Ana Caroline é candidata a deputada estadual em outubro deste ano pelo PSL, o partido de Jair Bolsonaro.

    A sentença do juiz André Alexandre Happke, do 1º Juizado Especial Cível da Comarca de Chapecó, foi divulgada nesta quarta-feira (5). O magistrado apontou uso parcial e descontextualizado de provas fonográficas (a aluna gravava debaes nas aulas), e também da ausência de provas[...]

    Leia mais
  • Mais luz sobre a trajetória de Antonieta de Barros

     

    Retrato restaurado da deputada, com informações atualizadas, foi afixado na Galeria Lilás da Alesc, onde estão fotos de todas as representantes femininas que exerceram mandatos    - Divulgação Flávia Person/ND
    Retrato restaurado da deputada, com informações atualizadas, foi afixado na Galeria Lilás da Alesc, onde estão fotos de todas as representantes femininas que exerceram mandatos   - Divulgação Flávia Person/ND


    Em registros antigos da Assembleia Legislativa, de mais de 70 anos, uma misteriosa personagem mencionada como “Ela” indicava a presença de uma mulher entre os parlamentares. Esse ser quase invisível era a deputada Antonieta de Barros. Uma busca nos arquivos da Alesc demonstrou, ainda, que não havia fotografias da deputada preservadas no acervo. 

    As informações foram transmitidas pela ex-deputada Ideli Salvatti (PT), durante uma solenidade especial comemorativa aos 117 anos de nascimento de Antonieta, convocada pela Bancada Feminina da Assembleia Legislativa e realizada no dia 5 de julho. Ideli lembrou que, durante seu mandato na Alesc, entre 1995 e 2003, atuou apaixonadamente pelo resgate da história da primeira deputada catarinense e primeira[...]

    Leia mais
  • Eglê Malheiros aos 90 anos: uma trajetória de coerência intelectual e política

     

    A escritora é exemplo de lucidez e coerência - Divulgação/Luís Felipe Miguel/ND
    Professora e tradutora, Eglê foi perseguida pela ditadura de 1964 - Divulgação/Luís Felipe Miguel/ND



    Uma das intelectuais mais importantes de Santa Catarina, Eglê Malheiros chega aos 90 anos de idade nesta terça-feira (3/7). Nascida em Tubarão, em 1928, foi uma das fundadoras do Círculo de Arte Moderna do Estado, que reunia artistas e escritores no lendário Grupo Sul. Formada em Direito e mestre em Comunicação, foi professora de História no IEE (Instituto Estadual de Educação). Carreira interrompida pelo golpe civil-militar de 1964. Por causa de sua militância de esquerda – comunista desde a juventude, nos anos 1940 –, Eglê e o marido Salim Miguel (1924-2016) saíram de Florianópolis para viver no Rio de Janeiro. Culta, poliglota, trabalhou como tradutora, pesquisadora e roteirista de cinema, enquanto Salim continuava sua carreira de jornalista na revista Manchete e outros veículos.

    Feminista, é desde sempre uma das mais destacadas vozes[...]

    Leia mais