Publicidade
Quarta-Feira, 22 de Agosto de 2018
Descrição do tempo
  • 17º C
  • 11º C

Assuntos da Grande Florianópolis e os temas cotidianos das cidades da Região Metropolitana – incluindo resgates diferenciados da memória histórica –, são acompanhados de perto pelo colunista Carlos Damião, que tem mais de 30 anos de vivência profissional.

  • É na eleição proporcional que mora o perigo para a democracia brasileira

    Levantamento do DIAP (Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar) indica que 3 a cada 4 deputados federais serão reeleitos em 2018, sendo que apenas 31, entre os 513 parlamentares, não vão disputar qualquer cargo eletivo este ano. A projeção do DIAP é preocupante, porque aponta uma baixa renovação da Câmara, que é a Casa legislativa mais importante do país. Qualquer que seja o presidente eleito em 2018, ele vai ter que negociar, e muito, com os deputados reeleitos ou novatos. Isso significa, na prática, que a governabilidade dependerá de acertos variados, que em geral envolvem dinheiro público (por meio de emendas e malandragens em geral). Por isso é tão relevante o papel do eleitor, ao se negar a reeleger certas figuras manjadas ou a eleger “novos” que vestem um figurino aparentemente renovador. Para que o Brasil volte a crescer e a promover inclusão social, a valorizar a educação, a cultura, a saúde, é preciso escolher bem, acima de tudo[...]

    Leia mais
  • O ódio se move em rede. E de maneira cada vez mais rápida

    Grupos de redes sociais espalham mentiras, sensação de medo e sentimento de ódio - Pixabay
    Grupos de redes sociais espalham mentiras, sensação de medo e sentimento de ódio - Pixabay


    Quem assistiu aos vídeos que circulam nas redes sociais e nos portais de notícias, mostrando uma multidão alucinada de brasileiros invadindo áreas que eram ocupadas provisoriamente por venezuelanos em Pacaraima (Roraima) e colocando fogo em todos os pertences dos imigrantes, deve te percebido como a ação foi rápida e cercada de ódio, com os moradores da pequena cidade fronteiriça entoando o Hino Nacional para assinalar o “ato patriótico”. Essas pessoas ensandecidas foram mobilizadas pelas redes sociais, em especial grupos de WhatsApp. O que elas praticaram, na verdade, foi um linchamento, sem direito a defesa por parte dos agredidos, inclusive famílias com idosos e crianças, todos muito pobres. Como resultado da ação primitiva dos brasileiros que envergonham o país, mais de 1.200 venezuelanos fugiram de Pacaraima.

    O ódio se move em rede. E muito rapidamente.[...]

    Leia mais
  • O instante mágico da fotografia, como documento visual, arte e informação histórica

    Zininho e Luiz Henrique Rosa, dois ícones da música florianopolitana. Em 2018 completam-e 20 anos da morte do autor do Rancho do Amor à Ilha - Acervo Carlos Damião
    Valor cultural, memória afetiva da cidade: Zininho e Luiz Henrique Rosa, dois ícones da música florianopolitana. Em 2018 completam-se 20 anos da morte do autor do Rancho do Amor à Ilha - Acervo Carlos Damião


    Fotografar tem um sentido amoroso, é um ato que expõe a relação de sensibilidade ou intimidade  entre o fotógrafo e  os objetos, pessoas, cenários. Expressão artística, documental, jornalística, a fotografia eterniza instantes e nos possibilita viagens lúdicas ao passado mais distante ou mais próximo. Aqui uma seleção de fotos do meu arquivo, todas relacionadas à memória, à cultura e ao cotidiano de Florianópolis

    Cores de Aidê, um dos mais criativos grupos culturais de Santa Catarina, em apresentação no calçadão central - Carlos Damião
    Cores de Aidê, um dos mais criativos grupos culturais de Santa Catarina, em apresentação no calçadão central - Carlos Damião

    Asas abertas, trapiche da Beira-mar Norte,  lugar de muitos encantos e encontros - Carlos Damião
    Asas abertas, trapiche da Beira-mar Norte, lugar de muitos encantos e encontros - Carlos Damião
    Vista do início da década de 1960: o viaduto John Kennedy, construído para ser a ligação entre a Ponte Hercílio Luz e a Avenida Ivo Silveira - Acervo Carlos Damião
    Vista do início da década de 1960: o viaduto John Kennedy, construído para ser a ligação[...]
    Leia mais
  • Corpo do artista Janga está sendo velado no Jardim da Paz

    O corpo do artista plástico e crítico de arte João Otávio Neves Filho (Janga), 72 anos, está sendo velado no Cemitério Jardim da Paz, bairro Saco Grande, em Florianópolis, onde será enterrado neste sábado (18), às 11h.  Janga morreu nesta sexta-feira (17), no Hospital Baía Sul, onde estava internado, vítima de AVC (Acidente Vascular Cerebral) desde o dia 14 de julho. Ele foi um dos mais destacados artistas plásticos de Santa Catarina e  responsável pela visibilidade do bairro Santo Antônio de Lisboa como um dos centros culturais mais importantes de Florianópolis. Vivia em Santo Antônio desde a década de 1970. Informações detalhadas sobre vida e obra de Janga AQUI, em matéria da jornalista Dariene Pasternak para o ND.