Publicidade
Quinta-Feira, 20 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 23º C
  • 18º C

Informações e análises sobre a política catarinense, com prioridade para conteúdos exclusivos e inéditos. Entrevistas com personagens que decidem nas esferas do Executivo, Legislativo e Judiciário. Notícias e opiniões contextualizadas com os bastidores do poder.

Manoel Mota tentou segunda cadeira mais importante ao final do sétimo mandato na Alesc

Líder do governo, deputado Valdir Cobalchini (MDB) parabenizou Mota pelo “gesto” – um eufemismo

Altair Magagnin

Ficou claro que Manoel Mota gostaria de ser o vice-presidente. Então na suplência, sem perspectivas de alcançar a eleição, Mota desistiu de concorrer. Com a morte de Aldo Schneider (MDB), voltou em definitivo à Assembleia. Inflado pela militância do Sul catarinense, vislumbrou a perspectiva de encerrar o sétimo mandato sentado à Mesa Diretora. Não conseguiu. Líder do governo na Casa, o deputado estadual Valdir Cobalchini (MDB) parabenizou Mota pelo “gesto” de declinar em nome do entendimento – um eufemismo.

Manoel Mota - Eduardo Guedes de Oliveira/Agência AL/ND
Manoel Mota - Eduardo Guedes de Oliveira/Agência AL/ND



Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade