Publicidade
Quinta-Feira, 15 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 20º C

Informações e análises sobre a política catarinense, com prioridade para conteúdos exclusivos e inéditos. Entrevistas com personagens que decidem nas esferas do Executivo, Legislativo e Judiciário. Notícias e opiniões contextualizadas com os bastidores do poder.

Governador Carlos Moisés detalha transição e nega confirmação de nomes para secretariado

Pesselista reforçou que continua “firme” nos propósitos de enxugamento da máquina pública

Altair Magagnin
08/11/2018 19h17

O governador eleito Carlos Moisés (PSL) detalhou o andamento da transição do governo catarinense, nesta quinta-feira (8), durante uma transmissão ao vivo no Facebook. Além de agradecer pelo apoio recebido, Moisés rebateu especulações sobre nomes de eventuais secretários ou decisões que já teria tomado. O governador reforçou que continua “firme” nos propósitos de enxugamento da máquina pública, defendidos durante a campanha. Assista ao vídeo a seguir.

Publicado por Carlos Moisés em Quinta-feira, 8 de novembro de 2018

 

Moisés começou agradecendo o incentivo no início do governo. Reafirmou compromissos como “transparência e legalidade”. “Pretendemos fazer um governo sem conchavos, nem loteamento de cargos”, disse.

Fez críticas a informações sobre eventuais secretários nomeados e decisões de governo. “Quero reiterar para a população não ir atrás de fake news. Já nomearam secretariado e anunciaram decisões que não tomamos”, afirmou. Reforçou que não houve anúncio de nomes de secretários até aqui. “O que roda nas redes é especulação”. Sobre não detalhar as ações do governo, rechaçou qualquer tipo de blindagem. “Não estamos blindados. Estamos trabalhando, chegando cedo e saindo tarde”, ponderou.

Ainda sobre o colegiado, rebateu qualquer tipo de indicação política. “Nós temos nomes que estamos estudando e conversando. Como não teremos indicações políticas, quem vier para o governo tem que se alinhar com nossa ideia, tem que entender o que a gente quer fazer. Estando alinhado, pode ser recebido”, falou.

Pontualmente sobre esta quinta-feira, relatou reunião com a Secretaria de Educação. As ações serão feitas para que o ano letivo possa “fluir” normalmente. “Não pode haver ruptura. A vida continua. Temos responsabilidade com os compromissos já assumidos, para que o Estado continue rotina na maior tranquilidade”.

Moisés reafirmou a análise para “entender as estruturas do Estado e o que precisa ser corrigido”. Afirmou que os princípios da campanha “não serão abandonados”. O objetivo é tornar a máquina pública mais enxuta. “A estrutura do Estado é muito grande. Precisamos deixar mais leve”, disse. “Estamos firmes no propósito”, encerrou.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade