Publicidade
Sábado, 17 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 28º C
  • 21º C

Informações e análises sobre a política catarinense, com prioridade para conteúdos exclusivos e inéditos. Entrevistas com personagens que decidem nas esferas do Executivo, Legislativo e Judiciário. Notícias e opiniões contextualizadas com os bastidores do poder.

  • Expectativa para análise do Supremo Tribunal Federal sobre caso do deputado João Rodrigues

    Há expectativa nos meios político e jurídico de Santa Catarina para a análise do STF (Supremo Tribunal Federal) sobre o caso do deputado federal João Rodrigues (PSD). Eleito, mas com os votos indeferidos, se Rodrigues conseguir reverter o quadro, estará apto a assumir para mais um mandato. Quem ficaria fora é o deputado estadual, eleito federal, Ricardo Guidi (PSD). O tema será pautado entre quarta e quinta-feira.

    João Rodrigues, na sessão do impeachment de Dilma Rousseff - Câmara/ND
    João Rodrigues, na sessão do impeachment de Dilma Rousseff - Câmara/ND



  • Ministro Luís Roberto Barroso determina volta do deputado federal João Rodrigues à prisão

    O deputado federal João Rodrigues (PSD), candidato à reeleição à Câmara dos Deputados, deve voltar a cumprir pena em regime semi-aberto. O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Luís Roberto Barroso, determinou, na quinta-feira (4), o cumprimento da decisão que já havia dado em despacho no dia 6 de setembro. Nesta sexta-feira (5), a desembargadora federal Cláudia Cristina Cristofani, do TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região), recebeu o comunicado e repassou à VEP-DFT (Vara de Execuções Penais do Distrito Federal). Oficialmente, a VEP-DFT não confirmou a prisão.

    De acordo com o advogado de Rodrigues, Marlon Bertuol, ainda não há decisão da Vara de Execuções para a prisão do deputado. Também de acordo com Bertuol, em função da lei eleitoral, nenhum candidato pode ser preso, salvo em flagrante. A defesa de Rodrigues recorreu ao STF.

    João Rodrigues - Divulgação/ND
    João Rodrigues - Divulgação/ND



    Leia mais
  • Enquanto espera eventual retorno à prisão, João Rodrigues continua em campanha eleitoral

    Por meio dos advogados, o deputado federal João Rodrigues (PSD) afirmou nesta quarta-feira (19) que respeita a manifestação da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, para que seja restabelecida a pena em regime semiaberto, “porém discorda e vai recorrer em instâncias superiores”. Ainda em nota, o candidato informou que continua em plena campanha à reeleição, “afinal da conta, a candidatura está mantida e aguarda a intimação para poder dar cumprimento a qualquer decisão judicial que possa surgir”.

    João Rodrigues - Reprodução/ND
    João Rodrigues - Reprodução/ND



  • Raquel Dodge vai ao Supremo pedir a prisão do deputado federal João Rodrigues

    A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, solicitou nesta terça-feira (18) ao STF (Supremo Tribunal Federal) que seja expedido mandado de prisão para que o deputado federal João Rodrigues (PSD) volte a cumprir a pena determinada pela Primeira Turma do STF.

    João Rodrigues - Cláudio Basílio de Araújo/PSD/Divulgação
    João Rodrigues - Cláudio Basílio de Araújo/PSD/Divulgação



    O parlamentar foi condenado a cinco anos e três meses, pelo TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região), por crimes contra a Lei de Licitações cometidos quando era prefeito em exercício de Pinhalzinho. Rodrigues foi solto em 14 de agosto, por decisão do ministro Rogério Schietti, do STJ (Superior Tribunal de Justiça). No entanto, a liminar concedida foi suspensa em 6 de setembro pelo relator do caso no Supremo, ministro Roberto Barroso.

    No documento enviado ao STF, a procuradora-geral destaca que os recursos apresentados pela defesa do parlamentar contra a decisão do ministro Barroso não têm efeito suspensivo e que, por isso, a[...]

    Leia mais