Publicidade
Sábado, 17 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 28º C
  • 21º C

Informações e análises sobre a política catarinense, com prioridade para conteúdos exclusivos e inéditos. Entrevistas com personagens que decidem nas esferas do Executivo, Legislativo e Judiciário. Notícias e opiniões contextualizadas com os bastidores do poder.

  • Os motivos que fazem Carlos Moisés adiar para 2019 envio da reforma administrativa à Alesc

    O ineditismo fez com que a entrevista concedida pelo governador eleito Carlos Moisés (PSL) repercutisse fortemente nessa sexta-feira. Foi a primeira conversa um pouco mais longa desde que começou a transição para assumir o Executivo de Santa Catarina em 2019. Aos poucos, Moisés se conscientiza da necessidade de comunicação. Quando fala à imprensa, fala ao cidadão catarinense. Isso é essencial.

    O principal ponto da entrevista foi a informação de que estaria “reavaliando” a possibilidade de encaminhar em 2018 a reforma administrativa. Dos motivos citados por Moisés, é fato que o tempo está escasso. Na terça-feira, começa o último mês do ano legislativo. Exceção à lei orçamentária, não há grandes projetos a serem analisados. Mesmo assim, a matéria que mexe com a estrutura do Estado demanda análise cuidadosa, tanto na elaboração, quanto na votação. Moisés não quer, e não pode, errar.

    A atual composição da Assembleia teria toda a legitimidade[...]

    Leia mais
  • Carlos Moisés recua e admite enviar reforma administrativa do Estado somente em 2019

    Na primeira incursão por Brasília como governador eleito, Carlos Moisés (PSL) atuou como um verdadeiro embaixador do Estado. Municiado com material especialmente produzido, entregou aos pares e demais autoridades conteúdos que mostram a força da economia de Santa Catarina, seja na indústria, no comércio e nos serviços. Também, as belezas naturais e potencialidades turísticas. O objetivo é claro, firmar parcerias para continuar como um Estado de excelência.

    Carlos Moisés - Reprodução/ND
    Carlos Moisés - Reprodução/ND



    Foi também em Brasília, na quarta-feira, durante jantar promovido por um diplomata para estreitar os laços catarinenses com representantes de outros países, que Carlos Moisés concedeu a primeira entrevista detalhada desde que deflagrou o processo de transição. Correspondente do Grupo RIC na capital federal, o repórter Cristiano Vasconcelos foi porta-voz de perguntas encaminhadas por esta coluna.

    O resultado da conversa está a seguir. O principal fato novo é a[...]

    Leia mais
  • Flexibilização da Lei de Responsabilidade Fiscal não é consenso entre governadores

    A flexibilização da Lei de Responsabilidade Fiscal foi um dos assuntos que permeou a reunião dos governadores. Hoje, 16 Estados estão desrespeitando a lei. O Brasil não pode retroceder na LRF, mas a vida real precisa ser levada em consideração. Conforme o governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), de que adiante se “vangloriar” de cumprir a lei fiscal e não oferecer os serviços básicos à população.

    As principais impressões de Carlos Moisés depois da reunião no Fórum dos Governadores

    Jair Bolsonaro com governadores - Marcelo Camargo/Agência Brasil/ND
    Jair Bolsonaro com governadores - Marcelo Camargo/Agência Brasil/ND



  • Para governador petista, "eleição acabou" e compromisso agora é "trabalhar pelo Brasil"

    Vinte governadores eleitos e reeleitos participaram da reunião em Brasília. A ausência dos chefes de Estados do Nordeste diminuiu o quórum. O único governador da região presente foi Wellington Dias (PT), que minimizou a falta dos colegas. Alegou que muitos já tinham compromissos assumidos ou estão envolvidos nas transições. Dias afirmou que “a eleição acabou” e que o compromisso é “trabalhar pelo Brasil”.

    Wellington Dias entrega carta de governadores eleitos e reeleitos - Marcelo Camargo/Agência Brasil/ND
    Wellington Dias entrega carta de governadores eleitos e reeleitos - Marcelo Camargo/Agência Brasil/ND