Publicidade
Sábado, 17 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 28º C
  • 21º C

Informações e análises sobre a política catarinense, com prioridade para conteúdos exclusivos e inéditos. Entrevistas com personagens que decidem nas esferas do Executivo, Legislativo e Judiciário. Notícias e opiniões contextualizadas com os bastidores do poder.

  • PCdoB, PDT, PSOL e PT de Florianópolis formam Frente Ampla em apoio a Fernando Haddad

    Partidos catarinenses de esquerda estão unidos em uma Frente Ampla por Fernando Haddad (PT). Em reunião na noite de quarta-feira, estiveram juntos em Florianópolis representantes do PCdoB, PDT, PSOL e PT. A iniciativa pretende integrar novas forças, com o objetivo de “enfrentar o ódio, o fascismo e defender a democracia”.

    O PT, de Fernando Haddad, foi o partido que mais recebeu votos nesta eleição - Ricardo Stuckert/ Divulgação/ND
    Fernando Haddad - Ricardo Stuckert/ Divulgação/ND



  • Fernando Haddad troca vermelho por verde e amarelo em busca dos eleitores de centro

    Depois de dizer que é um social democrata – a sigla PSDB significa Partido da Social Democracia Brasileira – Fernando Haddad (PT) deu uma guinada no visual da campanha, trocando tudo pelo verde e amarelo. Não sobrou vermelho nem na estrelinha. Na mais recente visita à sede da Polícia Federal de Curitiba, onde Lula está preso, Haddad teria ouvido do ex-presidente que não era mais para ele ir até lá. Em nome de uma frente pela democracia, Haddad tenta uma guinada ao centro, conversando até mesmo com tucanos.

    Manuela e Haddad, sem Lula - Reprodução/ND
    Manuela e Haddad, sem Lula - Reprodução/ND



  • Virada de Ciro Gomes sobre Fernando Haddad não é impossível, aponta pesquisa RecordTV

    Com base nos votos que cada candidato pode ganhar ou perder, o Real Time mediu o piso e o teto de cada presidenciável. Esse recorte mostra uma projeção interessante. Se Haddad cair ao mínimo e Ciro for ao máximo, Ciro pode ir ao segundo turno. Mesmo no máximo, Bolsonaro não venceria em primeiro turno. 

    - Bolsonaro tem 34% de votos. Pode receber 4% dos que votam em outros candidatos, mais 3,5% dos indecisos. O máximo estimado para a votação é de 41,5%. Com a possibilidade de perder 5% dos votos, o mínimo pode ser de 29%.  

    - Haddad tem 24% de votos. Pode receber 5% dos que votam em outros candidatos, mais 3,1% dos indecisos. O máximo estimado para a votação é de 32,1%. Com a possibilidade de perder 5% dos votos, o mínimo pode ser de 19%. 

    - Ciro tem 12% de votos. Pode receber 5% dos que votam em outros candidatos, mais 4,2% dos indecisos. O máximo estimado para a votação é de 21,2%. Com a possibilidade de perder 3% dos votos, o mínimo pode ser de[...]

    Leia mais
  • Por que Fernando Haddad e Jair Bolsonaro foram os alvos principais no debate da Record?

    Os dois candidatos que estão virtualmente no segundo turno das eleições à Presidência da República foram os alvos preferenciais durante o debate da RecordTV. Ausente por recomendação médica, um dia depois de receber alta, Jair Bolsonaro (PSL) sofreu um massacre. Não estava lá para responder. Ontem, por meio das redes sociais, reclamou que foi alvo de mentiras. “Covardia ou cinismo?”, questionou. O segundo alvo foi Fernando Haddad (PT), que acusou o golpe ao ser perguntado por Guilherme Boulos (PSOL) o que justificaria estar abraçado com “golpistas” do MDB, como Renan Calheiros. Não se aprumou até agora da pergunta. 

    Para fazer uma metáfora com o futebol, na parte de baixo da tabela das pesquisas eleitorais, Ciro Gomes (PDT), Geraldo Alckmin (PSDB), Marina Silva (Rede), Álvaro Dias (Pode) e Henrique Meirelles (MDB) fizeram jogadas ensaiadas. Um levantava a bola e outro chutava para o gol contra Bolsonaro. Em determinado momento, parecia que todos[...]

    Leia mais