Publicidade
Sábado, 22 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 18º C

Assuntos da Grande Florianópolis e os temas cotidianos das cidades da Região Metropolitana – incluindo resgates diferenciados da memória histórica –, são acompanhados de perto pelo colunista Carlos Damião, que tem mais de 30 anos de vivência profissional.

  • O debate que interessa é sobre a reconstrução do Brasil

    Menos alegorias e delírios  e mais concentração num projeto de país, progressista e inclusivo - Pixabay
    Menos alegorias e delírios e mais concentração num projeto de país, progressista e inclusivo - Pixabay


     Cabo Daciolo, Bolsonaro, Álvaro Dias... O que houve com a política brasileira nos últimos anos? Onde está o legado de Ulysses Guimarães, Leonel Brizola, Mário Covas, Darcy Ribeiro, Tancredo Neves, para citar apenas alguns nomes que se destacaram no campo da luta popular e progressista? Onde foi que nos perdemos, que permitimos a depreciação e o estranhamento como forma do fazer político? Anos e anos de resistência à ditadura civil-militar de 1964, anos e anos de reconstrução democrática, para que chegássemos a este estágio tão deprimente, sombrio e enigmático. O que dizer a um jovem que vai votar pela primeira vez e assiste um debate como o apresentado pela Band na noite de quinta-feira (9/8), sobre o futuro, sobre as perspectivas do país sucateado por Michel Temer et caterva desde 2016, assuntos que sequer entraram na pauta do programa? Justamente[...]

    Leia mais
  • Violência contra a mulher é cada vez mais grave no país

      

    A coordenadora Estadual de Execução Penal e Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, desembargadora Salete Sommariva, discursou nesta terça-feira em solenidade que marcou os 12 anos da Lei Maria da Penha, em Florianópolis - Carlos Damião
    A coordenadora Estadual de Execução Penal e Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, desembargadora Salete Sommariva, discursou nesta terça-feira em solenidade que marcou os 12 anos da Lei Maria da Penha, em Florianópolis - Carlos Damião


    A cada duas horas uma mulher é assassinada no Brasil. Ou seja, são 12 mulheres mortas por dia, apenas pelo fato de serem mulheres, assasssinadas por maridos, companheiros ou namorados..

    Nesta terça-feira (7) completam-se 12 anos da Lei Maria da Penha, assinada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em 7 de agosto de 2006. Considerada uma das três melhores legislações do mundo pela ONU, a lei prevê medidas protetivas para as mulheres e severas punições para os agressores. Além da violência física, a Maria da Penha também relaciona outras formas de agressão:

    - Psicológica: humilhar, insutlar, isolar, perseguir, ameaçar

    - Moral: caluniar, injuriar, difamar

    - Sexual: pressionar a fazer sexo,[...]

    Leia mais
  • Professores da UFSC lançam nota em apoio a Aureo Moraes

     Depois da Andifes (Associação Nacional dos Dirigentes de Instituições Federais de Ensino Superior), os professores do Departamento de Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) também emitiram uma nota contra as ingerências externas que afrontam a liberdade de expresssão e a autonomia universitária, prestando solidariedade ao professor Aureo Moraes, que está sendo perseguido pela Polícia Federal.

    A nota na íntegra:

    “Reunidos em Colegiado, no dia 30 de julho de 2018, manifestamos nosso mais veemente repúdio aos atos de agentes públicos, neste caso da Polícia Federal/SC, que ferem dois direitos fundamentais tão duramente consagrados na Constituição: a liberdade de expressão (direito à opinião) e a autonomia universitária.

    O professor Aureo Mafra de Moraes está sendo alvo de uma investigação da Polícia Federal por ter participado, na condição de chefe de gabinete do reitor, da homenagem feita ao reitor morto, Luiz Carlos Cancellier[...]

    Leia mais
  • Ladrões saqueiam a sede do Educandário Santa Catarina

     Ladrões invadiram a sede do Educandário Santa Catarina, situado no bairro Roçado, em São José, e fizeram uma “limpa”: carregaram tudo o que podiam, incluindo dinheiro e equipamentos caros, como uma batedeira industrial, avaliada em R$ 10 mil, utensílios, alimentos e até carrinhos de mão. A ocorrência foi comunicada à delegacia local, que investiga o caso, registrado na sexta-feira, 27/7.

    A direção do Educandário lançou um apelo, via redes sociais, com o objetivo de obter doações que possam repor pelo menos uma parte do que foi roubado. As prioridades são alimentos e recursos financeiros. Quem quiser colaborar pode depositar qualquer valor na conta: Banco do Brasil - Agência: 2638-7 Conta corrente: 100563-4.

    Num texto emocionado, a diretoria do Educandário desabafa: “Para uma instituição como esta (já estamos vendendo a Feijoada - dia 25 agosto), que vive de parcerias e doações, passamos o ano vendendo eventos, rifas, bingos e roletas, para se ter[...]

    Leia mais