Publicidade
Domingo, 19 de Novembro de 2017
Descrição do tempo
  • 26º C
  • 19º C

Assuntos da Grande Florianópolis e os temas cotidianos das cidades da Região Metropolitana – incluindo resgates diferenciados da memória histórica –, são acompanhados de perto pelo colunista Carlos Damião, que tem mais de 30 anos de vivência profissional.

  • A Praia de Fora e o primeiro estádio de Santa Catarina

    Duas imagens – uma na versão impressa e outra na versão digital – publicadas na semana passada “mexeram” com a memória afetiva de muitos leitores, vide a repercussão da coluna nas redes sociais. Uma das imagens mostrava o final da Avenida Mauro Ramos na altura da Rua Bocaiúva (1972); a outra apresentava uma vista aérea da mesma região (1978), com destaque para o Campo da Liga – o Estádio Adolfo Konder, palco de grandes clássicos Avaí x Figueirense e onde o Rei Pelé jogou há 45 anos, vestindo a camisa de seu glorioso Santos Futebol Clube, que venceu o Avaí por 2 a 1.

    Coincidentemente, o dia 15 de novembro deste ano assinalou os 34 anos de inauguração do Estádio Doutor Aderbal Ramos da Silva, a Ressacada, praça esportiva construída depois da desativação do Campo da Liga. A cidade crescera demais e o modesto estádio implantado em 1930 entre as ruas Bocaiúva e Altamiro Guimarães e Avenida Mauro Ramos tornou-se obsoleto. Em seu lugar foi edificado o[...]

    Leia mais
  • Marlene de Fáveri vai receber Comenda do Legislativo Catarinense

    A professora e historiadora Marlene de Fáveri (Udesc) receberá na segunda-feira, dia 20/11, às 19h, a Comenda do Legislativo Catarinense, maior honraria que a Assembleia Legislativa do Estado concede anualmente. A indicação partiu da deputada estadual Ana Paula Lima (PT), cujo mandato tem como uma das prioridades a ampliação dos espaços para as mulheres e o enfrentamento à violência.

    Marlene de Fáveri é uma das intelectuais catarinenses mais respeitadas no âmbito nacional por causa de sua atuação nos estudos de gênero. Atua no Departamento de História e do Programa de Pós-Graduação em História da Udesc, onde é coordenadora do Grupo de Pesquisa “Relações de Gênero e Família” (CNPQ), e do Laboratório de Relações de Gênero e Família (LABGEF), no Centro de Ciências Humanas e da Educação. Também é membro do Instituto de Estudos de Gênero (IEG) e uma das editoras da Revista Estudos Feministas (REF).

    Além disso, integra o Grupo de Trabalho[...]

    Leia mais
  • UFSC terá aula pública sobre autonomia e Estado de exceção

    A UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) vai realizar uma aula pública sobre autonomia universitária e estado de exceção, no dia 27 de novembro, no auditório da Reitoria, com a participação do senador Roberto Requião (PMDB). A proposta, apresentada pelo professor Samuel Pantoja Lima, do Departamento de Jornalismo, do CCE (Centro de Comunicação e Expressão), foi aprovada pelo CUn (Conselho Universitário), na reunião realizada dia 14, “a fim de minimizar a ausência de manifestação da universidade quanto aos recentes acontecimentos que envolveram a morte do reitor Luiz Carlos Cancellier de Olivo”.

    “Diante de todos os acontecimentos nos cobramos acerca de uma decisão pública e a aula proposta é o modelo mais adequado, acadêmico”, reforçou o conselheiro Antônio Alberto Brunetta, que apoiou a solicitação para que o assunto fizesse parte da reunião do CUn.

    Roberto Requião foi o autor da proposta de homenagem a Cancellier no Congresso Nacional,[...]

    Leia mais
  • Desinformação histórica e factual marca ato pró-golpe militar

    Não mais que 50 pessoas - a maioria de meia-idade ou idosos - compareceram à manifestação pró-intervenção militar realizada nesta quarta-feira, 15/11, na Praça de Portugal. O mote da convocação, a corrupção, ficou em segundo plano. A maior parte dos oradores fez menção à luta "contra o comunismo que se instalou no Brasil". A desinformação histórica e factual foi a tônica do ato, exatamente como fazem os adeptos da pós-verdade nas redes sociais. Todos portavam bandeiras do Brasil.

    Teve de tudo, de discursos contra os sem-terra, contra o sistema de ensino, contra os juízes, políticos e até empresas. Algumas falas beiraram o non sense, como a de um aposentado que "denunciou" escolas pelo suposto “estímulo a que alunos do mesmo sexo se beijem durante as aulas”.

    Na plateia, quatro homens exibiam a bandeira da monarquia, numa alusão direta ao dia 15/11, data do golpe militar que derrubou o regime no Brasil em 1889.

    Identificação do grupo que organizou o ato na Capital - Divulgação
    Identificação do grupo que[...]
    Leia mais