Publicidade
Sexta-Feira, 21 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 25º C
  • 17º C

Assuntos da Grande Florianópolis e os temas cotidianos das cidades da Região Metropolitana – incluindo resgates diferenciados da memória histórica –, são acompanhados de perto pelo colunista Carlos Damião, que tem mais de 30 anos de vivência profissional.

Desapropriação garante continuidade das obras na Ponte Hercílio Luz, em Florianópolis

Decisão judicial dá prazo de até 10 dias para que ocupantes do imóvel localizado na área continental deixem o local

Carlos Damião
Construção bem ao lado da ponte no Estreito vai abrir espaço para os trabalhos de construção do novo bloco de ancoragem das barras de olhal - Carlos Damião
Construção bem ao lado da ponte no Estreito vai abrir espaço para os trabalhos de construção do novo bloco de ancoragem das barras de olhal - Carlos Damião

O último obstáculo físico para conclusão das obras de recuperação da Ponte Hercílio Luz vai ser vencido ainda no mês de julho. Na quarta-feira (11), o juiz federal Diógenes Tarcísio Marcelino Teixeira, da 3ª Vara, despachou favoravelmente ao Deinfra (Departamento Estadual de Infraestrutura) autorizando a desapropriação do “domínio útil” de um imóvel localizado na área continental da ponte. O magistrado concedeu a chamada imissão de posse, ordenando a desocupação imediata do imóvel, cujo inventariante é Jorge Anastácio Kotzias Neto. A intimação deve ocorrer em 48 horas e a desocupação em até 10 dias após esse procedimento. A decisão é da Justiça Federal porque, como explicou o juiz em sua decisão, trata-se de imóvel em área de marinha (pertencente à União), com 103 metros quadrados.

Com a liberação da área, será possível concluir os trabalhos de demolição do bloco de ancoragem das barras de olhal situado sob a Ponte Hercílio Luz. No lugar, será construído o novo bloco de ancoragem, necessário à total segurança das obras de recuperação do monumento.

Autoridades do Estado e membros da comissão multidisciplinar que acompanha a restauração da ponte, ao final da vistoria desta quinta-feira. - Carlos Damião
Autoridades do Estado e membros da comissão multidisciplinar que acompanha a restauração da ponte, ao final da vistoria desta quinta-feira. - Carlos Damião


A notícia da decisão judicial foi transmitida pelo secretário de Estado da Infraestrutura, engenheiro Paulo França, e pelo coordenador da obra, engenheiro Wenceslau Diotallevy, à comissão multidisciplinar que acompanha os trabalhos, durante reunião realizada nesta quinta-feira, coim a presença de engenheiros da Teixeira Duarte, a empresa responsável. Logo a seguir, todos os participantes acompanharam os engenheiros numa vistoria detalhada da obra.

Tanto França quanto Diotallevy estavam exultantes. “Agora a gente vê um horizonte”, disse o secretário, referindo-se à etapa final da restauração. Ainda sem estimar um prazo para a conclusão e entrega da ponte ao tráfego, França acredita que isso será possível na próxima reunião da comissão, daqui a 15 dias, porque até lá a “imissão de posse” já deverá ter sido cumprida pelas autoridades judiciais. Os trabalhos de troca das barras de olhal – são 360 no total – continuam em ritmo normal: cerca de 120 já foram trocadas. Uma estrutura provisória foi construída no lado continental para garantir a segurança das atividades na área, enquanto o novo bloco de ancoragem não é construído.

Publicidade

2 Comentários

Publicidade
Publicidade