Publicidade
Quinta-Feira, 20 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 23º C
  • 18º C

Assuntos da Grande Florianópolis e os temas cotidianos das cidades da Região Metropolitana – incluindo resgates diferenciados da memória histórica –, são acompanhados de perto pelo colunista Carlos Damião, que tem mais de 30 anos de vivência profissional.

E segue o abuso na Mauro Ramos

O assunto é velho, mas a impunidade dos motoristas não merece consideração

Carlos Damião

Mobilidade

Voltamos à velha questão do posto da Mauro Ramos (foto). Leitor que passou pela região na sexta-feira percebeu a tranqueira completa da avenida por conta de um fato recorrente: motoristas irresponsáveis param seus automóveis na fila do desconto, interrompem o fluxo do trânsito, impedem a entrada de automóveis nas garagens e, pior ainda, não permitem que os ônibus parem nos pontos daquela via. A presença da Guarda Municipal e da Polícia Militar naquela avenida tem que ser mais constante. Não adianta meia hora de plantão para evitar os abusos: basta os agentes da lei virarem as costas e os maus cidadãos voltam a prejudicar ainda mais a nossa mobilidade.

Desalento

"Bom dia, Florianópolis. Belo dia para alagar a cidade, construir mais quatro elevados, virar urbanista, acreditar que haverá futuro". Registro do tuiteiro Yuruga, no sábado pela manhã, quando voltava a chover bastante na Capital.

TCC do Beto

A data correta para a apresentação do Trabalho de Conclusão de Curso "Nas páginas de Beto Stodieck – caricaturista dos momentos e personagens", dos formandos Camila Stuart e Fernando Guedert (Estácio de Sá) é esta quarta-feira, às 21h, e não no dia 10 como informou a coluna.

Dazaranha

Marcado para este dia 8, também, o lançamento do DVD “Natureza de Não Ser Igual”, Trabalho de Conclusão de Curso dos acadêmicos da Estácio de Sá Carlos Silva e Gustavo Zinder. Trata-se de um documentário sobre a trajetória da banda Dazaranha, o grupo musical catarinense mais conhecido nacionalmente. O lançamento será na Fundação Badesc, às 19h.

Segurança

Presença

Comércio todo começa hoje a fase de horários especiais, prolongando a jornada até 20h. Interessante observar – e um leitor enviou a imagem, acompanhada por um elogio – que a Polícia Militar está desenvolvendo um importante trabalho de patrulhamento na área central de Florianópolis. Objetivo é coibir ação de ladrões e punguistas.

Grande Didi

Reportagem do fim de semana, no Notícias do Dia, retratando o jornalista Valdir Alves e sua longa jornada em busca de tratamento para o coração, me fez lembrar da primeira internação prolongada de Didi, há 25 anos, por conta de seu problema de saúde. Ele era correspondente de O Globo em Santa Catarina e passou a incumbência profissional para este colunista, acreditando que não teria mais condições de trabalhar.

* * *

Mas aquela foi apenas uma entre as seis vidas que Didi já viveu. Agora conseguiu implantar células-tronco para corrigir o defeito de seu coração – defeito físico, é verdade, porque o outro coração, do carinho e da gentileza, sempre foi perfeito.

Expansão urbana

Será lançado no Espaço Cultural BRDE, amanhã, às 19 horas, o livro “A Expansão Urbana”, que discute os rumos do crescimento da indústria da construção civil em Florianópolis e as consequências que esse aumento traz para a região. A obra, de Edson Telê Campos, ressalta a importância de um planejamento coordenado entre todos os municípios da Grande Florianópolis.

Lista negra

Leitor Ari Silva acha que a coluna tem que dedurar os nomes das autoridades e servidores que insistem em fumar em locais fechados, apesar dos rigores da legislação e também das regras de civilidade – que independem de lei, mas de bom senso e educação. Se os abusos continuarem, vamos citar os nomes aqui, sim, Ari.

Fumacê

Outro leitor, que prefere não ser identificado, confessa sua surpresa com o que testemunha todos os dias, no Centro de Florianópolis: cada vez mais gente queima seus baseadinhos, na maior cara dura, sem qualquer pudor, em praças e outras vias públicas. O leitor acredita que “nem é necessário fazer campanha pela descriminalização da maconha e do crack, uma vez que o consumo parece liberado na Capital”.

Fortunas

Ainda sobre drogas: o painel montado em reportagem do Notícias do Dia, no fim de semana, sobre os perigos e a riqueza movimentada pelos barões do tráfico, só nos faz desconfiar ainda mais de certos comportamentos em casas noturnas de Florianópolis – que prosperam cobrando preços absurdos pelos produtos consumidos. Tem muita riqueza inexplicada e impune circulando na Capital...

Compras eletrônicas

Agora, não são mais apenas os consumidores comuns que podem realizar compras pela internet, por meio de sites de compras coletivas. Amanhã o Sebrae/SC e a Paradigma, empresa de soluções eletrônicas, lançam o portal Rede Empresas, novo canal que vai intermediar negócios entre grandes empresas compradoras e pequenos e microempresários. A estimativa é de movimentar R$ 15 milhões em negócios até o final de 2011.

Prêmio

A ACIF (Associação Comercial e Industrial de Florianópolis) lança amanhã, ao meio-dia, no Hotel Majestic, o Prêmio ACIF de Jornalismo, que tem o objetivo de reconhecer os profissionais de jornalismo que se destacam em suas áreas em Florianópolis.

Mobilidade 2

Desprezo

Carros estacionados sobre calçadas em Florianópolis não parecem surpreender mais ninguém. Mas o leitor Adalberto Luiz Nicolazzi manifesta sua indignação e registra imagens dos abusos. Enviou quatro situações para a coluna. Escolhemos uma delas para mostrar o quanto a cidadania é desprezada na cidade.

Cidadania

O programa Adote uma Praça, desenvolvido pela prefeitura de Florianópolis, já tem 70 espaços públicos assumidos pela iniciativa privada – o mais recente deles, a Praça Celso Ramos, de responsabilidade da WOA. O Forum de Criatividade e Imagem da Cidade, que reúne autoridades, FloripAmanhã e voluntários, está começando campanha para adoção do Koxixo’s, do trapiche da Beira-mar e do heliponto em frente ao Hotel Majestic.

Segurança

Os freqüentes acidentes nos elevados da Capital, que projetaram e mataram motociclistas, levaram o vereador Asael Pereira (PSB), a solicitar ao governo do Estado a colocação de telas de proteção nessas obras da engenharia, para garantir a segurança de motoristas, motociclistas e passageiros de veículos.

Sem silêncio

Quando abordamos aqui a questão do desrespeito à lei do silêncio (22h às 6h) em Florianópolis, não imaginamos que a repercussão seria tão extraordinária. Mário Cesar Pacheco registra que na Avenida Trompowsky também vai tudo mal, desde a madrugada, com motoqueiros barulhentos, até o início da manhã e nos fins de semana, com as obras de construção civil na região.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade